Vis a Vis El Oasis Netflix

Crítica. ‘Vis a Vis’: um oásis sem água logo no primeiro episódio

Vivs a Vis está de regresso para uma nova temporada, El Oasis, e o Espalha-Factos já assistiu ao primeiro episódio. Numa nova oportunidade para conhecer a vida das personagens “em liberdade”, a nova temporada promete ser totalmente diferente da essência original da produção.

A série contava até agora com quatro temporadas e, apesar da alteração  de penitenciárias do Sul para o Norte, resultado do grande sucesso da série e da extensão da narrativa da mesma para um novo ambiente prisional, a ausência da personagem de Macarena (Maggie Civantos) na terceira e quarta temporadas comprometeu aquilo que era a génese desta história: a grande rivalidade entre ela e Zulema (Najwa Nimri). Com o arranque da quinta temporada, percebemos desde logo que não só essa rivalidade não existe mais, como estas duas personagens são agora companheiras no mundo do crime. A sensação com que ficamos, desde logo, é que estamos numa nova história em que do ambiente da antiga prisão, só nos resta mesmo Maca, Zulema e Goya (ou “nuestra gorda” como é apelidada por Zulema), que não sendo uma personagem central nas anteriores temporadas, surge agora como necessária para fazer a ligação do primeiro episódio aos anteriores, apesar de já não segurar o tão característico palito.

Recuando à quarta temporada que termina com a união de Maca e Zulema enquanto dupla de criminosas, a quinta temporada inicia-se exatamente no rescaldo de mais um crime em que Macarena se demonstra disposta a abandonar uma vida que ela nunca desejou. Zulema, mais uma vez num desempenho extraordinário da atriz que lhe dá corpo, propõe um último golpe, um tanto ou quanto amador para uma criminosa do seu calibre: o roubo de uma tiara de diamantes durante o casamento da filha de um poderoso traficante, o casamento do século segundo a própria. A cena seguinte, demonstra em todo o esplendor a grandeza da personagem de Zulema, que tortura de forma cómica e sarcástica dois violadores apanhados em flagrante no estacionamento de um bar.

Ao longo do episódio, assistimos a back and forwards na história, ou seja, o espetador é convidado a montar o puzzle e nesse sentido, torna-se apetecível continuar a assistir aos episódios subsequentes. No entanto, também pode ser um risco, uma vez que não se compreende o storyline na edição das cenas e a narrativa torna-se algo fragmentada. Com isto, rapidamente se percebe que o golpe no casamento não terá sido propriamente um sucesso.

Sendo um episódio introdutório, este torna-se limitado em termos de história, funcionando mais como enquadramento. É-nos apresentada a equipa que participa neste golpe: eis que surge Goya, e a sua mais recente namorada Triana; La Flaca, a destemida e antiga sargento, especialista em armas leves, e Mónica, enteada do traficante, com sede de vingança pela morte dos pais. E surge, igualmente, o cenário principal: trata-se de um hotel, El Oasis, onde as personagens combinam encontrar-se após o golpe sob o pretexto duma despedida de solteira, propriedade de Ama.

Neste ritmo de trás para a frente em que o telespectador mergulha, destaque para a cena de Maca no estacionamento do hotel e o diálogo que estabelece com Cepo, o empregado, para conseguir um kit de primeiros socorros na tentativa de proteger La Flaca, gravemente ferida e a esvair-se em sangue. O empregado é estranho, tímido e desconcertante, e mais tarde percebe-se ser filho de Ama. Nada de mais se consegue adiantar, mas deixa-nos com dúvidas.

Algures no decorrer da história, também Zulema aparece a enterrar um embrulho que antevemos ser a tiara de diamantes, mas certezas não as temos. Com destino ao hotel El Oasis, apanha boleia de uma família composta por pai, mãe e filha, também aí hospedados. Os diálogos dão a entender que o hotel será palco de outros enredos de acordo as histórias de cada núcleo alojado no hotel.

O final foi uma das melhores surpresas deste primeiro episódio e deixa antever que El Oasis não é um hotel normal e é até perturbador, uma vez que a proprietária surge num bunker a espiar todos os seus hóspedes. Mais um excelente teaser para darmos continuidade ao visionamento da temporada.

Em suma, esqueçamos a génese de Vis a Vis e as suas saudosas personagens como Sandoval, Fabio ou Tere. El Oasis poderia ter sido simplesmente um filme, uma vez que parece tratar-se de algo completamente à parte daquilo que é o universo original da série, das suas brilhantes personagens e até de certo modo, de bonitos enredos criados num cenário sombrio, escuro e marcado pela densidade de mulheres para quem a vida foi madrasta.

Já segues o Espalha-Factos no Instagram?
Vis a Vis El Oasis Netflix
4.5
Mais Artigos
festa é festa
‘Festa é Festa’ cai para o pior resultado e SIC alarga vantagem