Synthpop

Vitals

“Vitals”, o novo e estonteante álbum dos Mutemath

Nem sempre temos a oportunidade de assistir ao lançamento de um novo álbum dos Mutemath, mas quando isso acontece, sabemos que algo de muito bom está a caminho. Neste Vitals, o grupo de Paul Meany subiu a parada no novo disco, mostrando uma autêntica revolução no registo musical da banda. A mudança nem sempre pode ser vista como positiva quando a banda mantém uma certa sonoridade durante alguns anos, mas esta renovação é, sem dúvida, muito bem-vinda.
trust_alfons

Crítica: Joyland, de Trust

Versos melancólicos, ritmos carregados de tensão sexual e uma sonoridade que insiste em evocar armazéns abandonados apinhados de marginais numa rave alimentada a ecstasy, anfetaminas e outras drogas. É este o mundo de Trust, e Joyland, segundo disco do projecto, é a mais recente porta para nele entrar.
the strokes

Comedown Machine

Um dos grupos mais proeminentes da vaga de Garage Rock/Post-Punk Revival que popularizou (e ajudou a redefinir) aquilo que conhecemos por Indie Rock, os The Strokes têm vindo a trilhar, desde a sua estreia em 2001 com Is This It, um caminho marcado pelas “ameaças” de separação e por uma série de discos cada vez mais inconsistentes (Room On Fire em 2003, First Impressions of Earth em 2006 e Angles em 2011). O quinto LP do grupo norte-americano, Comedown Machine, foi editado pela RCA Records a 26 de Março, e é dele que vamos falar hoje.
david_fonseca_capa

Seasons: Rising

Com um percurso musical iniciado nos anos 90, com os saudosos Silence 4, David Fonseca tem construído, desde o final do grupo, uma honrada carreira a solo, que conta já com 5 discos em nome próprio e que ajudou a cimentar a posição do artista como um dos mais proeminentes do Pop-Rock nacional. Seasons: Rising, lançado a 21 de Março deste ano, é a mais recente obra do músico, e é dele que vamos aqui falar hoje.