Bad Luck Banging or Loony Porn
Fotografia | Divulgação

IndieLisboa 2021. ‘Bad Luck Banging or Loony Porn’ é um espelho dos tempos modernos

A estreia nacional de Bad Luck Banging or Loony Porn aconteceu na passada segunda feira (23) na 18.ª edição do IndieLisboa

Bad Luck Banging or Loony Porn, a nova longa-metragem de Radu Jude, estreou em Portugal no IndieLisboa. O filme está em competição na secção Silvestre do festival, categoria dedicada a “obras que rejeitam fórmulas consagradas”.

Radu Jude é um dos nomes maiores da nova vaga do cinema romeno e as obras cinematográficas do cineasta são uma presença assídua no IndieLisboa. A curta Lampa Cu Caciula venceu a competição em 2007, assim como a longa, Aferim! que esteve a concurso em 2015 e arrecadou o grande prémio desse ano. Bad Luck Banging or Loony Porn venceu o Urso de Ouro na última edição do Festival de Cinema de Berlim.

O filme começa com uma sextape que, sem ninguém saber bem como, vai parar à internet e torna-se viral. Em causa está a vida e a carreira de Emi (Katia Pascariu), uma professora de uma reputada escola, que se vê pressionada pelos pais dos alunos a apresentar a sua demissão.

Esta obra do cinema romeno divide-se em três partes, duas ficcionais e um documentário que as liga, de forma genial, entre si. Na primeira parte acompanhamos Emi no período que antecede a reunião que ditará o seu futuro, o estado de nervos em que se encontra a professora é nos transmitido pelos movimentos bruscos da câmara, que a acompanha num cirandar pelas ruas de Bucareste, em plena pandemia, tornando-a parte da paisagem urbana. Neste percurso apercebemo-nos de uma sociedade em ebulição, com discussões violentas no supermercado, atropelamentos, gritos e empurrões.

Bad Lucky banging or loony porn
Fotografia: Divulgação/ IMDb

A segunda parte é um dicionário assumidamente irónico, mórbido e provocador. Jude fez um trabalho incrível ao associar imagens de arquivo a palavras de A a Z, cujos significados estão relacionados com o contexto social, histórico e político da Roménia, bem como com as idiossincrasias do seu povo. Embora, o intenção do cineasta tenha sido a satirização do povo do seu país, penso que neste dicionário estão bem representadas as contradições e a estupidez, uma idiossincrasia de qualquer ser humano.

Hoje em dia julgas, logo existes 

Na última parte do filme, assistimos ao “julgamento” da professora pelos pais dos seus alunos, onde Radu Jude utiliza a definição de cinema do dicionário por ele elaborado, este “reflete os horrores do mundo para nós, o qual somos demasiado amedrontados para o olhar na sua realidade.” – e é isto que ele fez nesta terceira parte, rasga a sociedade contemporânea de alto a baixo. Enquanto Emi é atacada pelo vídeo que fez que, segundo aqueles pais, colocam a sua moralidade em causa, os próprios utilizam argumentos carregados de discurso de ódio, extremista, misógino, homofóbico e até com algumas teorias da conspiração à mistura. Este julgamento é um retrato cru da sociedade dos nossos dias, onde és julgado e julgas por tudo, ou seja mais um dia normal no twitter.

Bad Luck Banging or Loony Porn
Julgamento de Emi
Fotografia: Divulgação/ IMDb

Bad Luck Banging or Loony Porn é um filme provocador e ousado desde a primeira cena até ao último segundo, onde o realizador nos está constantemente a pôr à prova. Uma experiência cinematográfica arrojada, com reflexões mordazes, como a ténue e difícil separação entre o online e o offline ou o relacionamento em sociedade, mas com muitas outras que nos deixam desconfortáveis a qualquer momento.

Tal como a vida, este é um filme trágico e cómico no seu esplendor.

 

Bad Luck Banging or Loony Porn
8.5