Anthony Hopkins homenageia Chadwick Boseman após surpresa nos Óscares

A 93.ª cerimónia dos Óscares terminou com a entrega do prémio de Melhor Ator a Anthony Hopkins, pelo filme O Pai, um das grande surpresas da noite. No entanto, Chadwick Boseman era o favorito a ganhar a estatueta, pela participação em Ma Rainey: A Mãe do Blues. Ao aceitar o prémio em casa, Hopkins prestou homenagem a Boseman, que faleceu em agosto de 2020, aos 43 anos.

Cá estou eu na minha terra natal, País de Gales”, começou Hopkins no vídeo de agradecimento publicado esta segunda-feira no seu perfil no Instagram. “Não estava à espera de ganhar este prémio, aos 83 anos de idade, não estava mesmo. Estou muito agradecido à Academia”.

Hopkins continua com “quero prestar homenagem a Chadwick Boseman, que partiu demasiado cedo. Não estava à espera disto, portanto, sinto-me privilegiado e honrado“.

Na descrição do post, o ator agradece ainda a Florain Zeller, o realizador e argumentista do filme, que recebeu o Óscar para Melhor Argumento Adaptado, em conjunto com Christopher Hampton. No início deste mês, O Pai também constou na lista de vencedores dos prémios BAFTA, com Hopkins a receber a estatueta para Melhor Ator e Zeller para Melhor Realizador.

Este é o segundo Óscar de Anthony Hopkins. O ator recebeu a estatueta pela mesma categoria há 29 anos atrás, pela sua prestação como Hannibal Lecter em O Silêncio dos Inocentes. No entanto, em O Pai, Hopkins interpreta um papel completamente diferente e veste a pele de Anthony, um homem com demência que rejeita qualquer ajuda por parte da sua filha, interpretada por Olivia Colman.

Ao contrário de edições anteriores, a cerimónia encerrou com a entrega do prémio de Melhor Ator, apresentado por Joaquin Phoenix, vencedor do Óscar em 2020.

Com esta vitória, aos 83 anos, Hopkins fez história nos Óscares, tornando-se o ator mais velho de sempre a receber a estatueta, batendo o “recorde” de Christopher Plummer, que recebeu o prémio de Melhor Ator Secundário aos 82 anos, pelo filme Assim é o Amor, em 2012.

Galardoado com dois Óscares, O Pai estreia em Portugal dia 6 de maio. Por sua vez, o filme com Chadwick Boseman, Ma Rainey: A Mãe do Blues, está disponível na Netflix.

Mais Artigos
Festa é Festa é a nova novela da TVI. Em cena, Inês Herédia e Pedro Teixeira
Opinião. O novo fôlego que a ‘Festa’ deu a Cristina