THE CONJURING: THE DEVIL MADE ME DO IT
Fotografia: TM & © 2021 Warner Bros. Entertainment Inc. All rights reserved.

‘The Conjuring – A Obra do Diabo’ bate recorde na semana com mais espectadores do ano

Nova semana, novos recordes de bilheteira nas salas nacionais. O último capítulo da saga de terror The Conjuring superou os números animadores da semana anterior ao bater o recorde de espectadores numa semana de estreia em 2021. De 3 a 9 de junho, mais de 91 mil foram ao cinema assitir às 40 películas em exibição.

Se Um Lugar Silencioso 2 foi uma surpresa ao garantir a melhor abertura do ano, The Conjuring – A Obra do Diabo não teve dificuldades em superar a fasquia. Em apenas sete dias, o filme que evoca Ed e Lorraine Warren como investigadores paranormais recolheu 31.136 espectadores, menos 2.405 que a obra onde Emily Blunt é protagonista, em sala há já duas semanas.

Em plenos anos 70, os Estados Unidos deparam-se com o primeiro suspeito de homicídio que declara estar possuído por um demónio para se defender em tribunal. É esta história, inspirada em factos verídicos, que fez The Conjuring entrar para o sétimo lugar na lista de filmes mais visto do ano, dominada por Nomadland. No entanto, somente cerca de 21 mil espectadores separam as duas películas, o que faz do thriller um forte candidato a conquistar o pódio nas próximas semanas.

O interesse dos portugueses neste filme foi o suficiente para as salas nacionais baterem o recorde do ano. Foram 91.811 os espectadores que escolheram deslocar-se a uma sala de cinema na última semana, o que supera em mais de 16 mil o número de espectadores da semana de 6 a 12 de maio, quando a batalha titânica de Godzilla vs. Kong e o retrato devastador da demência em O Pai entraram em ação.

Cinema europeu selecionado, drama e ação em estreia

A nova semana é marcada pela presença de quatro películas selecionadas em festivais de cinema europeus. São elas As Andorinhas de Cabul – Festival de Cannes – que retrata, em formato de animação, o verão de 1998 na capital afegã de Cabul sob o regime talibã, e ainda Entre a Morte, Miss Marx e Nocturno – Festival de Veneza. Destaque ainda para Missão Inesperada, onde Liam Neeson representa um antigo atirador do exército que protege um jovem cuja mãe foi assassinada às mãos de um cartel de droga, e O Espião Inglês, protagonizado por Benedict Cumberbatch.

Mais Artigos
Crítica. ‘In The Heights’ é um regresso estrondoso aos cinemas