O Espalha-Factos terminou. Sabe mais aqui.
Fotografia: Divulgação/Netflix

‘The Witcher: Blood Origin’. Fica a saber tudo sobre a prequela da Netflix

Depois do anúncio que Henry Cavill vai abandonar a série The Witcher após a terceira temporada, a Netflix continua a seguir firme no mundo de fantasia. A seguir à prequela animada, aproxima-se a passos largos outro projeto que ocorre muito antes das aventuras de Geralt of Rivia: a minissérie The Witcher: Blood Origin, que irá explorar a criação do primeiro Witcher, para lá de expandir as origens do Continente.

A primeira temporada de The Witcher, baseado na saga de livros do autor polaco Andrzej Sapkowski, chegou à plataforma de streaming em dezembro de 2019 e tornou-se, na altura, a série mais vista da Netflix. Com vários livros que decorrem num mundo de fantasia rico em detalhes, para lá de uma legião de fãs pré-estabelecida graças a adaptações de videojogos, a plataforma decidiu apostar no mundo de Witchers e não só renovou a série para uma segunda temporada, como anunciou a produção de duas prequelas, uma delas sendo Blood Origin, que estreia já este domingo, em pleno dia de Natal.

Para aproveitares a série ao máximo no meio das celebrações natalícias, o Espalha-Factos reuniu tudo o que se sabe, e o que precisas de saber, sobre The Witcher: Blood Origin.

Quantos episódios é que vai ter?

Com data de estreia no meio da quadra festiva, uma das questões mais pertinentes é a quantidade de episódios que terás de balançar consoante os jantares de família. Concebida como uma minissérie, Blood Origin foi anunciado juntamente com a confirmação de seis episódios em julho de 2020. Contudo, o trailer oficial confirma que a série iria apenas conter quatro episódios. Em entrevista à Collider, Hisshrich explicou que durante a montagem da série, a equipa chegou à conclusão que a narrativa era mais adequada para se desenrolar ao longo de quatro capítulos invés de seis.

Qual é a sinopse da série?

Situada aproximadamente 1200 anos antes da chegada de Yennefer, Ciri e Geralt, a prequela irá acompanhar a criação do primeiro Witcher num mundo onde não existem humanos nem monstros, para lá de desvendar o contexto sobre o qual ele foi concebido. O enredo irá também explorar a civilização dos elfos na sua Era de Ouro, civilização essa que se encontra em ruínas nos eventos de The Witcher, e dos responsáveis pela sua desolação, para lá de nos demonstrar a infame “Conjunção de Esferas”, um evento que para sempre mudou o Continente.

Para quem já leu os livros ou teve a oportunidade de jogar os jogos, o termo “Conjunção de Esferas” pode ser extremamente familiar, mas a adaptação da Netflix vai, pela primeira vez, explorar o evento que criou o Continente que conhecemos em The Witcher. Para quem teve a oportunidade de assistir à segunda temporada (podes ler o que achámos aqui), saberá que existem vários universos paralelos cujo perigo tem vido a crescer, sendo esses universos o local de origem de muitos dos monstros que Geralt já batalhou. Blood Origin pretende elucidar muitos dos pontos de interrogação sobre a origem do Continente, para lá de explorar um componente crucial para a narrativa deste universo fictício.

Numa altura longínqua, o Continente encontrava-se dividido em variados universos, com espécies especificas designadas a certos universos, permitindo que diferentes raças e espécies de mundos diferentes vivessem em harmonia, com o ocasional salto multidimensional quando necessário. Subentendido no nome, a “Conjunção” fez com que vários destes universos colidissem uns com os outros, induzindo caos na estabilidade do Continente. A versão do Continente em que nos encontramos era a casa das raças de gnomos, anões e elfos, que viram não só a introdução de monstros indomáveis como a da raça humana.

Quem é que entra em The Witcher: Blood Origin?

Fotografia: Divulgação/Netflix

Tal como a série principal, Blood Origin apresenta um elenco recheado de atores prontos para darem vida a múltiplas personagens inéditas ao mundo fantástico de Sapkowski. A série, criada por Declan de Barra e Lauren Schmidt Hissrich, esta última a showrunner de The Witcher, tem como personagens principais Éile, uma guerreira do exército da Rainha interpretada por Sophia Brown, Scian, o último membro de uma tribo de elfos interpretado por Michelle Yeoh, e Fjall, que pertence a um clã que protegem o Rei interpretado por Laurence O’Fuarain.

O trio pertence a um grupo de marginalizados que se unem na luta contra a opressão do Continente. O resto do elenco constitui o resto do grupo de guerreiros, no qual temos How Novelli (Callan ou Brother Death), Lizzie Annis (Zacaré), Zach Wyatt (Syndril) e Francesca Mills (Meldolf). Foi relevado em abril que o ator Joey Batey, que dá vida à personagem Jaskier em The Witcher, iria ter um cameo na prequela, criando uma ligação direta entre as duas séries e as diferentes linhas temporais. Na lista de atores ainda constam nomes como Minnie Driver, Lenny Henry, Mirren Mack, Nathaniel Curtis, Dylan Moran e Jacob Collins-Levy.

Agora que estás a par de tudo sobre The Witcher: Blood Origin, podes desfrutar dos quatro episódios já este domingo (25). Enquanto aguardas pela estreia, podes rever a segunda temporada de The Witcher, cujo último episódio conta com uma introdução à prequela.