O produtor e engenheiro de som Glyn Johns, que trabalhou com os Beatles no álbum Let It Be, definiu o trabalho como “um monte de lixo“. 

Fiquei desapontado que Lennon tenha sido negligente e entregue aquilo ao Phil Spector [produtor principal do álbum], e ainda mais desapontado com aquilo que Spector fez. Não tem nada a ver com os Beatles, de todo. Let It Be é um monte de lixo. Como digo no livro, ele vomitou em cima daquilo tudo. Nunca ouvi o álbum todo. Ouvi só algumas das primeiras notas de algumas coisas e disse “Oh, esqueçam”. Era ridícula e repugnantemente xaroposo“, revelou em entrevista ao New York Times.

Glyn foi convidado para trabalhar nas gravações do disco em 1969 e aceitou, com a condição de que iria trabalhar sob a alçada de George Martin, produtor de longa data da banda. No entanto, rapidamente percebeu que Martin, cansado das disputas internas no grupo, abandonou o projeto, insatisfeito com o recrutamento do produtor Phil Spector.

Todos os arranjos que Glyn Johns para as canções deste registo foram rejeitados pela banda, em prol dos apresentados por Spector, porém o engenheiro de som, agora com 72 anos, continua a considerar que trabalhar com a banda foi “bastante impressionante“. “Eu não os conhecia, eu era como qualquer outro fã do mundo, que os via como ícones extraordinários de deslumbramento.”