Pedro de Tróia - Depois Logo Se Vê

À Escuta. Colaboração entre Pedro de Tróia e Rui Reininho entre as novidades

O À Escuta, rubrica semanal do Espalha-Factos que destaca as novidades musicais da semana, regressa com a colaboração de Pedro de Tróia e Rui Reininho como manchete. Para além desta dupla, esta edição conta ainda com a homenagem de Sam The Kid a Valete, materializada num disco de “reimaginações” e a colaboração entre Rodrigo Leão e Kurt Wagner, frontman dos Lambchop. Os novos singles de Tainá, Marco Rodrigues e T-REx, o novo disco de LEFT e a estreia de Nazaré da Silva também preencheram a semana.

Rui Reininho junta-se a Pedro de Tróia em ‘Carrossel’

Carrossel‘ é o novo single de Pedro de Tróia e primeiro avanço do segundo disco em nome próprio, Tinha de Ser AssimPara esta canção, rica em pop e movida a teclas e sintetizadores, a one-man band conta com a inconfundível voz de Rui Reininho, que torna esta viagem ainda mais airosa. O refrão aparece em loop, continuando canção fora pelas vozes de Catarina Lynce e Rita Laranjeira.

É para muitos um ícone, para mim uma escola e para si mesmo a natureza, com certeza – o Rui é uma referência transgeracional, na escrita, na música, no espetáculo, nas respostas, no olhar, no saber, no perder, no viver e no fazer sentir“, escreve Pedro de Tróia. A admiração que sente sangra nas palavras que escreve e percebemos que não poderia ter sido outro senão Rui Reininho a ajudar a dar vida a esta belíssima canção.

Tiago Brito produziu e gravou, juntamente com Bernardo Barata e João Moreira, Artur David misturou e Ars Lindberg masterizou. Regressa a maestria lírica de Pedro de Tróia, que já antes nos presenteara com canções inolvidáveis, como ‘Embaraçado‘, uma das canções memoráveis de Depois Logo Se Vê, a sua primeira empreitada a solo. Ao fim ao cabo, os talentos de Pedro de Tróia e equipa complementam-se nesta que é uma das canções pop mais bem conseguidas do ano – para ouvir, preferencialmente, de madrugada.

Músicas de Valete reimaginadas por Sam The Kid em Um Café e a Conta

No aniversário de Sam The Kid, quem recebeu a prenda foi Valete. Um Café e a Conta é o novo projeto discográfico do rapper de Chelas pensado e desenvolvido ao longo de dez anos, onde se pretende uma homenagem a – a par do seu– outro nome incontornável do rap português, Valete. Esta homenagem conta com 20 canções: é uma reimaginação da obra do Valete“, diz o próprio Samuel Mira. “Este é um trabalho feito ao longo de dez anos, usando as vozes do Valete como matéria que resultou em Um Café e a Conta.”

Esta expressão de gratidão e amizade começou em Entradas, no Alentejo, onde “um café e a conta” era o pedido mais frequente de Sam The Kid nos restaurantes. “Crescemos juntos e passámos ‘bué’ tempo a partilhar coisas juntos, mas também gosto de perceber que somos muito diferentes e isso é muito bonito“, pode-se ouvir Valete a dizer na última canção do disco, ‘Obra‘, editada pela primeira vez com o título ‘Samuel Mira‘, uma homenagem de Valete para Sam The Kid. Os papéis agora invertem-se, continuando a ser notável o companheirismo e a qualidade musical desta dupla imbatível do rap tuga.

Tainá regressa com ‘Peito Dividido’

Peito Dividido é a mais recente canção de Tainá, a artista brasileira que tem vindo a conquistar o seu merecido espaço no panorama musical português, sobretudo depois da sua participação no Festival da Canção de 2021. Tainá, regressa assim, aos temas originais – já tem um álbum editado, homónimo, de 2019, e esperamos ansiosamente pelo próximo.

Tainá tem vindo a cativar o público europeu com a sua voz doce e brandos ritmos – acompanhada sempre da guitarra, fica-nos a imagem do repouso e das belas paisagens que as suas músicas, ‘Peito Dividido’ incluída, pintam. Nesta, regressa a casa cheia de melancolia, sentimento partilhado por todos aqueles que tiveram de partir para conseguirem crescer: “Por muitos anos / Que eu não vou ali / Estou me formando / Para criar raiz“.

Lê também – One Direction. Uma história repleta de sucessos e conquistas

Perspective é o primeiro longa-duração de LEFT.

Perspective é o primeiro longa-duração de LEFT., projeto a solo de António Graça, de quem já conhecíamos os singlesCleopatra‘ e ‘I’m With You‘, lançados ao longo do primeiro semestre deste ano, e várias outras canções que acabaram por entrar nesta empreitada. Composto por 14 canções, Perspective vem estabelecer-se enquanto matéria indispensável da pop nacional atual – António Graça mostra uma frescura necessária, as componentes eletrónicas vêm abrir caminho para uma exploração mais a fundo das canções, fazendo jus à indagação da “perspetiva“.

A importância da perspetiva no meu processo de criar, pensar e viver nestes últimos anos tem sido, no fundo, tudo (…) esta exploração deu-me uma noção valiosa, que quis transpirar com este álbum: se tudo é perspetiva, eu sou livre de viajar com ela. Eu vou sempre ter a minha forma de ver o mundo e as minhas limitações, mas nada me impede de explorar outras formas de ver e viver, especialmente se a minha já não fizer sentido.”, conta LEFT. na publicação onde apresenta o novo disco. Perspective é como que separado por três atos, com canções que, apesar de mostrarem o seu valor enquanto stand-alones, mostram-se ainda mais maciças quando ouvidas de fio a pavio.

Marco Rodrigues edita ‘Fado Fantasma

A letra é de Maria do Rosário Pedreira, a partir do fado ‘Cansaço‘, de Luís Macedo, criado antes por Amália. A melodia que se ouve é o ‘Fado Tango‘, de Joaquim Campos – letra e melodia juntas formam ‘Fado Fantasma‘, cuja emotividade atinge o pico na interpretação do fadista Marco Rodrigues. A canção fala de um amor incondicional que desvanece, de onde resta apenas uma sombra. “Quando se pensa num amor de mãe e filho pensa-se numa coisa eterna e efetivamente ficou só um fantasma, um cheiro, uma sombra, porque a pessoa já não está cá. Sem que o poema tenha sido pensado para dedicar à minha mãe, neste momento faz ainda mais sentido cantá-lo“, confessa Marco.

‘Fado Fantasma‘ é uma das primeiras amostras do próximo disco do fadista, que conta com uma carreira vasta e reconhecida Portugal fora. O videoclipe que acompanha a canção foi realizado por André Tentugal, no Teatro Taborda, em Lisboa.

Volta‘ é o novo single de T-Rex

‘Volta é o mais recente single do rapper T-Rex e compõe mais um avanço do primeiro disco, Cor D’Água, com edição agendada para o final do ano. Uma declaração de amor epistolar, ‘Volta‘ “foi a forma que arranjei de transmitir o que para mim é o verdadeiro amor. Pensar no futuro e, se não houver futuro, amor também significa deixar a outra pessoa partir. (…) O importante é ser-se rio e continuarmos a fluir“, diz-nos Daniel Benjamim, o nome por trás do projeto que tem vindo a marcar uma posição cada vez mais marcante na música lusófona.

Acompanha-se por um videoclipe que vai de encontro com a estética da canção, realizado por Cláudia Batalhão e Flávio de Sousa nas  paisagens das Bardenas Reales, em Espanha.

Rodrigo Leão e Kurt Wagner juntos no single Who Can Resist’

Após a edição de ‘Friend of a Friend‘, já em 2021, o músico alentejano Rodrigo Leão regressa com Who Can Resist, o segundo avanço do disco A Estranha Beleza da Vida, com lançamento marcado para outubro. Nesta canção, Rodrigo conta com a participação de Kurt Wagner, front-man da banda americana Lambchop, na letra e voz. “[Rodrigo Leão] procurou uma voz masculina com que se pudesse identificar e que servisse de seu “alter ego” – “e a voz espessa de Kurt Wagner cativou-me imediatamente. Ele prontificou-se muito amavelmente para fazer a letra e cantar o tema, foi um privilégio poder contar com ele.

O que resulta desta junção é uma canção angelical, cuja letra é iluminada pela voz peculiar de Kurt e pelos belos arranjos que floreiam ‘Who Can Resist’. O tema da canção parece ir perfeitamente de encontro com aquele que Rodrigo Leão descreve como sendo o mote principal do disco onde estará inserido: “a liberdade de podermos tentar criar sem barreiras, sem limites.”

Gingko é o disco de estreia de Nazaré da Silva

Gingko marca a estreia da artista Nazaré da Silva, recém-licenciada pela Escola Superior de Música em Lisboa. Com raízes bem assentes no mundo musical, cresceu envolta de música e agora apresenta o seu primeiro projeto. Editado com selo da Robalo Music, Gingko é uma viagem pela alma do jazz. ‘Gingko‘ abre o disco, passamos por ‘Tristo‘, ‘Canção Sem Jardim‘, ‘Lisboa, 1936′ e estacionamos em ‘Um Nome‘ – qualquer leigo se rende à beleza do jazz, e o que fica no final é a vontade de ouvir mais de Nazaré.

Mas as referências de Gingko não se cingem ao jazz. Em entrevista à revista jazz.pt, Nazaré da Silva enumera como principais inspirações os cantautores portugueses, desde Zeca a Sérgio Godinho, a cantora Filipa Pais, nomes da Música Popular Brasileira, como Elis Regina ou Tom Jobim e as incontornáveis Joni Mitchell e Kate Bush.

Sara Cruz apresenta ‘Sunday Riddles’

Sunday Riddles‘ é o novo single da açoreana Sara Cruz, que se apresentou pela primeira vez em 2018 com o EP Above Our Heads, e preencheu 2019 e 2020 com várias canções originais. ‘Sunday Riddles‘ espelha bem o sentimento solitário de fim de domingo, mas não se cinge a isto. Reflete também a solidão em que vivemos, mesmo quando acompanhados – forma-se o enigma: “Oh we’re all lonely / Lonely trying to hide it“.

A canção, escrita e composta por Sara, que toca também guitarra acústica, conta com a participação de Luar (Alberto Hernández) na produção e guitarra elétrica, Francisco Santos na bateria, Pedro Silva no baixo, Stephen Sims nos coros e Vitor Carraca Teixeira na masterização. O videoclipe realizado ficou a cargo da Cão de Fila Produções.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.