MotelX 2021
Cartaz da 15.ª do MOTELX / Fotografia: MOTELX

MOTELX. 15.ª edição marcada pelo movimento #MeToo e pela Guerra Colonial

A 15.ª edição do MOTELX, Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, começa a 7 de setembro e estende-se até dia 13 do mesmo mês. A organização lançou a programação de 2021, entre outras novidades. A apresentação foi feita na quarta-feira (21 de julho), no Cinema São Jorge, em Lisboa.

A abertura do festival de cinema de terror é marcada pela antestreia do filme The Green Knight, de 2021, do realizador David Lowery, com o ator Dev Patel no papel principal. A Lenda do Cavaleiro Verde, em português, é uma nova versão da história medieval de Dom Galvão e do Cavaleiro Verde, um romance escrito no século XIV, na Idade Média, sobre um cavaleiro da tábua redonda, sobrinho do rei Artur.

MOTELX 2021
Cinema São Jorge / Fotografia: MOTELX

Contra estereótipos de género e o racismo

Esta edição do MOTELX terá duas inspirações principais. A primeira é o movimento #MeToo, para mostrar que as mulheres fazem, produzem e são as protagonistas de histórias de terror. Assim, a competição conta com “filmes feministas” como Black Medusa, de Ismaël e Youssef Chebbi; e Violation, de Madeleine Sims-Fewer e Dusty Mancinell, segundo o festival.

Este programa, dedicado às mulheres no cinema de terror, chama-se Fúria Assassina – Mulheres Serial Killer, e conta com uma “retrospetiva” dos “escassos filmes de serial killer mulheres“. Entre esses poucos exemplos serão apresentados A Condessa Sangrenta, filme de 2009 realizado por Julie Deply; Monster, de 2004, com realização e interpretação de Charlize Theron; Base-Moi, de 2000, das realizadoras Virginie Despentes e Coralie Trinh Thi; Audition, de 1999, realizado por Takashi Miike; e Serial Mom, o filme mais antigo a ser apresentado, realizado em 1994 por John Waters.

A segunda maior inspiração da 15.ª edição do MOTELX é o aniversário de 60 anos da Guerra Colonial. Este passado não tão distante como se possa pensar vai ser recordado com a trilogia inacabada O Coração das Trevas, de Tino Navarro e Joaquim Leitão, realizada e produzida durante a década de 1990.

A trilogia é composta por Inferno, de 1999, que retrata o período posterior à guerra e como foi vivida pelos veteranos; Purgatório, de 2006, que se passa num bombardeamento em África; e Paraíso, último filme que trata a vida de jovens momentos antes do seu alistamento. Contudo, o último filme nunca foi terminado.

MOTELX 2021
Apresentação da 15.ª edição do MOTELX / Fotografia: MOTELX

Pelo terror nacional e internacional

A organização do festival destaca ainda os filmes Um Fio de Baba Escarlate, do português Carlos Conceição, realizado no ano passado e A Glitch in the Matrix, o novo documentário de Rodney Ascher, também de 2020, que fala sobre “uma ideia cada vez mais levada a sério pelo mundo científico e filosófico, a de que a realidade é uma simulação de computador“, descreve o MOTELX, em comunicado.

E, como não podia deixar de ser, a pandemia não passou ao lado do festival e torna-se na personagem principal de The Sadness, filme de 2021 “em que o vírus promove uma regressão civilizacional“.

Na secção Lobo Mau do festival, os espectadores podem ver filmes como The Amusent Park, filme de 1973, e a Viagem de Chihiro, na celebração do vigésimo aniversário do clássico dos estúdios Ghibli, realizado em 2001 por Hayao Miyazaki.

A secção Curtas Internacionais tem sete filmes anunciados, entre eles o já premiado A Terra do Não Retorno, de Patrick Mendes. O realizador venceu o prémio Melhor Curta de Terror Portuguesa, na primeira edição do prémio, em 2009. Outra curta-metragem nomeada em destaque este ano é  Lobo Solitário, de Filipe Melo.

MOTELX 2021
Apresentação da 15ª edição do festival / Fotografia: MOTELX

MOTELX aposta no apoio aos cineastas portugueses

As Vizões do Ego – Uma Encenação Pictórica de Edgar Pêra é a estreia do cineasta português pela pintura. A exibição, com dramatização luminotécnica de Rui Monteiro e banda sonora de Artur Cyaneto, pode ser vista na Warm-Up que antecede o festival, de 2 a 4 de setembro. A Warm-Up vai passar pelo Convento de São Pedro de Alcântara com o espetáculo RAPSODO, com a atuação dos atores Maria João Luís e Miguel Borges, entre outros, para além de banda sonora de Noiserv. Por último, a habitual sessão de cinema ao ar livre vai acontecer no Largo Trindade Coelho.

De entre as novidades da edição de 2021 do festival, encontra-se a oficialização da secção X, “um novo espaço de divulgação do cinema de terror mais experimental e underground“, afirma a organização, no mesmo comunicado.

O prémio MOTELX para Melhor Curta de Terror Portuguesa / Méliès d’Argent vai ser apoiado pela Santa Casa da Misericórdia, pela primeira vez. O valor monetário do prémio chega aos 5000 euros e “é o maior atribuído a curtas-metragens em Portugal” e os concorrentes serão anunciados no próximo mês de agosto.

Para divulgar o mais possível os filmes que forem selecionados, o festival fechou uma parceria com os cinemas NOS. A parceria, chamada A Volta a Portugal MOTELX nos Cinemas NOS começa logo depois do fim do festival, para levar os filmes vencedores “de norte a sul do país, litoral e interior“.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.