Paul Wernick

Deadpool

Deadpool: Uma ode visceral à criatividade

A aventura de Deadpool só resulta porque não tem limites para a violência ou sarcasmo negro. O personagem desafia constantemente a nossa sanidade mental, seja a dilacerar maus da fita com um par de katanas enquanto ouve DMX ou Salt-n-Pepa, como também a apimentar o enredo com referências ao mundo real. Se retirarmos este aspecto, o filme, simplesmente, perde a alma.