Margot Robbie em O Lobo de Wall Street

6 filmes para entenderes melhor a área financeira

Os altos e baixos do mercado financeiro sempre foram uma grande inspiração entre os produtores de filmes de Hollywood. Quer englobem histórias de fraude, casos de sucesso ou situações polémicas, esses filmes conseguem mostrar o mundo financeiro de forma a que até a pessoa menos entendida no assunto se veja a compreender conceitos que até aí lhe eram estranhos.

E tal como diz a expressão em inglês: “Money makes the world go round” (ou, “o dinheiro faz girar o mundo”). Por isso mesmo, perceber mais sobre o sector económico e financeiro não é nada má ideia. Especialmente, com uma boa cinematografia e ótimas prestações de atores galardoados.

Alguns argumentos chegam a abordar como funciona o mercado da bolsa, o mercado imobiliário e o setor de empréstimos, mencionando até como algumas pessoas usam os seus conhecimentos para o seu benefício. Isto é, aqueles que até nadam em dinheiro, quase tão literalmente como o Tio Patinhas.

Como esta temática pode parecer um pouco maçadora para alguns, vê aqui seis dos melhores filmes dentro deste género, que prezam pelo entretenimento e ação.

  1. O Lobo de Wall Street (2013)

Portugal em Festa

Dentro deste género existem várias histórias, tanto reais como fictícias, de corretores moralmente corruptos e dos seus grandes feitos enquanto não eram apanhados. Alguém que já era conhecido pela sua experiência na arte de escapar, graças ao filme Apanha-me Se Puderes, volta a fugir da lei no grande sucesso de bilheteira O Lobo de Wall Street.

Baseado na vida de um antigo corretor e criminoso condenado, Leonardo DiCaprio dá vida ao extravagante Jordan Belfort numa atuação memorável. O filme narra a sua ascensão no mundo da fraude financeira e corrupção até este ser preso. Um dos destaques desta película foca-se no humor trágico extremo com que a história é contada, mostrando todas as excentricidades e abusos de droga. Mesmo tendo a duração de 3 horas, o filme é puro entretenimento com realce para as prestações de Margot Robbie, Jonah Hill e Matthew McConaughey.

  1. A Queda de Wall Street (2015)
A Queda de Wall Street
A Queda de Wall Street (Fotografia: Divulgação/Cinemundo)

A Queda de Wall Street, ou The Big Short, é mostrado como uma “quase aula”, oferecendo uma explicação de todo o sistema financeiro norte-americano enquanto mostra um grupo de investidores que “aposta” contra o mercado de hipotecas nos Estados Unidos. Ao usar e abusar de humor, a história foca-se em todos os acontecimentos que levaram à queda do mercado imobiliário em 2007 através das falhas no pagamento da hipoteca e do crédito à habitação de milhares de pessoas.

Para melhorar a compreensão do público, o narrador e algumas celebridades utilizam a técnica de “quebrar a quarta parede”. Ou seja, falam diretamente para o público que assiste ao filme de uma forma criativa. Entre as cameos, encontram-se Selena Gomez, Margot Robbie, o chef Anthony Bourdain e o economista Richard Thaler, que explicam os conceitos mais complicados do sector financeiro.

  1. Inside Job – A Verdade da Crise (2010)

Contrastando com os filmes de ficção até então apresentados, Inside Job acaba por seguir um registo diferente já que é um documentário. Já em termos de tema, segue o fio à meada de A Queda de Wall Street. Isto porque esta película dá uma visão mais aprofundada sobre a queda do mercado imobiliário norte-americano que, consequentemente, desencadeou a crise financeira mundial de 2008.

Ao longo da narrativa, é explicado cada passo que levou ao meltdown financeiro, para além de ser feita uma investigação a fundo sobre a corrupção sistémica na indústria financeira dos Estados Unidos. A obra conta ainda com entrevistas a nomes importantes na área do jornalismo, economia e política. Narrado por Matt Damon, este filme ganhou o Óscar para Melhor Documentário em 2011.

  1. Wall Street (1987)

O clássico dos clássicos dos filmes financeiros será sempre o Wall Street. Realizado por Oliver Stone, o sucesso de 1987 conta a história do invasor corporativo Gordon Gekko (protagonizado por Michael Douglas), que serve de mestre ao aprendiz corretor Bud (Charlie Sheen).

Ao ensinar-lhe as suas táticas questionáveis, a integridade e consciência de Bud são colocadas à prova. Este filme é também uma reflexão à era económica sob a presidência de Reagan, sendo que o personagem principal se tornou num símbolo que representa a ganância corporativa e a sua frase “Greed is good” num fenómeno cultural. Pela sua prestação, Michael Douglas levou para casa o Óscar de melhor ator em 1988.

  1. Madoff: Teias de Mentiras (2017)

Este filme conta a história de Bernie Madoff, investidor e consultor financeiro, que criou o maior esquema de pirâmide da história: o esquema de Ponzi. O seu crime foi tão devastador que lhe foi aplicada uma sentença de 150 anos, já que o seu esquema fraudulento prejudicou dezenas de milhares de investidores em 136 países durante 40 anos.

Realizado por Barry Levinson, o filme é protagonizado por Robert De Niro e por Michelle Pfeiffer, que faz o papel de Ruth, a esposa de Madoff. O gestor de contas norte-americano morreu a 14 de abril deste ano. Como o seu nome voltou aos holofotes da comunicação social, um novo interesse nos eventos da sua vida poderá ser desperto, sendo algo que este filme explora ao máximo.

  1. Equity (2016)

A maioria dos filmes sobre a área financeira são representados como “o mundo dos rapazes”, sendo que aparenta existir uma maior dominância do género masculino tanto no cinema como fora do grande ecrã. Mesmo assim, há que salientar que as mulheres também têm um papel neste sector. Anna Gunn, da conhecida série Breaking Bad, protagoniza Equity. Esta é a história de uma investidora bancária que tenta vender as suas ações numa empresa onde o site é facilmente hackeável. Esta foi das primeiras vezes em que uma mulher é a peça central num filme sobre o mundo financeiro.

Apesar de existirem muitos outros filmes que envolvem este tema tão vasto, foram escolhidas estas seis produções pela grande capacidade explicativa que têm, que consegue transformar uma área tão complexa em momentos de divertimento. Mesmo que muitos destes filmes explorem crimes, a junção das duas temáticas despertam mais interesse no público, chegando a mostrar os riscos e como o sistema funciona de forma a que as pessoas se afastem destas formas de corrupção. Além disso, depois de se assistir a alguns destes filmes, o sector financeiro vai deixar de ser um problema de sete cabeças e passará a fazer mais sentido.

Mais Artigos
Crítica. ‘Oxigénio’ é uma experiência stressante com ideias ambiciosas