Alô Marco Paulo
Fotografia: SIC/Divulgação

Opinião. A difícil tarefa de Ana Marques em ‘Alô Marco Paulo’

Ana Marques juntou-se a Marco Paulo para a condução do novo formato das tardes da SIC. Nas últimas duas semanas, a apresentadora teve a árdua tarefa de fazer aquilo que o cantor não sabe fazer e ainda de levar vários “chega para lá” da vedeta que, atualmente, faz jus ao nome.

O eterno rosto do Bravo Bravíssimo recebeu uma duríssima missão. A que muitos profissionais teriam dito que não. A figura histórica da SIC teve agora, aos sábados, de conduzir um programa ao lado do intérprete de Eu Tenho Dois Amores’, que não domina a televisão e muito menos a entrevista. Por mais que o cantor não queira aceitar, Ana é a apresentadora do programa, porque é ela quem consegue dar algum sentido a quase quatro horas de emissão.

Em Alô, Marco Paulo, o artista assume uma postura narcisista que, por vezes, se mistura com arrogância. Já por dois programas, e mais do que uma vez em cada um deles, o profissional fez questão de deixar claro que o programa é seu e pediu mesmo à parceira de apresentação para se calar.

Marco Paulo tem todo o mérito de ser reconhecido como um dos grandes artistas portugueses. Mas obviamente que isso não lhe dá o direito de, mesmo que sem intenção de rebaixar, pedir a uma comunicadora com provas dadas, e que até está ali para ajudar, para se calar enquanto entrevista ou dá continuidade ao programa. Esta é uma situação que não fica bem em sítio nenhum, muito menos em televisão.

Apesar de líder de audiências, algo a que a apresentadora até nem está habituada nos últimos anos, Ana Marques recebeu um presente envenenado por parte da SIC. Das duas uma, ou o artista passa apresentar o seu Alô sozinho, como foi anunciado esta semana, e aí será o salve-se quem puder, ou o canal de Paço de Arcos terá de exigir outra postura ao cantor, até para benefício próprio.

Serviço público

Programa Cautelar é uma belíssima aposta da RTP1 e uma pedrada no charco por parte de Filomena Cautela, extraordinária no seu novo desafio. Não acredito que, quem não tem conhecimentos, se torne num especialista em determinado assunto explorado no programa, mas não deixa de passar a entender melhor qualquer temática. Ver televisão, neste caso, não é tempo perdido.

Invencível

O Casa Feliz, da SIC, tem feito um percurso notável nas últimas semanas. João Baião e Diana Chaves são os rostos de uma equipa que tem trabalhado muito para fazer esquecer a antiga inquilina da casa, leia-se Cristina Ferreira.

Cada vez mais entrosada, a dupla dá mostras de que foi uma escolha muito acertada de Daniel Oliveira. As audiências estão à vista e o Dois às 10, da TVI, já não vence há mais de dois meses.