Domingao sic
Fotografia: Divulgação

Opinião. Raquel, a televisão não é só um encontro de amigos

Já por diversas vezes passei pelos programas da SIC, ao domingo, e por lá fiquei a apreciar aquilo que se faz tanto de manhã, no Olhá SIC, como de tarde, no Domingão. João Paulo Sousa, Raquel Tavares e Débora Monteiro são o denominador comum entre os dois programas.

Uma das situações que mais me chamou à atenção foram, sobretudo, os apresentadores, a química e a amizade que têm entre si. Isso é muito importante, e talvez raro no pequeno ecrã, mas, neste caso, sem conta, peso e medida.

Raquel Tavares chega a roçar o ridículo nas suas intervenções “engraçadas”, a que se juntam piadas que envolvem outros colegas, e que podem ter graça no foro privado, mas que devem ficar lá, entre “quatro paredes”. Quantas e quantas vezes não dei por mim a fazer um rolar de olhos com as intervenções da nova apresentadora do canal de Paço de Arcos.

Quantos de nós não nos rimos com amigos em bares, cafés, restaurantes ou praias, por exemplo, mas depois nos incomodamos com o chavascal que outros fazem quando estamos sozinhos ou mais recatados? Há coisas que são muito nossas e que só nós, ou quem nos rodeia habitualmente, entende.

É nesse sentido que a tripla de apresentadores tem de entender que há limites e que chega a ser aborrecido para quem vê tamanha galhofa.

Com isto, não quero parecer um “velho do Restelo” que acredita que a televisão é um local sério e em que não há espaço para humor e alegria. Pelo contrário! É sobretudo isso que, ainda para mais em plena pandemia, a televisão nos deve transmitir. O que quero dizer é que os risos histéricos, e parece-me que por vezes forçados, de Débora Monteiro, a constante vontade de ser engraçada por parte de Raquel Tavares e o deixar-se ir na onda do profissionalíssimo João Paulo Sousa torna as manhãs e as tardes da SIC um tanto ao quanto intragáveis, pelo menos para mim.

O Festival não morreu

Há muitos anos que se diz que já ninguém liga ao Festival Eurovisão da Canção e, durante alguns períodos, tal afirmação fez sentido. Agora, que se calem de vez aqueles que, por não gostarem ou simplesmente fingirem que não gostam, pararem com essa conversa.

No sábado da grande final, a RTP1 liderou audiências em horário nobre, facto impensável para o canal sempre que não transmite futebol. Além disso, durante semanas, por exemplo, o Espalha-Factos partilhou inúmeras notícias sobre o evento justamente porque existem muitos leitores interessados no espetáculo europeu.

Uma palavra ainda para os The Black Mamba que, contra todas as correntes, conquistaram um dos melhores resultados de sempre para Portugal no concurso. Obrigado!

Herman José

Herman José tem sido convidado dos vários programas de daytime da SIC e da TVI. Vi todos os momentos e ri em todos eles. É um grande artista e mostra-o em cada presença que faz, com maior ou menor dose de loucura. Parabéns à RTP por permitir que os seus contratados possam estar na concorrência.

Mais Artigos
Fernando Medina vai ao Telejornal
Fernando Medina responde na RTP sobre dados enviados à Rússia