Festa do Cinema Francês abre com 'Eiffel'
FCF abre com 'Eiffel' | Fotografia: Divulgação

Festa do Cinema Francês prepara 22.ª edição com novidades e reposições

O festival começa a 7 de outubro, em Lisboa, e passará por nove cidades, de norte a sul do país.

A Festa do Cinema Francês regressa para a 22.ª edição esta quinta-feira (7), em Lisboa, com exibições a nível nacional até ao dia 31 de outubro. A cerimónia de abertura vai ter lugar no Cinema São Jorge, com a exibição de Eiffel, de Martin Bourboulon. O filme retrata a biografia do engenheiro da torre homónima, Gustave Eiffel, na jornada para desenhar o marco mais emblemático de Paris.

A programação conta, como habitualmente, com novas vozes do cinema francês, além de estreias e antestreias em Portugal. Os destaques vão para Um Triunfo, de Emmanuel Courcol, e As Coisas Que Dizemos, As Coisas Que Fazemos, de Emmanuel Mouret, um compêndio de histórias sentimentais. Juntam-se à festa o foco na obra da realizadora Mia Hansen-Løve e a retrospetiva da cineasta Jacqueline Audry, uma parceria com a Cinemateca Portuguesa, em homenagens que se pautam no feminino.

Novidades e retornos

O ciclo de cinema Fantástico é uma novidade para 2021, com cinco filmes dedicados ao surreal ou ao disruptivo. A coroa de glória vai para Elle, de Paul Verhoeven, com Isabelle Huppert a vestir a pele de uma mulher de negócios vítima de abuso sexual que mantém uma relação com o agressor. A secção vai exibir ainda Mandíbulas, o mais recente filme de Quentin Dupieux, A Hora de Saída, de Sébastien Marnier, Evolução, de Lucile Hadzihalilovic, e Clímax, o controverso filme de terror de Gaspar Noé, vencedor do Prémio Quinzena dos Realizadores em Cannes em 2018.

Já a secção Segunda Chance vai dar uma segunda oportunidade a filmes estreados durante a pandemia – como Miss, do luso-francês Ruben Alves (realizador de A Gaiola Dourada), que abriu o festival no ano passado. O objetivo é continuar o trabalho iniciado na última edição, com a reapresentação de 16 filmes que possam ter passado ao lado dos espectadores habituais.

Da parceria entre a festa e o ACID (Associação de Cinema Independente francesa) resulta uma programação com foco em realizadores jovens e filmes independentes. Os espectadores vão ter direito a duas estreias nacionais saídas da seleção da ACID para o Festival de Cannes: Um Verão na Córsega, de Pascal Tagnati, e Autárquica, de Thomas Paulot, uma comédia sobre a política autárquica e a manipulação em tempo de eleições.

No total, serão mais de 50 filmes dedicados ao cinema de língua e expressão francesa em exibição nos cinemas parceiros do evento. Este ano, o festival passa por nove cidades: Lisboa, Oeiras, Almada, Porto, Coimbra, Braga, Faro, Évora e Viseu. Podes consultar a programação completa e as datas para cada local no site da Festa do Cinema Francês.

Lê também: RTP2 aposta em filmes e séries nacionais na nova grelha

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.