Um estádio, um hotel e até um central park. Calçada portuguesa espalhada pelo chão, comida, muita comida e paredes escritas. Poderíamos estar a falar de uma realidade paralela, mas neste caso referimo-nos à Wodify, a aplicação que tem como missão não deixar ninguém fazer exercício sozinho.

Lisboa, a irmã gémea separada pelo Atlântico

Chegou a Portugal em janeiro de 2016 e atualmente conta com um staff partilhado entre Lisboa e Philadelphia, em áreas tão distintas como o marketing, o apoio ao cliente, o design ou a engenharia. O que faz da Wodify um caso de sucesso? O seu sentido de comunidade, que tal como no crossfit, eleva o exercício físico e o trabalho do corpo e da mente, a uma experiência social.

 

De um ginásio a uma startup, ninguém faz nada sozinho e é sobre essa premissa que a tecnológica americana trabalha. Com pilares e valores que se mantém fiéis aos de uma empresa emergente, “live life to the fullest”, é uma das mensagens que podemos ver espalhadas pelos corredores do escritório, localizado no Parque das Nações.

O que é que leva uma empresa tecnológica americana, a sediar-se também em Lisboa? A resposta parece clara: a melhor mão de obra. Das relações com a portuguesa OutSystems – responsável pelo desenvolvimento de plataformas e aplicações low-code – à procura pela melhor equipa de engenharia, design e comunicação, foi como que um passo natural.

A orgânica dentro da Wodify é simples: qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa. A chegada à capital portuguesa valeu à americana uma maior projeção e trouxe o ADN particular e próprio, presente na sede em Philadelphia. Quisemos saber o que é que motiva as pessoas a trabalharem na Wodify, ao que Pedro Morgado – diretor criativo da tecnológica em Portugal – explicou que a filosofia da empresa vê o escritório como a sua própria casa.

Comida – muita comida -, um baloiço e uma playstation na área comum, snacks fit e outros não tão saudáveis, a possibilidade de andar de bicicleta dentro do escritório e a funcionalidade de um espaço dividido em várias salas temáticas como os laboratórios ou a incubadora. . Aos empregados da empresa, o denominador comum do exercício físico e a prática do crossfit, numa heterogeneidade, que se reflete em frases como as que encontramos nas paredes do escritório: “be bold, be you”.

O escritório, concebido pela MCA e localizado no Parque das Nações, já foi referenciado pelo seu arrojo, criatividade e inovação, em sites como o Office Snapshots ou o Learning People e em Portugal, no jornal Público e no Dinheiro Vivo.

Wodify: mais que um software de gestão

Contudo, a Wodify estende-se para além dos três produtos oferecidos: Wodify Core , Wodify Arena  – destinado à gestão de eventos e de competições desportivas – e Wodify Rise. A empresa procura uma vertente social e de partilha não só dos lucros que ganha, como também da boa-vontade e solidariedade dos seus colaboradores.

É nesta ótica que a Wodify desenvolve a Givve, a extensão social da empresa. Atividades que já passaram por recuperação de espaços degradados até ao apoio a associações que prestam cuidado a animais, de modo a melhorar a vida da comunidade onde esta empresa está inserida, em Lisboa e em Philadelphia

Mais do que uma empresa de software, o objetivo da Wodify é o de conectar os membros e as comunidades, ajudando assim os ginásios e as pessoas a ficarem mais ligados. A empresa – criada por Ameet Shah, para potenciar o crescimento e o desenvolvimento das boxes  de crossfit – e que de momento está a passar por uma fase de expansão, com o desenvolvimento dos seus produtos Wodify Arena e Wodify Rise, continua a trabalhar para ser parte da solução e para trabalhar em conjunto. Como?  Usando a tecnologia para criar novas experiências no mundo do fitness e do CrossFit.

Artigo atualizado no dia 5 de Agosto de 2017, pelas 16h35.