Apesar do icónico visual que qualquer fã de Game of Thrones rapidamente associa à personagem do Night King (em português, Rei da Noite), houve outras possibilidades quanto à possível apresentação do personagem.

De acordo com a Vanity Fair, o grande vilão da série televisiva foi desenhado de uma forma distinta daquela a que a audiência está habituada. Originalmente, estava previsto que o antagonista apresentasse uma coroa e um figurino com mangas.

A revelação surgiu através das páginas de um livro intitulado The Art of Game of Thrones, da autoria de Deborah Riley, a designer de produção da série. Na obra, é possível observar e comparar o conceito original da personagem, mais decadente, assustador, de aspeto velho e com longas vestes, em relação à figura assombrosa que conhecemos hoje.

LÊ TAMBÉM: 100 ANOS: 5 OBRAS INCONTORNÁVEIS PARA CONHECER SOPHIA
Rei da Noite

Imagem: visual original do Rei da Noite | ‘The Art of Game of Thrones’

Segundo confissões que Riley fez à Vanity Fair, não existia um ator que servisse como referência na criação da criatura de gelo. Por esse motivo, a equipa “teve que criar um personagem substituto como reserva. Gower, que foi o responsável por criar o visual final do Rei da Noite, disse que o pedido que recebeu foi que criasse algo sumptuoso e com caraterísticas familiares de White Walker”.

Os conceitos visuais para criar a autoridade do chefe dos White Walkers e transmitir poder foram, por isso, mantidos: “mantivemos a ideia de criar uma coroa fundida à cabeça dele, algo orgânico, que fosse parte dele. As formas angulares e afiadas (…) refletem a ideia da carne gélida do personagem”.

Recentemente a HBO anunciou o cancelamento de um spin-off mas, pouco tempo depois, anunciou um prelúdio sobre a história dos Targaryen, House of the Dragons.

LÊ TAMBÉM: CRÍTICA: THE END OF THE F***ING WORLD REGRESSA COM SEQUELA CONTURBADA MAS COM UM FINAL FELIZ