Fotografia: Divulgação

Carlos Vaz Marques abandona TSF e processa o grupo Global Media

O anúncio foi feito nas redes sociais do jornalista.

O jornalista Carlos Vaz Marques, autor de programas como O Livro do Dia, Pessoal e… Transmissível e moderador do Governo Sombra, anunciou esta terça-feira a sua saída da rádio TSF.

O anúncio foi feito através das páginas do Facebook e Instagram do jornalista, onde Carlos Vaz Marques acusa a Global Media Group, grupo detentor da TSF, de “bullying profissional”.

Nunca pensei, ao fim de mais três décadas de dedicação, vir a ser colocado pelo Global Media Group, actual detentor da marca TSF, na situação atentatória da minha dignidade profissional a que estive sujeito nos últimos meses. Uma situação que não posso continuar a aceitar; por respeito pelo legado histórico da TSF, em memória do esforço daqueles com quem ajudei a construir uma marca de referência e, acima de tudo, pela minha dignidade pessoal e profissional ”, escreve.

Carlos Vaz Marques expressa ainda a intenção de processar o grupo detentor da TSF, onde trabalhava há mais de 31 anos. “Perante isto e mais um punhado de circunstâncias que constarão do processo que seguirá os trâmites legais adequados, decidi ser tempo de não aceitar mais ofensas à minha honra e dignidade profissional. A minha relação com o Global Media Group, actual detentor da marca TSF, lamentavelmente terá de ser resolvida em tribunal”, pode ler-se nas páginas do jornalista.

Lê também: Scarlett Johansson junta-se ao elenco do novo filme de Wes Anderson

Em Junho, jornalistas da Global Media Group uniram-se para tomar uma posição contra a administração, relativamente aos cortes de custos, internos e externos. A pressão editorial resultou na demissão das diretoras do Diário de Notícias e Jornal de Notícias do Conselho de Administração.

Carlos Vaz Marques tornou-se jornalista na TSF em 1990, depois de passar pelo Jornal de Letras e a Rádio Universidade Tejo. Desde então tem trabalhado em diversos projetos, como o Pessoal… e Transmissível, o seu primeiro projeto individual radiofónico; o Governo Sombra, um programa sobre a atualidade sob a lente do humor, transmitido também na SIC; e o Livro do Dia, programa que procura ser a “montra priviligiada do que melhor se dita em Portugal”