mark wahlberg
Imagem: GQ (UK), 2016 (Facebook Oficial)

Mark Wahlberg. 50 anos de uma vida atribulada e de perseverança

Mark Wahlberg completa 50 anos este sábado, dia 5 de junho. Com um leque abrangente de trabalhos, que vão do policial à comédia, o ator norte-americano participou em filmes como The Departed – Entre InimigosO AtiradorTed The Fighter – Último Round.

Mark Robert Michael Wahlberg nasceu a 5 de junho de 1971 num bairro pobre da classe trabalhadora, em Dorchester, Massachusetts. Filho de Alma Elaine e Donald Edward Wahlberg e o mais novo de nove irmãos, a vida do ator não teve o início mais colorido, com a separação dos pais quando tinha 11 anos a trazer-lhe vários problemas. Mark Wahlberg deixou a escola aos 14 anos e entrou numa espiral de roubos e drogas, até acabar na prisão aos 16 anos e decidir mudar de vida.

A mudança começou com a ajuda do irmão mais velho, Donnie, que se tornara um ídolo adolescente dos anos 80 na boysband New Kids on the Block. Foi assim que o mundo foi apresentado a Marky Mark e Funky Bunch, um rapper “badboy” que dançava de boxers com o respetivo DJ. A habilidade podia não ser a maior nem as músicas as melhores, mas os produtores continuavam a seguir os passos de dança e o físico que sabiam que iria atrair as camadas jovens do público.

Direita, volver Mark Wahlberg
Fotografia: Direita, Volver (1994)

No entanto, o histórico de prisão é descoberto, mistura-se com várias outras polémicas, e a carreira do artista na música acaba por cair na desgraça. Foi aí que surgiu a oportunidade da representação. Depois de abandonar o apelido Marky Mark e passar a utilizar o seu próprio nome, Mark Wahlberg teve o seu primeiro papel num filme como um recruta simples e sincero do exército em Direita, Volver (1994).

Muitas pessoas continuavam a rir-se da ideia de um rapper em desgraça tentar singrar como ator, mas Wahlberg rapidamente provou que estavam erradas. A verdade é que, de filme em filme, o ator acabou por se tornar praticamente impossível de descartar.

Depois de participações em Grito de Revolta (1995), com Leonardo DiCaprio, e O Medo (1996), com Reese Witherspoon, chegou um novo trabalho de sucesso para Mark Wahlberg: Jogos de Prazer, um filme de 1997 realizado por Paul Thomas Anderson, que venceu o Screen Actors Guild Award de Melhor Elenco e foi um marco na carreira do ator até hoje. Numa entrevista, o artista chegou a mencionar a forma como a longa-metragem alcançou o sucesso: “Era um showstopper, com um bom argumento, uma história real”.

Jogos de Prazer Mark Wahlberg
Fotografia: Jogos de Prazer (1997)

A partir daí, não lhe faltou trabalho, com filmes como Três Reis (1999), Tempestade Perfeita (2000), Planeta dos Macacos (2001), A Verdade sobre Charlie (2002) – que revelou considerar o seu pior filme -, Um Golpe em Itália (2003) e Quatro Irmãos (2005). Contudo, em 2006, dá-se o primeiro grande boom da carreira de Wahlberg, ao trabalhar com Martin Scorsese em The Departed – Entre Inimigos. Na longa-metragem, o ator vestiu a pele do sargento Sean Dignam e, com ele, garantiu as nomeações para o Oscar e Golden Globe de Melhor Ator Secundário.

O sucesso não foi, contudo, uma surpresa para Mark Wahlberg, apesar de Sean Dignam ser um dos papéis de que mais se orgulha. Em entrevista, o ator explicou que tudo advém de trabalhar com Scorsese: “Sempre que alguém te diz que tens a oportunidade de trabalhar com o Martin Scorsese, tu simplesmente aproveitas.

The Departed Mark Wahlberg
Fotografia: The Departed (2006)

Mas não é só The Departed – Entre Inimigos que foi um sucesso na carreira do artista. A panóplia de grandes trabalhos no seu currículo continuou a aumentar ao longo dos anos, com participações em filmes como O Atirador (2007), Max Payne (2008) – o papel que destaca como favorito -, The Fighter – Último Round (2011), que lhe valeu uma nova nomeação aos Golden GlobesTed (2012), Contrabando (2012), Transformers: Era da Extinção (2014), Entourage – Vidas em Hollywood (2015) e Mile 22 (2018). O reconhecimento garantiu-lhe ainda, no ano de 2010, a sua própria estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Depois de um início de vida complicado, Wahlberg aprendeu a pagar pelos próprios erros e viver com eles, reerguendo-se com trabalho e dedicação. Com uma carreira de luxo que o torna num dos atores mais bem pagos do mundo do cinema, não deixa de pensar com segurança e de manter os pés assentes na terra e os olhos fixos no futuro, chegando a revelar numa entrevista que “sempre olhei para a minha carreira como um atleta olha para a sua. Não vou jogar para sempre. Alguns não sabem quando se afastar, mas os inteligentes sabem”. Mesmo assim, ainda podemos esperar mais de Mark Wahlberg na Sétima Arte, com o filme de ação científica Infinite, onde participa como um dos protagonistas, com estreia marcada ainda para este ano.

 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Sex/Life
‘Sex/Life’. Vem aí a nova série “escaldante e emotiva” da Netflix