Montaigne - Eurovisão 2021
EBU/Divulgação

Austrália concorre à Eurovisão 2021 com atuação pré-gravada

Austrália é a primeira baixa no palco da Eurovisão 2021. A organização do certame internacional anunciou esta terça-feira (20) que o país não se deslocará a Roterdão, competindo a partir de casa.

Montaigne, a representante do país, competirá através de uma atuação de reserva pré-gravada. A decisão foi validada pelo grupo de referência da Eurovisão, o conselho administrativo do evento. Em comunicado, o responsável pela delegação explica que chegaram “a esta difícil decisão depois de considerar os desafios da pandemia em curso, incluindo os muitos fatores envolvidos em viajar de e para o evento da Austrália“.

Josh Martin sublinha que a artista “Montaigne estará, ainda assim, a competir ferozmente no evento deste ano“. “Estamos entusiasmados por estar de volta e ansiosos por mostrar à Europa o nosso melhor“, remata. “Naturalmente, fico triste porque, por dois anos consecutivos, não consegui participar ao vivo no espetáculo da Eurovisão“, afirma Montaigne, considerando, ainda assim, que “é um imenso privilégio poder participar e competir na Eurovisão“.

O supervisor executivo da competição, Martin Österdahl, lamenta “não poder dar as boas-vindas a Montaigne em Roterdão em maio“, enaltecendo o trabalho da delegação australiana “que tentou ao máximo tornar possível a sua presença nos Países Baixos“. “Estamos satisfeitos por ainda sermos capazes de deixá-los competir com os outros 38 participantes, graças à gravação ‘live-on-tape’“, aponta.

Em que consiste o live-on-tape?

Para assegurar que a Eurovisão acontece, independentemente do cenário pandémico no momento, a organização anunciou, logo em novembro do ano passado, que todos os países iriam gravar uma atuação de reserva, o chamado live-on-tape. Essa atuação teria de ser gravada em tempo real, como seria no espetáculo em direto e sem qualquer tipo de edição posterior a imagens ou aos vocais, explicava a organização em comunicado.

Essa gravação, a partir de um estúdio em cada país, será apenas utilizada em caso de impedimento de deslocação do concorrente a Roterdão. Esta opção permite que todos os países tenham oportunidade de participar no certame, tal como acontece agora como a Austrália. Os representantes portugueses The Black Mamba gravaram a atuação de reserva na noite da final do Festival da Canção.

Atuações na arena com direito a público

De acordo com os mais recentes planos apresentados pela organização, os 39 representantes a concurso este ano poderão atuar ao vivo a partir da arena Rotterdam Ahoy. O foco está agora no cenário B – participantes na cidade com delegações mais pequenas, audiência reduzida e com distanciamento, poucos eventos pela cidade com restrições e uma sala de imprensa reduzida, com 500 membros no local e 1000 outros jornalistas a acompanhar online.

Também a presença de público poderá mesmo acontecer, tendo o Governo dos Países Baixos anunciado, no início do mês, que cada um dos nove espetáculos – seis ensaios, duas semifinais e a final – poderá ter um máximo de 3500 espectadores no local. Para isso, cada um dos espectadores tem de apresentar um teste negativo à Covid-19 antes de entrar na Rotterdam Ahoy. O evento vai servir de “laboratório de campo” para a realização de outros festivais desta dimensão de forma segura, explica a emissora organizadora NOS.

Festival Eurovisão da Canção 2021 acontece nos dias 18, 20 e 22 de maio, em Roterdão, nos Países Baixos. Os apresentadores, o design do palco e o slogan – Open Up – previstos para a edição do ano passado mantêm-se inalterados. Serão 39 países a concurso, entre os quais Portugal, representado pela banda The Black Mamba e o tema ‘Love is on My Side‘.

Espalha-Factos continua a acompanhar todas as novidades do concurso, bem como da Eurovisão, num podcast especial, o EFVisão.

Mais Artigos
The Black Mamba Eurovisão
Eurovisão 2021. Portugal dispara nas apostas após primeiro ensaio