Dia da Mãe. Nove filmes para ver com a tua mãe neste dia especial

O cinema, desde os seus primórdios, que foi marcado por mães poderosas. Nem todas foram boas, muitas delas são personagens odiáveis, mas são inúmeras as histórias que mostram mães carinhosas, que apresentam conforto e amor quando os seus filhos mais precisam.

Com isso em mente, o Espalha-Factos preparou uma lista com vários filmes com as melhores figuras maternais do cinema para que possas partilhar com a tua neste Dia da Mãe, que se celebra este domingo (2 de maio).

Terms of Endearment (1983, realizado por James L. Brooks)

Debra Winger e Shirley MacLaine no filme 'Terms of Endearment'
Debra Winger e Shirley MacLaine no filme ‘Terms of Endearment’

Num filme que viria a vencer cinco Óscares, entre eles Melhor Filme e Melhor Atriz, Terms of Endearment é um drama pesado que se vai desenrolando ao longo de vários anos, mostrando-nos o desenvolvimento da relação entre Aurora, protagonizada por Shirley MacLaine, e Emma, interpretada por Debra Winger

A relação entre ambas é complicada porque ambas estão sempre a discutir, pelas mais pequenas coisas. Acontece que ambas são orgulhosas e teimosas e, como tal, apenas discutem porque não sabem expressar o seu amor uma pela outra de uma maneira diferente. O filme acaba por ter um final triste para qualquer mãe e, para quem o estiver a ver, dá um aperto no peito, sempre com saudade da nossa figura maternal. 

All About My Mother (1999, realizado por Pedro Almodôvar)

Cecília Roth no filme 'All About My Mother'
Cecília Roth no filme ‘All About My Mother’

O realizador espanhol Pedro Almodóvar sempre foi conhecido pela escrita das relações entre pais e filhos nos seus filmes e, naquela que é considerada por muitos como a sua obra prima, All About My Mother não é muito diferente. 

Protagonizado brilhantemente por Penélope Cruz, a musa de Almodóvar, o filme de 1999 conta a história de Manuela, uma mãe que vê o seu filho morrer no início de All About My Mother e que passa o resto da longa-metragem a tentar ultrapassar essa mesma morte, de uma maneira desoladora e devastadora, sempre com o seu filho na sua cabeça.  Ver este filme com a nossa própria mãe pode não ser a experiência mais alegre mas, certamente, irá dar lugar a largos espaços de conversa sobre a vida e o seu significado.

Mother (2009, realizado por Bong Joon-Ho)

Kim Hye-ja no filme 'Mother'
Kim Hye-ja no filme ‘Mother’

Bong Joon-Ho é, nos dias de hoje, um nome na boca de todos os amantes de cinema por tudo o que Parasite representa, mas, dez anos antes, o coreano realizou aquela que é a sua primeira obra prima. 

Mother é um thriller psicológico interpretado por Kim Hye-ja, a Mãe como assim é denominada na ficha técnica, que incorre em grandes instâncias para provar a inocência do seu filho, acusado de homicídio por um brutal assassinato. O resto é história, com Mother a ser considerado por muitos como um dos melhores exemplos daquilo que o amor de mãe é capaz de fazer por um filho e tudo aquilo que ele representa. Além disso, conta com um dos melhores finais de sempre. 

Boyhood (2014, realizado por Richard Linklater)

Patricia Arquette numa cena de 'Boyhood'
Patricia Arquette numa cena de ‘Boyhood’

Já muito foi escrito sobre Boyhood, um filme que demorou uma eternidade a fazer, com o resultado final a ser muito celebrado, sendo nomeado para seis Óscares e vencendo um, o de Melhor Atriz, galardão atribuído a Patricia Arquette, a mãe do filme.

O filme foca-se principalmente no crescimento de Mason mas, nas entrelinhas, tem uma relação realista, crua e verdadeira daquilo que muitos de nós passamos com as nossas mães a dado momento. Ver o filho crescer, mudar e desenvolver-se até eventualmente sair de casa é doloroso para qualquer figura maternal, e Boyhood representa isso na perfeição.

Room (2015, realizado por Lenny Abrahamson)

Jacob Tremblay e Brie Larson no filme 'Room'
Jacob Tremblay e Brie Larson no filme ‘Room’

Room, o filme independente de 2015 que acabou por catapultar Brie Larson, a protagonista do filme, até ao estrelato, é um filme que, até aos dias de hoje, continua a ser pouco falado tendo em conta toda a qualidade que tem. No entanto, o foco principal da longa metragem continua a ser a relação dolorosa entre Joy, a mãe, e Jack, o filho. 

Contando a história entre uma mãe e um filho isolados num quarto desde o nascimento do rapaz, Room faz lacrimejar até o mais forte ser humano, sendo uma das melhores relações maternais já mostradas no cinema desde a sua criação. 

20th Century Women (2016, realizado por Mike Mills)

Annette Benning e Lucas Jade Zumann no filme '20th Century Women0'
Annette Benning e Lucas Jade Zumann no filme ’20th Century Women’

De vez em quando, o cinema é capaz de nos dar longas metragens que acabam por ser autênticos abraços metafóricos, sendo 20th Century Women um claro exemplo disso mesmo. 

Realizado por um ternurento Mike Mills, o filme conta a história de uma mãe solteira, Dorothea, que tenta acompanhar as mudanças culturais dos finais da década de 60 enquanto tenta criar o seu filho adolescente, Jamie. Dorothea acaba por ser uma figura maternal para muitas pessoas neste filme, dando conselhos tanto a eles como às pessoas que estão a ver o filme. Uma longa-metragem obrigatória para qualquer fã de cinema e a garantia de um serão bem passado com a família. 

Lady Bird (2017, realizado por Greta Gerwig)

Saiorse Ronan e Laurie Metcalf no filme 'Lady Bird'
Saiorse Ronan e Laurie Metcalf no filme ‘Lady Bird’

A realizadora Greta Gerwig consegue escrever relações maternais como ninguém, sendo Lady Bird um de dois filmes da americana nesta lista. Lady Bird levantou muitas desconfianças aquando do seu anúncio mas viria a ter muito sucesso, sendo uma visualização obrigatória para qualquer jovem. 

O filme é focado no último ano de secundário de Lady Bird, interpretada por Saiorse Ronan, e tem muitas cenas divididas com Laurie Metcalf, a sua mãe, nesta comédia dramática. Marion, como é chamada no filme, é o que podemos chamar de “mãe-galinha”, sempre preocupada na sua filha no meio de desentendimentos e discussões, que acabam por culminar numa cena final absolutamente devastadora para qualquer pessoa que veja o filme. No entanto, Marion é uma das melhores mães no cinema recente, escrita eximiamente por Greta Gerwig, e muito inspirada na própria mãe da realizadora. 

Little Women (2019, realizado por Greta Gerwig) 

Laura Dern e Saiorse Ronan no filme 'Little Women'
Laura Dern e Saiorse Ronan no filme ‘Little Women’

O segundo filme de Greta Gerwig presente nesta lista é considerado por muitos como a sua obra prima, com um dos melhores retratos maternais já representados no cinema. 

O filme desenrola-se à volta das irmãs March enquanto as próprias procuram várias coisas para a sua vida pessoal, tudo isto sob o olhar atento de Margaret, a mãe de todas elas e que foi interpretada brilhantemente por Laura Dern, que acabou por vencer um Óscar pelo papel. Little Women é cheio de ternura e amor em todos os frames, sendo que a relação entre as irmãs March e a sua mãe um dos pontos altos do filme, que tem tanto de alegre como de triste. 

Jojo Rabbit (2019, realizado por Taika Waititi)

Scarlett Johansson e Roman Griffin Davis no filme 'Jojo Rabbit'
Scarlett Johansson e Roman Griffin Davis no filme ‘Jojo Rabbit’

2019 foi o ano em que Scarlett Johansson mostrou os seus melhores dotes enquanto mãe no cinema. Depois de ter dado a melhor performance da sua carreira em Marriage Story, a americana viria a mostrar-se no topo das suas capacidades em Jojo Rabbit, filme onde interpretou a mãe solteira Rosie Betzler.

Na comédia negra de Taika Waititi, Scarlett é o conforto de Jojo, uma criança que tem Hitler como amigo imaginário, dando-lhe o apoio no meio de toda a confusão de sentimentos que a criança passa durante todo o filme, sendo ela o propulsor para muitos dos eventos que acontecem no filme. Para a história fica um filme divertido com momentos tristes e que conta com uma figura maternal ternurenta e apaixonada pelo seu filho.

Mais Artigos
Teatro São Carlos
Do Património ao cinema e setor livreiro. Onde vai a Cultura gastar os 243 milhões do PRR?