ristina Comvida é o novo programa de Cristina Ferreira na TVI às 19h.
TVI / Divulgação

Opinião. Em que deram as trocas e baldrocas da TVI?

Esta quarta-feira (15), a TVI decidiu “trocar as voltas” aos espectadores e alterar os apresentadores habituais de cada programa diário do canal. O resultado não foi bom para quase nenhum dos formatos.

Cristina Ferreira quis mostrar um canal capaz de inovar e de surpreender os espectadores. Além disso, pareceu-me que houve também uma tentativa de experimentar apresentadores em vários formatos e vários horários.

À primeira vista, a ideia até parece boa. Contudo, se avaliarmos bem a situação, foi mais um erro da Diretora de Entretenimento e Ficção, que não aprendeu nada com o fracassado Dia de Cristina.

O público que está atualmente disponível para ver televisão ao longo do dia não está à espera de ver trocas e baldrocas. Se liga o televisor de manhã, é para ver o Cláudio Ramos e a Maria Botelho Moniz, e não Cristina Ferreira no cenário que pertence ao Dois às 10. Neste caso, a apresentadora foi demasiado óbvia e, uma vez mais, saiu-lhe o tiro pela culatra, ao não conseguir vencer o Casa Feliz, da SIC.

Por conseguinte, se o espectador ou espectadora liga o televisor de tarde, na TVI, é para ver Manuel Luís Goucha e não Nuno Eiró, por muito bem que este tenha feito a substituição.

Tudo isto agrava-se porque a estação de Queluz de Baixo não está a vencer e não pode fazer este género de aventuras. É preciso tempo, muito tempo, para que o público se adapte aos novos rostos do daytime e aos seus novos horários. Nem a SIC, que vence habitualmente as audiências ao longo do dia, pode dar-se ao luxo de fazer este género de eventos. Diana Chaves, João Baião e Júlia Pinheiro ganham com frequência, mas estão muito longe de serem invencíveis.

As voltas foram trocadas e o público não correspondeu. Provavelmente, foi a primeira e última vez que Cristina brincou desta forma com os programas da TVI.

Terra Nossa

Terra Nossa
João Maria C/SIC

O programa de César Mourão é brilhante, sobretudo pela genialidade do humorista. Ainda assim, insistir em repetições sábado após sábado até tem dado frutos, mas um dia, mesmo que se trate de um inédito, pode acabar por cansar ou perder valor.

Clara nos Globos

Clara de Sousa - Globos de Ouro
Tiago Caramujo/SIC

A escolha de Clara de Sousa para apresentar os Globos de Ouro é, no mínimo, brilhante. Com esta escolha, a SIC evita comparações à prestação de Cristina Ferreira, ao passo que imprime outra índole à gala. Provavelmente num tom mais sério, com glamour, mas sem exageros e vedetismos.

Ouve também: