Control Z

Control Z: ‘Leaks’, hackers e caos no novo vício adolescente da Netflix

Control Z é o novo drama adolescente da Netflix, criado por Carlos Quintanilla, Adriana Pelusi e Miguel García Moreno. A primeira temporada estreou dia 22 de maio, e conta com oito episódios, com cerca de 40 minutos.

A série mexicana conta a história de Sofia (Ana Valeria Becerril), uma rapariga socialmente isolada pela maioria dos seus colegas por ter sido internada num hospital psiquiátrico. Ela é, contudo, bastante observadora e vê a vida da sua escola, o El Colegio Nacional, virar de cabeça para baixo após um hacker revelar os segredos mais íntimos de vários alunos.

Quando o pânico se instala, Sofia, com a ajuda do seu novo amigo Javier (Michael Ronda) e usando o seu talento para dedução, começa uma luta contra o tempo para descobrir a identidade do hacker, antes que ele divulgue mais segredos. Ao longo da história, Raul (Yankel Stevan), um rapaz rico que também é vítima do hacker, junta-se a eles para desvendar o grande mistério em que todos são suspeitos.

O enredo complica-se quando, para salvarem os seus próprios segredos, as personagens têm que se trair umas as outras, trazendo assim, consequências graves para cada um deles. Retrata-se, portanto, um aparente grupo de amigos que nunca foram totalmente honestos uns com os outros, até se verem confrontados com a verdade.

O elenco principal é ainda formado por Zion Moreno, Andrés Baida, Macarena García e Patricio Gallardo. A direção da série é da autoria de Alejandro Lozano e Bernardo de la Rosa e a produção executiva de Fernando Rozvar e Billy Rozvar.

Control Z introduz, desde logo, as personagens, sendo que a maioria delas são reflexos dos estereótipos existentes nos dramas juvenis. Porém, a série trata vários temas atuais como a identidade de género, violência e corrupção, e ainda problemas pelos quais os adolescentes passam: depressão, bullying, romances e traições.

Control Z

Segundo a Netflix, Control Z ocupou, nos dias depois da sua estreia, o primeiro lugar no top 10 da plataforma em vários países, entre eles, Portugal, México, Brasil, Panamá, Equador e Bolívia. Tendo ainda ficado em segundo lugar na Colômbia e em terceiro no Chile e Argentina, o que reflete uma boa reação por parte dos fãs. A série chegou até a entrar nos trendings topics do Twitter.

Apesar do final da primeira temporada ter ficado em aberto, uma segunda parte não foi confirmada. Sabe-se, no entanto, que a Netflix analisa as suas audiências e as reações nas redes sociais, para decidir se uma série ganhará uma próxima temporada.

Todavia, Control Z não é a primeira aposta da Netflix ao abordar o tema de problemas na adolescência. A série espanhola Elite, a turca Love 101 e a sul-africana Sangue e Água são outras que os fãs podem acompanhar na plataforma.

A série é ainda muito comparada a Gosspil Girl, Pretty Little Liars, 13 Reasons Why e Sex Education.

Mais Artigos
The L Word: Generation Q
Pride Month: 9 séries que celebram o Orgulho LGBTQ+