Buraka Som Sistema

À Escuta. Buraka voltam a dar som ao sistema em semana de singles de verão

O À Escuta, rubrica semanal de lançamentos do Espalha-Factos, está de regresso com as novidades musicais editadas Portugal-fora. Distinguimos o disco que imortaliza o último concerto de Buraka Som Sistema e o novo EP dos The Lemon Lovers como as principais novidades da semana.

Temos, ainda, novos singles de Duarte Papel, 10 000 Russos, Nana Lourdes, T-Rex, UAU, OK, Garcia, Cavalo Amarelo e Montanha Mágica. O novo disco de Tekilla, o EP de SmokedFalcon e o musical Lisboawood, que passa agora a estar disponível nas plataformas de streaming, também compõem as novidades da semana.

Buraka Som Sistema: o último concerto do grupo, imortalizado

A 1 de julho de 2016 dava-se o último concerto de sempre dos Buraka Som Sistema, nos Jardins da Torre de Belém. Quatro anos depois, é-nos disponibilizada a gravação do evento. As canções mais famosas e mais desejadas pelo público ao longo dos dez anos da banda foram tocadas. Dificilmente teremos oportunidade de ouvi-las em concerto novamente, e fica aqui a recordação para a posteridade. Após remasterização, Buraka 4 Ever está disponível nas plataformas digitais e em formato vinil 12” – ‘Hangover (Bababa)’, ‘Kalemba (Wegue Wegue)’, ‘Vuvuzela’ e ‘Lights Off‘ são algumas das canções que podem ser ouvidas nesta versão.

Em 2016, Kalaf, um dos integrantes dos Buraka, afirmava: “Sentimos que Lisboa atravessa um bom momento, vive o seu momento mais criativo no que toca à música de dança. Há dez anos não falávamos de kizomba e kuduro, como música do ‘top’ dez português, e hoje isso acontece”, algo que continua a verificar-se com a ascensão de cada vez mais artistas a explorarem estas sonoridades.

Agua Del Carmen é o novo EP de The Lemon Lovers

Seis canções, uma viagem ao deserto espanhol. Agua Del Carmen surge do rescaldo de uma viagem ao deserto de Tabernas, em Espanha – encantados, a banda portuense não teve outra escolha senão compor. A solidão não é mascarada: em ‘Solencia’, Arianna Casellas canta e chora amargurada a meios a guitarrada flamenca; a última canção, ‘Saguaro‘, instrumental, é banda sonora dos arbustos secos. Os seis temas, gravados em quatro pistas, quatro microfones formam o EP das tardes calorentas de verão.

O EP foi misturado e masterizado por João Bessa nos Estúdios Miramar Sessions, e está disponível também em cassettes (edição limitada de 75 unidades), disponíveis no bandcamp da banda.

Duarte Papel apresenta ‘Tanta Pressa Para Quê?”

Tanta Pressa Para Quê’ é o novo single de Duarte Papel. O músico natural de Coimbra estreou-se em 2018 com o álbum Teoria dos Corações Desapontados e, desde então, tem vindo a aprimorar a sua técnica. Regressa agora, três anos mais tarde, com o seu primeiro single, ‘Tanta Pressa Para Quê’, a que chama um “hino à descontração“. Marcado por influências marcadamente pop com uma boa dose de 80’s disco, a canção deixa-nos uma lição desembaraçada: “Passa tão depressa / Vou aproveitar enquanto dura”.

A Duarte Papel juntam-se Miguel Pinheiro Marques, da Arda Records, que masterizou o single; os Holygrail ficaram a cargo da produção e o vídeoclipe foi um esforço conjunto entre o músico de João Vaz (Maus da Fita).

Banda sonora da peça musical Lisboawood disponível nas plataformas de streaming

O musical que junta a banda lisboeta Zarco e a companhia de teatro As Crianças LoucasLisboawood, pode agora ser ouvido nas plataformas de streaming. Com encenação de João Cachola e banda sonora de Zarco, Lisboawood reflete sobre a gentrificação e o fluxo turístico que obriga a cidade a adaptar-se ao ritmo alucinante. Caracterizada como uma rock-operaLisboawood pretende, segundo o encenador, ser “um símbolo alegre apesar da tormenta”, algo que se reflete nas 22 canções interpretadas ao longo do espetáculo.

Super Inertia‘, o single de antevisão do novo disco de 10 000 Russos

Guitarras a postos, eco sonante – os 10 000 Russos estão de volta. O trio experimental está de regresso com o primeiro single do projeto Superinertia, com data de edição marcada para 10 de setembro pela londrina Fuzz Records. Com este single, o trio composto por João Pimenta, Pedro Pestana e Nils Meisel, pretende denunciar a “inércia em que os humanos vivem no Ocidente nos dias de hoje“. Fazem-no através do pós-punk que os caracteriza, carregado de fuzz e guitarras psicadélicas. O videoclipe, com mão de Pedro Fonseca, é em si uma viagem (altamente recomendada).

Made Your Mama Cry‘ é o novo single de Nana Lourdes

Nana Lourdes, nome artístico de Adriana Caldas de Barros, é uma das novidades inesperadas desta semana. O primeiro single, ‘R.D.L‘, foi lançado em meados do ano passado e, desde então, a artista portuguesa não tem parado de produzir. ‘Made Your Mama Cry‘ é o terceiro single que edita em 2021. Gravada na sua casa de infância no norte de Portugal, ‘Made Your Mama Cry‘ abre com uma aura lo-fi mas expande-se para um som marcadamente pop, bebendo de influências do início dos anos 2000. A autodidata menciona Britney Spears, Gwen Stefani e LeAnn Rimes como algumas das suas maiores inspirações.

Lê também – Netflix. Conhece as estreias e destaques que vêm animar julho

T-Rex antecipa concertos com lançamento duplo

T-Rex contribuiu em dose dupla nesta semana de lançamentos com a edição de ‘É Assim‘ e ‘GUUD‘, dois singles que apresenta em antecipação do concerto que dará no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa, nos dias 23 (que já esgotado) e 24 de julho. Daniel Benjamim de nascença é rapper e multi-instrumentalista: começou na guitarra, mas é sentado à bateria que se sente mais confortável. A carreira de rapper deu os primeiros passos em 2011 e, desde então, tem feito várias colaborações – a mais premente sendo a participação no coletivo Máfia73, comDVK, Demme, Kush e Pimp William.

Estes dois novos lançamentos, ‘É Assim‘ e ‘GUUD‘ vêm confirmar a ascensão de T-Rex no panorama do rap nacional. Ambas as canções estrearam-se com suporte visual – a primeira tem um videoclipe realizado por We The Gang Records e Clout e a segunda surgiu em formato visualizer, também realizado por Clout.

‘Danças, Demónios, Etc.’ é o novo dos UAU, OK

Os UAU, OK caracterizam-se como “um lugar a que todos vamos de vez em quando, o alimentar da ínfima esperança que resta no fundo da desilusão”. Em ‘Danças, Demónios, Etc.’, Vasco Reis Ruivo e Danny G pintam a realidade em tons sombrios. A voz inconfundível lamenta-se e quando a batida cai, a guitarra junta-se à risada uníssona que assombra o quotidiano repete: “Somos a sombra esquizóide num pátio sem luz / E domamos as feras“.

SmokedFalmon apresenta o EP Entretanto

Entretanto é o mais recente EP de SmokedFalmon, nome artístico de Nuno Falé que pretende explorar paisagens sonoras inspiradas por “experiências vividas em viagens profundas dentro do reino psicadélico“. Composto por quatro canções, três delas instrumentais, Entretanto é uma experiência sonora diferenciada, composta por uma simbiose de ideias acumuladas. Em ‘The birth of a libra‘, a primeira canção do EP, SmokedFalmon repete: “Eu vi o mar / Do outro lado / Vim a voar“. De alguma maneira, este mantra parece ressoar nas restantes canções, resultados de “sons pescados de um vasto mar” que se compôs entre “entre pausas do café, horas de almoço e longas esperas no trânsito”.

O Famigerado Quebra-Corações‘ é o novo single de Garcia

O ritmo de blues lança o mote desta deliciosa canção de Garcia, um dos mais virtuosos guitarristas nacionais. ‘O Famigerado Quebra-Corações‘ é o primeiro single de avanço do novo projeto, a ser editado em setembro deste ano, e é uma homenagem ao escritor e prolífico letrista Carlos Tê. Ginga não lhe falta e fica a vontade de conhecer as demais canções que virão a ser “um tributo de Garcia aos que escrevem e compõem, aos autores, mas também a quem escuta e sabe escutar canções”. O novo disco promete ser “uma viagem às primeiras memórias de curiosidade em conhecer quem está por de trás das criações, de descobrir as suas motivações e inspirações“.

Olhos de Vidro é o novo disco de Tekilla

Olhos de Vidro marca o regresso do rapper Tekilla às edições discográficas e faz uma “uma retrospectiva musical que começa com a sua primeira mixtape em 1995 até aos dias de hoje. Dino d’Santiago, Sara SoulfullPapillonAugust BernardAmauraAna Semedo preenchem as participações especiais e a produção do disco ficou a cargo de Fred Ferreira.

Olhos de Vidro é um disco biográfico que explora a vida de Telmo Galeano, a cara por trás do projeto, e o seu mundo idealizado – passa pelo hip-hop, pela moda e pela cultura do skate através de influências da afro-pop, do soul, R&B e do hip-hop. “A minha finalidade é expor o ontem, o hoje e o amanhã através da música, respeitar os que deram e continuam a dar tudo o que têm a este movimento, homenagear os pioneiros, mas também inovar”, conta Tekilla. Cada uma das 15 faixas tem o seu próprio videoclipe, realizados em conjunto entre Tekilla e o videógrafo Francisco Gomes.

Cavalo Amarelo revela ‘Segredo

Quase 20 anos depois da primeira formação, na altura com o nome Fé Lusitana, o quinteto tomarense regressa com novo nome: Cavalo Amarelo. A lineup permanece a mesma, com todos os elementos da formação original a juntar-se novamente. O resultado é ‘Segredo‘, primeiro single de antevisão ao primeiro disco da banda, ainda sem data de lançamento. Em ‘Segredo‘, o protagonismo vai para as guitarras, marcando a sonoridade rock que os Cavalo Amarelo pretendem assumir. A primeira apresentação ao vivo da banda está marcada para o dia 17 de julho, no Tomar Cultura Viva.

Montanha Mágica estreia-se com ‘Ana Cláudia’

O primeiro single da banda Montanha Mágica é uma balada indie-pop de amor jovem dedicada a ‘Ana Cláudia‘. Relembra tardes de verão a namorar na praia e lamenta a falta de juízo, sob murmúrios de guitarras melancólicas. ‘Ana Cláudia‘ marca a estreia da dupla formada por Rui Freire (também responsável pela masterização e produção do single) e Hugo Costa.