Sexta-feira 13 foi dia de sorte para ‘Amor Amor’

A manhã começou renhida mas o final do dia deu clara preferência à SIC

A sexta-feira 13 foi um dia diferente na televisão portuguesa, com a RTP1 a ganhar ainda mais destaque durante o dia. À Volta a Portugal juntou-se a transmissão das celebrações, a partir de Fátima, da Peregrinação Internacional do Migrante. No horário nobre, Amor Amor recuperou a vantagem.

A emissão da manhã começou, como habitual, com liderança do canal público. O Bom Dia Portugal (1,3% / 15,7%) ficou em primeiro, num dia em que a SIC foi a mínimos com Edição da Manhã (0,2% / 4,3%) e viu Alô Portugal (0,9% / 8,1%) fraquejar. Esta Manhã (1,1% / 12%) foi segundo sem incomodar.

Depois disso, é que as contas foram diferentes. De rosário na mão, o canal público viu as celebrações a atrapalhar os canais privados. Dois às 10 (3% / 14,7%) liderou na primeira hora, mas numa situação próxima do empate com os dois concorrentes. Depois disso, a Peregrinação Internacional do Migrante (3% / 15%) foi líder até perto das 12h30. Nos totais desta faixa horária, a liderança voltou a pertencer à Casa Feliz (3,5% / 16,3%), que chegou ao segundo lugar a partir do meio da manhã e se consolidou no primeiro lugar nos últimos 30 minutos de emissão.

Tarde disputada com Volta a liderar

O início da tarde continua a dividir preferências. A Única Mulher (4,5% / 18%) terminou a vencer Linha Aberta (4,5% / 17,9%) por uma margem mínima. Quando estes dois programas terminaram, os espectadores fixaram a preferência na etapa da 82.ª Volta a Portugal (5% / 19,3%) que termina já este sábado (15).

Contas feitas, foi o programa mais visto da tarde de sexta-feira com uma audiência média de 470 mil e 700 espectadores, continuando a prejudicar as audiências dos habitués Goucha (3,9% / 14,6%) e Júlia (3,8% / 14,3%), que em férias e edições repetidas, tem alcançado valores abaixo da média anual.

SIC lidera nos horários de maior consumo

A partir das 18h, a SIC manteve-se consistentemente em primeiro lugar. Viver a Vida (5,8% / 19,8%) e Orgulho & Paixão (5,4% / 18,1%) foram os programas mais vistos durante toda a transmissão.

Já o Amor Acontece travou a tendência de subida do dia anterior. O primeiro segmento A Discussão (4,8% / 16,2%) continua a ser o que mais se destaca e conquistou o segundo lugar, ficando o terceiro para Portugal em Directo (3,7% / 12,8%). Já o Diário (4,8% / 14,5%) caiu para último lugar nas preferências, contra o diário de Quem Quer Namorar com o Agricultor (7,3% / 21,5%) e O Preço Certo (6,1% / 18,2%), em período de férias e com programas em repetição.

À noite, Amor, Amor (12,8% / 27,4%) terminou em primeiro lugar em mais uma semana de disputa acesa com Festa é Festa (10,7% / 22,8%).

A ficção das privadas teve vitória da Três. A Serra (11,3% / 27,5%) perdeu espectadores para Bem me Quer (10,3% / 24,1%) apenas no intervalo. Já Amar Demais (8,9% / 23,5%) foi a mais vista apenas durante a transmissão de Quem Quer Namorar com a Agricultora (8,2% / 22,5%).

A repetição de Mulheres (3,7% / 15,5%) não conseguiu sair na dianteira e o primeiro lugar só voltou a ser da TVI por um curto espaço de tempo com o Amor Acontece: Diário da Noite (1,8% / 12,2%) tendo escapado novamente com o início de Golpe de Sorte: Edição Especial (1,1% / 8,4%).

No total de mais um dia de vai e vem, a SIC mantém a liderança com 18,9% de share, seguida pela TVI com 16,4%. Ao contrário das privadas, que têm vindo a registar valores abaixo da média anual, normais para este período de férias, a RTP1 e RTP2 mantém-se mais perto, e por vezes até acima dessa média. Registaram respetivamente 11,9% e 1,2% de share.

Outros destaques:

  • A informação da SIC soma e segue, como o Primeiro Jornal (7,4% / 24,7%) e o Jornal da Noite (10,5% / 25,1%) a serem líderes destacados;
  • O segmento Volta a Portugal: Heróis do Dia registou o melhor valor da sua transmissão (3,5% / 13,7%)
  • As noites de repetições da RTP continuam a não convencer: Crónica dos Bons Malandros marcou o valor mais baixo (1,7% / 4,1%) e a repetição de Quem Quer ser Milionário: Alta Pressão (4,3% / 9,4%) e de O Atentado (1,2% / 3,4%) manteve a estação pública bem longe das privadas.