Facebook entre outras aplicações no ecrã de um telemóvel
Imagem: Reprodução

Facebook é a rede social mais abandonada pelos portugueses

Há cada vez mais portugueses a sair das redes sociais, segundo um novo estudo da Marktest. O Facebook é a rede social mais afetada.

Cresce para 19,6% a percentagem de portugueses que afirma ter abandonado as redes sociais, entre os quais mais de um quarto das pessoas refere ter saído do Facebook, indica o novo estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais”, produzido pela Marktest.

A percentagem de utilizadores que abandonaram redes sociais aumentou em 2,5%, face aos 17,1% de 2020. A seguir ao Facebook, que é a rede social mais abandonada, seguem-se o Snapchat (25,2%), o Twitter (17,7%), o LinkedIn (15,1%) e o Pinterest (14,2%).

Segundo os dados deste estudo, o principal motivo para o afastamento é a falta de interesse, que foi a resposta de 36,8% dos inquiridos. A falta de tempo e o pouco uso que davam às plataformas foram outras razões apresentadas para deixar as redes sociais.

No entanto, apesar das quebras, a rede social criada por Mark Zuckerberg continua a ser a que tem mais utilizadores em Portugal. 93,4% dos utilizadores de redes sociais no país confessam ter criado um perfil no Facebook.

Em média, os portugueses têm contas em seis redes sociais. É mais do dobro da média de 2011, ano em que a Marktest começou a produzir este estudo. O número sobre para nove entre as camadas mais jovens.

O estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais” da Marktest foi realizado pela primeira vez em 2011 e visa apurar índices de notoriedade, utilização, opinião e hábitos dos portugueses em relação às redes sociais, bem como compreender as relações que estabelecem com as marcas presentes nestes sites e apps.

Os dados do estudo foram recolhidos através de um questionário de autopreenchimento online, entre os dias 1 e 14 de julho de 2021. A amostra foi constituída por 800 entrevistas a indivíduos entre os 15 e os 64 anos, residentes em Portugal Continental e utilizadores de redes sociais.