Cantar! 2
Imagem: Divulgação

Crítica. ‘Cantar! 2’ mostra que nunca se é pequeno (nem grande) demais para sonhar

No primeiro dia de dezembro, Cantar! 2, o mais recente filme produzido pela Illumination, chegou às salas de cinema portuguesas. O Espalha-Factos já viu o filme e diz-te as razões pelas quais não o podes perder.

Depois de ter concretizado o sonho de tornar novamente o seu teatro num êxito na sua pequena cidade em Cantar!, o coala Buster Moon aparece com um novo sonho em Cantar! 2: levar o seu espetáculo a Redshore Citya maior capital de entretenimento do mundo.

No entanto, quando Suki Lane, caça-talentos e assistente executiva daquele irá ser o vilão desta história, Jimmy Crystal, diz a Moon que o seu espetáculo não é bom o suficiente para os grandes palcos, a confiança do coala fica abalada. Contudo, com o conselho de Nana, a sua mentora, Buster Moon recupera o seu espírito lutador e coragem para alcançar o seu novo sonho e parte em direção a Redshore com os seus amigos e companheiros, Ash, Gunter, Meena, Johnny Rosita.

Juntos, os seis montarão, em três semanas, o maior e melhor espetáculo alguma vez visto no mundo. Porém, ao mesmo tempo que se esforçam para atingir o sucesso deste espetáculo, cada uma delas terá de lidar, ao longo do filme, com os seus próprios problemas, tornando-se Cantar! 2 numa história de superação e conquistas.

Até onde temos de ir para alcançar os nossos sonhos?

Em Redshore City, Moon e os seus companheiros vão ao encontro de Jimmy Crystal, magnata do teatro e proprietário de um dos maiores palcos na capital do entretenimento. Chegado o momento de impressionar Crystal e conseguir, assim, alcançar o sonho de estrear um espetáculo na cidade, Moon vê, por momentos, os seus planos a irem por água abaixo uma vez mais.

Recusando-se a aceitar que o seu sucesso ficaria restringido à sua pequena cidade, Moon promete, sem pensar nas consequências, que o seu novo espetáculo contará com a presença de Clay Calloway, uma estrela rock que se encontra isolada e fora do mundo do espetáculo por mais de uma década – fruto de uma ideia de Gunter que captou a atenção de Jimmy Crystal.

Esta decisão de Moon é um reflexo das características que marcam esta personagem: ainda que bem intencionado, Buster Moon é uma personagem determinada a alcançar os seus objetivos mesmo sabendo que, muitas vezes, esses mesmos desafios o obrigarão a dar um passo maior que a perna. Mesmo sabendo que os seus sonhos podem não se tornar reais, Moon mantém-se sempre otimista, algo que dá uma luz especial a esta personagem, que acaba por se espalhar por todas as outras que compõem o filme.

Lê também: Crítica. ‘Ciao Alberto’ é a cura perfeita para a ressaca pós ‘Luca’

Todas as personagens reúnem esforços para tornar um espetáculo que existia apenas na imaginação de Gunter em algo real, superando desafios com os quais se irão defrontar durante a sua estadia em Redshore City.

Um dos aspetos que torna Cantar! 2 num filme tão especial é o facto de este ir além daquele que é o tema central – a apresentação do espetáculo – e explorar as capacidades (e vulnerabilidades) de cada uma das personagens que compõe o elenco principal: Gunter mostra que é mais do que um cantor e bailarino e, sempre de modo extravagante e “sem filtros”, dá a conhecer outro lado da sua criatividade enquanto guionista; Rosita, protagonista da peça, terá de ultrapassar os seus medos e provar que é a heroína que sempre esteve destinada a ser; Meena, depois de ultrapassar a sua timidez e construir a sua confiança no primeiro filme, irá explorar sentimentos que nunca havia sentido antes e, ao se deparar com eles, aprender a lidar com eles; Johnny, determinado a mostrar a toda a equipa que fará o que for preciso para o sucesso do espetáculo, até mesmo aprender a dançar, depara-se com um obstáculo que o fará questionar as suas capacidades; e Ash, que no primeiro filme se dá conta do seu talento e percebe que não depende de ninguém para brilha, é agora desafiada a perceber o poder da sua voz e como a sua paixão pela música a pode voltar a conectar com as pessoas.

Banda sonora para todas as idades

A mensagem que a sequela de Cantar! transmite é possível devido às interpretações dadas às músicas que compõem a banda sonora. Combinando mais de 40 hits clássicos e contemporâneos, de géneros que vão desde o pop até ao rock, podemos mesmo dizer que a música é uma das, se não a principal, estrelas de Cantar! 2.

Apesar de contar com canções da autoria de Bad BunnyBillie Eilish, BTS, Camila Cabello, Cardi B, Drake, J Balvin, Prince, Shawn Mendes, Taylor Swift The Weeknd, são as três músicas da banda irlandesa U2 – ‘I Still Haven’t Found What I’m Looking For’, ‘Where the Streets Have No Name’ e a mais recente ‘Your Song Saved My Life’ -, interpretadas por BonoScarlett Johansson, que transformam Cantar! 2 na receita perfeita para os amantes de música.

Se Cantar! foi um filme sobre como encontrar a coragem e força necessárias para seguir e alcançar os nossos sonhos, Cantar! 2, que na versão portuguesa conta com as vozes de Vasco Palmeirim, Aurea, Mafalda Luís Castro, Marco Delgado e Deolinda Kinzimbamostra-nos como ultrapassar os obstáculos que surgem e nos impedem de alcançar um sonho que os outros acham ser maior que nós e também como a música pode curar o mais partido dos corações. Com um guião e personagens que, à sua maneira, nos fazem rir do primeiro ao último minuto, a sequela é o filme que não vais querer perder neste Natal.

 

Cantar! 2
8