Cristina Ferreira
Fotografia: Instagram/ Cristina Ferreira

Cristina Ferreira esclarece dúvidas sobre donativos por entregar

Cristina Ferreira quebrou o silêncio sobre os donativos do seu último livro, que ainda não foram entregues. A apresentadora tinha prometido entregar as receitas do seu livro, P’ra Cima De Puta, a instituições contra a violência nas redes sociais.

A apresentadora e diretora de entretenimento e ficção da TVI veio finalmente esclarecer a polémica envolta à volta dos donativos prometidos e ainda por entregar. Cristina Ferreira foi acusada de falhar com a promessa de doar as receitas do seu livro a instituições contra a violência nas redes socais.

Na passada segunda-feira (26), logo após a estreia da nova novela Festa é Festa, no programa Cristina ComVida, a apresentadora esteve à conversa com os jornalistas e aproveitou para esclarecer a situação. “Normalmente, os royalties são entregues ao fim de seis meses ou mais, depende do contrato que é feito. O livro tem cinco meses de livraria, eu já sei quanto é que vamos entregar nestes primeiros meses e, como é óbvio, só se eu fosse maluca é que, sabendo como as coisas estão, eu não entregaria o dinheiro a alguma instituição”, explicou a apresentadora à revista TV 7 Dias.

Para além da promessa dos donativos, Cristina Ferreira tinha-se ainda comprometido a entregar ao Parlamento uma petição em relação às agressões nas redes sociais. Sobre a petição, a apresentadora explicou que a mesma “já foi aceite, mas ainda não nos permitiu ir à Assembleia. É por isso que as coisas ainda não andaram, para além de eu ainda não ter recebido o dinheiro da própria editora.” A apresentador desabafou ainda que “este é mais um sentimento de desconfiança (…) nem sequer se tentou perceber como é que as coisas funcionam”.

O livro P’ra Cima de Puta foi lançado em novembro do ano passado, e aborda o tema da violência nas redes sociais, compilando uma série de comentários recebidos por Cristina Ferreira nas suas páginas.

 

Mais Artigos
A Mulher à Janela
Crítica. ‘A Mulher à Janela’ é um thriller “hitchcockiano” que não emociona