Maria João Abreu Golpe de Sorte
Maria João Abreu, em 2019, na apresentação da grelha da SIC à imprensa (Fotografia: João Marcelino / Espalha-Factos)

Morreu Maria João Abreu, mulher genuína e atriz multifacetada

Maria João Abreu faleceu esta quinta-feira (13), no hospital Garcia de Orta, em Almada, avança a SIC Notícias. A atriz de 57 anos estava internada nessa mesma unidade hospitalar na sequência de ter sofrido dois aneurismas, na sexta-feira, 30 de abril.

O falecimento acontece depois de várias intervenções cirúrgicas e de ter ficado em coma induzido, para melhor recuperar dos dois aneurismas. Segundo o canal informativo, a atriz sentiu-me mal e desmaiou durante as gravações da novela da SIC em que participava, Serra. Inicialmente foi assistida no local e depois transportada para o hospital, onde acabou por ficar internada em estado delicado.

Quase quatro décadas de carreira sem pausas

Maria João Abreu somou inúmeros projetos ao longo dos seus notáveis 38 anos de carreira. Trabalhou em cinema, televisão, teatro e até mesmo como empresária.

Estreou-se como atriz aos 19 anos, em 1983, no musical Annie, e só chegou à televisão cinco anos mais tarde através do telefilme Uma Bomba Chamada Etelvina. Desde aí nunca parou e, pouco a pouco, criou o seu caminho e estabeleceu o seu nome no mundo das artes.

Em teatro, participou em mais de 30 peças diferentes integrando o elenco de sucessos como a revista Ó Troilaré, Ó Troilará ou o musical Mulheres ao Poder, em 1999. Mais recentemente fez parte de Simone – O Musical. Os últimos trabalhos da atriz em cima dos palcos foram Boudoir, Fenda e Sonho de Uma Noite de Verão.

Apesar de ter uma vasta carreira ligada ao teatro, foi no pequeno ecrã que se tornou conhecida do grande público. Antes de 2000 apareceu nos míticos programas Big Show SIC, Os Malucos do Riso e Médico de Família. Integrou ainda projetos como Jardins Proibidos, Morangos com Açúcar, Feitiço de Amor, Sentimentos, Conta-me Como Foi, Espírito Indomável, Mar Salgado, Amor Maior e Paixão, por exemplo.

A atriz foi também presença assídua em sitcoms ao longo da sua vida. No currículo contava com Aqui Não Há Quem Viva, A Família Mata, A Casa É Minha e Donos Disto Tudo.

Golpe de Sorte
Fotografia: Divulgação / SIC

Embora tenha aparecido em televisão pela primeira vez em 1988, só mais de 30 anos depois é que Maria João Abreu foi protagonista numa telenovela. Este reconhecimento chegou em 2019, com Golpe de Sorte. A série que prometia mudar as noites da SIC conseguiu fazê-lo e colocou a atriz nas luzes da ribalta. Na altura da estreia, Daniel Oliveira dizia mesmo acreditar que a personagem por ela interpretada, a Maria do Céu, era “provavelmente o papel da vida de Maria João Abreu”.

A atriz marcou também presença em formatos de grande entretenimento da SIC. Em 2019, participou no Lip Sync Portugal e, um ano depois, integrou o leque de participantes d’ A Máscara.

Atualmente, encontrava-se a gravar Patrões Fora, o formato de humor da SIC ambientado nos estúdios do Casa Feliz. Além deste projeto, a experiente atriz dava vida a Sãozinha na novela A Serra. A trama encontra-se, neste momento, a ser exibida no canal de Paço de Arcos na segunda faixa do horário nobre.

“Sou uma mulher normal como as outras, cheia de dúvidas, medos e inseguranças, humana, sensível e vulnerável.” – foi assim que se descreveu na primeira entrevista que deu ao Alta Definição, em 2010.

Nascida a 14 de abril de 1964, em Lisboa, Maria João Abreu cresceu no seio de uma família “muito humilde” como a própria definiu. No Alta Definição revelou não ter tido uma adolescência normal, dado que ingressou no mundo laboral quando ainda era “muito nova”. Apesar de tudo, a própria não escondeu que, nessa altura, não dispensava “uma boa brincadeira ou um baile da aldeia”.

A atriz de 57 anos marcou presença por duas vezes no formato de entrevistas conduzido por Daniel Oliveira. Nas duas conversas, a família foi descrita por Maria João Abreu como sendo o mais importante de tudo. A artista deixa dois filhos, Ricardo Raposo e Miguel Raposo, frutos do casamento de 22 anos que teve com José Raposo. Atualmente, o companheiro da artista era o músico João Soares, com quem mantinha uma relação há 13 anos.

Em 2020, a atriz tinha perdido o pai, que sucumbiu à Covid-19. Nesse mesmo ano, encerrou o estabelecimento do qual era sócia juntamente com o filho Ricardo, o restaurante À da Maria.

“O amor, qualquer tipo de amor, salva a vida das pessoas e poderia salvar a Humanidade se o ser humano não fosse tão egoísta” – Maria João Abreu, no Alta Definição, em 2019

Bárbara Guimarães 24 Horas de Vida
Fotografia: Divulgação / SIC

No 24 Horas de Vida em que marcou presença, Maria João Abreu pôde ouvir aquilo que os filhos sentiam por ela. Ricardo Raposo confirmava a importância dos laços familiares para a atriz – “vive muito para a família”. Ao mesmo tempo, acrescentava que “a felicidade dela [Maria João Abreu] é proporcionar aos outros felicidade”.

O filho mais velho, Miguel Raposo, dizia no programa que a mãe era “a mãe galinha” e cujo problema era “preocupar-se demasiado com os outros”. João Soares, o esposo, esteve também presente no programa de Bárbara Guimarães e não escondeu o amor que sente pela atriz: “sou a pessoa com mais sorte à face da Terra”.

Além da família, os amigos também eram fundamentais. Um deles, com quem contracenou em Golpe de Sorte, Rúben Gomes, referia-se em setembro de 2020, no Júlia, a Maria João Abreu como “um ser humano extraordinário” com um “coração gigante”. No mesmo programa, mas noutra ocasião também Cecília Henriques teve a oportunidade de falar de Maria João Abreu: a João é ‘one of a kind’. Além de ser a melhor pessoa do mundo, é boa atriz, é generosa…”.

Ângelo Rodrigues e Isabela Valadeiro interpretaram, em Golpe de Sorte, os filhos da personagem a que Maria João Abreu dava vida. O ator referiu-se à mãe da ficção como “um amor de pessoa”, já Isabela Valadeira afirmava que ser amiga e colega de trabalho da atriz era “um privilégio” e que Maria João era uma das pessoas que mais admirava na vida. Estas declarações foram para o ar no Casa Feliz durante uma entrevista de promoção à série da SIC. Nesse mesmo programa, João Baião emocionou-se ao ouvir os “filhos” da atriz e o próprio apresentador afirmou que Maria João era “uma pessoa absolutamente extraordinária” e com uma generosidade fora do comum.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Sex/Life
‘Sex/Life’. Vem aí a nova série “escaldante e emotiva” da Netflix