Glória
'Glória' é a primeira série portuguesa original da Netflix. | Fotografia: Netflix/Divulgação

‘Glória’. A primeira série portuguesa da Netflix já tem data de estreia

Por ser a primeira série portuguesa a estrear na gigante de streaming Netflix, Glória é há muito tempo esperada e é já a 5 de novembro que vai estar disponível na plataforma. A plataforma divulgou esta quarta-feira (6) um teaser da série com as primeiras imagens da história da autoria de Pedro Lopes, que sublinha que estamos perante a “série com maior orçamento de sempre na história da produção nacional”.

Vê as primeiras imagens de ‘Glória’:

O grande investimento está desde logo patente nos nomes que encabeçam a equipa do projeto. Tiago Guedes, figura de destaque no cenário audiovisual português, que dirigiu recentemente filmes tão distintos como Herdade e Tristeza e Alegria na Vida das Girafas, é o realizador da série.

Os protagonistas são Miguel Nunes, figura de destaque nas imagens disponibilizadas até agora, e Victoria Guerra. Também do elenco fazem parte Carolina Amaral, Afonso Pimentel, Adriano Luz, Joana Ribeiro, Albano Jerónimo, Marcelo Urgeghe, Sandra Faleiro, Carloto Cotta, Maria João Pinho, Inês Castel-Branco, Rafael Morais e Leonor Silveira, Matt Rippy, Stephanie Vogt, Jimmy Taenaka, Ana Neborac e Augusto Madeira.

A produção está a cargo da SP internacional (SPi), o departamento internacional da produtora portuguesa, em parceria com a RTP, canal que também transmitirá a série, em data e periodicidade de exibição dos episódios ainda a conhecer. Como é regra da plataforma, na Netflix estarão logo todos os episódios disponíveis – dez, segundo a página da série no IMDB.

A sinopse da história descreve uma história “gravada na região do Ribatejo e em Lisboa, que decorre nos anos 60, no auge da Guerra Fria, na pequena aldeia da Glória do Ribatejo, onde se situa a RARET, centro de transmissões americano que emite propaganda Ocidental para o Bloco de Leste”. “João Vidal (Miguel Nunes), um engenheiro de famílias ligadas ao Estado Novo, mas recrutado pelo KGB, vai assumir várias missões de espionagem de alto risco que podem mudar o curso da história portuguesa e mundial”.

A plataforma distribuiu também esta quarta-feira (6) uma nota de imprensa que conta com declarações do autor. Pedro Lopes conta mais detalhes sobre este “thriller histórico baseado em factos reais”. “Em Portugal, a ditadura perpetuava-se graças ao medo e à repressão da polícia política e a uma guerra em três frentes nas colónias que deixaria marcada uma geração. Um facto desconhecido de muitos portugueses é que durante quase 50 anos existiu uma cidade americana, construída pela CIA, numa zona remota do país, e que tinha como objectivo transmitir, via onda curta, propaganda ocidental para os países do Bloco de Leste.”

Recorda a história real que serve de pano de fundo a Glória