joana espadinha
Fotografia: Joana Linda

À Escuta. Joana Espadinha, Rita Redshoes e Fred entre os destaques da semana

À Escuta, rubrica semanal do Espalha-Factos sobre os lançamentos da música nacional, está de volta e com ela chegam as mais recentes novidades da música portuguesa. Esta semana o destaque vai para os álbuns de Joana Espadinha, Rita Redshoes e Fred, bem como o novo single colaborativo de Tiago Nacarato com Mari Segura. Joana Espadinha Joana Espadinha Joana Espadinha 

Falamos ainda de novos trabalhos como o novo single de Rita Borba, o novo álbum dos The Lemon Lovers bem como a estreia de Julinho KSD nos projetos de longa-duração. Ainda falamos dos novos projetos de DANTEIO, Hazolthag, toubkal, Pedro Soares, Joanna Jago, SmokedFalmon e de Softie.

O tão esperado Ninguém Nos Vai Tirar O Sol de Joana Espadinha

Já podemos ouvir o muito aguardado novo disco de Joana Espadinha, editado pela Valentim de Carvalho, Ninguém Nos Vai Tirar O Sol.

Mesmo que sejamos brindados com chuva, algo que ninguém nos vai tirar é o sol, o brilho que este projeto nos entrega. Através de uma energia sempre jovial, meticulosos e multifacetados arranjos e uma refinada produção, Joana Espadinha abraça o pop com a mais pura tranquilidade e conforto. A artista deu uma entrevista ao Espalha-Factos onde falou do processo de construção do álbum, maternidade, ser mulher e muitos outros assuntos.

O Lado Bom de Rita Redshoes

O Lado Bom de Rita Redshoes é o quinto álbum da artista portuguesa e é o primeiro a ser totalmente em português. Segundo a artista, este é o seu projeto mais pessoal até à data num projeto que diz ser “sobrevivente” por ter sido gravado entre 2018 e 2019 e onde diz relatar na “primeira pessoa, uma das maiores transformações da vida.

“À boleia da maternidade, exploro emoções desconhecidas, exponho dúvidas, muitos medos, certezas e incertezas, antigas e novas, que me permitem uma leitura diferente da vida e da minha existência.
São questões como o papel da mulher na sociedade, agora enquanto mãe, a qualidade dos afetos recebidos e a capacidade de os partilhar, a individualidade, o tempo ou a fragilidade presente na impossibilidade de controlar e proteger o que está fora de nós que definem a pulsação desta história.
Umas vezes quebrada, muitas vezes inteira, eis-me (re)nascida como mãe e pessoa.” Relata a artista portuguesa no comunicado de imprensa do disco.

Em suma, o que recebemos de Lado Bom, para além de um introspeção profunda e pessoal, é também um conjunto aprimorado de arranjos sob delicadas performances vocais que fazem deste disco uma fácil e agradável experiência.

Fred apresenta Series Vol.1 – Madlib

Fred lança o sucessor de O amor encontra-te no fim, lançado em 2019, Series Vol.1 – Madlib, uma espécie de tributo ao lendário produtor norte-americano, Madlib (Otis Jackson Jr.).

Desde o groove à energia, a pegada de Madlib está presente e é logo sentida desde o primeiro segundo. Porém, neste projeto, o baterista pretendeu mergulhar esta mesma estética num nu-jazz afirmado, para isso juntou-se com os músicos Eduardo Cardinho (vibrofone), Tomás Marques (saxofone), Márcio Augusto (baixo) e Karlos Rotsen (piano e teclados) para poder estabelecer a competência e estabelecer este jazz com leves toques de boom bap e eletrónica da forma mais exímia possível. Um álbum de jazz bastante orelhudo.

Tiago Nacarato e Mari Segura mostram como são em ‘Lo Que Soy’

Com uma dinâmica luso-colombiana-brasileira-mexicana marcada pelas influência e origens de ambos os artistas, recebemos ‘Lo Que Soy’ que junta as vozes de Tiago Nacarato e Mari Segura e que conta ainda com um videoclipe realizado por Cláudia Pascoal e Ricardo Leite.

A simbiose entre os dois artistas é tão natural e efetiva quanto a química que as suas vozes possuem com o piano e com as guitarras numa música que nasceu inicialmente de uma improvisação e que explora a forma como tudo aquilo que fazemos diz muito sobre aquilo que somos. O contraste entre as vozes feminina e masculina funciona tão bem como o refrão espanhol e os versos em português que contribuem para o quão dinâmica e versátil esta colaboração é.

Rita Borba conta Até Três’

Rita Borba apresenta o seu mais recente single ‘Até Três’.

Serena, plácida e meticulosa são adjetivos que podemos atribuir a este novo single de Rita Borba. Com uma performance vocal tocante e angelical a música vai florescendo num arranjo que se torna cada vez mais arrojado à medida que a faixa se torna ainda mais cativante neste que é o seu segundo single depois de ‘Chá das Cinco’.

The Lemon Lovers trazem-nos pretend that i care

The Lemons Lovers apresentam o seu terceiro álbum pretend that i care.

Os tons tenebrosos enclausurados nas paredes reconfortantes deste projeto são suficientes para nos prender a estes delicados e texturados arranjos que servem de terra para a voz robusta de João Pedro Silva “brilhar” sob a percussão de Victor Butuc num projeto que finalmente chega a nós depois de adiado devido à pandemia e depois de já neste ano nos terem brindado com o EP Agua del Carmen.

Julinho KSD estreia-se nos álbuns com Sabi na Sabura

Com o final do verão, o calor continua com o lançamento do álbum de estreia de Julinho KSD.

O rapper, que tem vindo a ser um dos mais mediáticos em Portugal desde o lançamento da música ‘Sentimento Safari’, lança este projeto composto por 20 faixas e que conta ainda com as participações de Richie Campbell, Deezy, T-Rex, entre muitos outros. É verdade que um projeto de 1 hora pode afastar muita gente, mas é inegável que a energia infetante e cativante deste projeto não deve passar despercebida.

KIZOMBIE de DANTEIO

Em KIZOMBIE encontramos uma arrojada eletrónica que nos brinda com bons samples, ritmos alucinantes e um groove hiperativo.

Muita competência, desde os blocos percussivos intrigantes aos padrões rítmicos não convencionais numa energia enlouquecedora abrupta que não nos deixa descansado desde o primeiro ao último segundo. DANTEIO demonstra que não deve passar despercebido quando se procura uma boa e competente eletrónica. Destaque para a faixa BOMBA ZOUKLEAR’.

Mais um EP mensal dos Hazolthag com Canis Majoris

O EP mensal dos Hazolthag chega-nos com este Canis Majoris.

Desta vez o Prog Metal transporta-se para o Hard Rock, não é tão efervescente como em projetos passados, mas a postura arrojada e slick continua e a capacidade de entregar-nos riffs sisudos e eletrizantes, com pitadas de stoner, de uma forma sólida e efetiva, são suficientes para continuarmos interessados no que este projeto nos poderá trazer no próximo mês.

Bruno Barreira reforça o reportório de toubkal com o single ‘the wolves’

Guitarras suaves que ajudam a complementar a atmosfera bucólica de uma canção cheia de alma e textura. A fazer lembrar Sufjan Stevens mas longe de suar derivativo ou pouco original, a forma como usa a sua voz para abraçar o arranjo conseguindo ainda assim fazer com que a sua voz ainda sobressaia para entregar uma letra pessoal e tocante.

O single conta ainda com o videoclipe produzido pelo próprio e que foi gravado, escrito e realizado por Tiago Lopes.

Hold Love Hard de Pedro Soares

As meticulosas composições ambientais e de neo-clássica de Pedro Soares estão de volta com o projeto Hold Love Hard.

Os angelicais pianos atribuem uma atmosfera densa e apaziguadora para outros sons e instrumentos proliferarem num mar de serenidade por onde ainda passam uns sopros de experimental e até algum jazz tímido. Para os fãs de ambiente não será nada de novo o que encontrarão, mas é difícil negar que existe muita competência neste projeto que é facilmente um bom cartão de boas-vindas a quem quiser descobrir este género.

O projeto audiovisual Portals de Joanna Jago

Em Portals temos Joanna Jago a entregar-nos uma eletrónica onírica com sintetizadores espaciais e uma percussão rastejante e de alguma forma hipnotizante num trabalho audiovisual que torna esta experiência ainda mais psicoativa, imersiva e que nos mergulha numa meia hora que tem tudo menos de ortodoxo.

SmokedFalmon apresenta Entretanto [EP]

Um som bucólico num projeto inspirado pela vida citadina.

Este EP intrigante desde o conceito até ao efetivo som explora um ambiente que tenta representar meio que um êxodo mental do stress do quotidiano que aliado às letras e ao carácter imersivo deste inesperado projeto que como o artista diz “não fazia parte do plano… Até que numa cadência de eventos inesperados, surge nos fundos de uma cave lisboeta o convite de um complô alienígena embriagado, para juntar uns sons e enviá-los para um lugar onde o olhar atento dos impostos não penetra”, fazem desta uma experiência que não se costuma ver todos os dias.

Softie lança It Had Nothing To Do With Summer

It Had Nothing To Do With Summer é daqueles projetos com uma textura espessa capaz de nos engolir no ambiente repleto de sintetizadores e múltiplas camadas que nos acolhem desde o primeiro ao último segundo. Só temos alguma percussão tímida ao chegar à terceira faixa, de resto estamos presos (satisfatoriamente) neste ambiente gelado (como o próprio nome do projeto indica) em mais um surpreendente trabalho editado pela Eastern Nurseries.