Carlos do Carmo
Fotografia: Divulgação

De Buarque a Pink Floyd. Reveladas as “canções de vida” de Carlos dos Carmo

Em dia de lançamento do último álbum gravado ainda antes de falecer, foram reveladas as “canções de vida” que marcaram o fadista Carlos do Carmo.

Foi lançado esta sexta (16) o álbum E Ainda…, gravado por Carlos do Carmo em vida e que conta com nove temas. No entanto, a data fica também marcada pela revelação, por parte do digital Observador, das cerca de 24 canções que o artista fez questão de selecionar como as suas prediletas de sempre, tendo sido posteriormente anotadas à mão por um familiar, poucas semanas antes de falecer, a 1 de janeiro deste ano.

A lista apresenta-se como bastante diversa, tanto no que diz respeito aos géneros musicais, como também às línguas com que as canções são interpretadas. Fã mais do que assumido de Frank Sinatra, ou não tivesse Carlos do Carmo admitido que se inspirou no artista para saber estar em palco, é então clara a presença dos clássicos ‘Come Fly With Me’ e ‘I’ve Got You Under My Skin’. Outros nomes sonantes do jazz, como Tony Bennett, e da soul music, como Ray Charles, fazem também as honras desta coletânea repleta de temas intemporais. Na verdade, tanto o primeiro como a cantora Ella Fitzgerald se destacam por igualmente serem escolhidos duas vezes.

No entanto, a maior surpresa está na escolha de três nomes muito associados à pop-rock, géneros que poderão não ser automaticamente agregados a Carlos do Carmo, cujo público vê como fadista e próximo da outrora apelidada de canção ligeira. ‘Another Brick in the Wall’, dos Pink Floyd, ‘All You Need is Love’, dos Beatles, e ‘Englishman in New York’, de Sting, comprovam a diversidade de opções, géneros e abordagens musicais do artista.

No que diz respeito à lusofonia, Carlos do Carmo escolheu temas como ‘Lapinha’, de Elis Regina, ‘Construção’, de Chico Buarque‘Galo Bedjo’, de Tito Paris, ou ainda ‘Menino do Bairro Negro, de José Afonso. Sobra ainda espaço para a célebre canção francesa, com Jacques Brel e Édith Piaf, italiana, com Luciano Pavarotti, e catalã, com Joan Manuel Serrat.

Ouve de seguida os temas, através da playlist criada pelo Observador:

 

Carlos do Carmo, com 81 anos, faleceu no dia 1 de janeiro, na sequência de uma intervenção cirúrgica para tratar um aneurisma na aorta abdominal. Premiado internacionalmente e consagrado pelo público português, o fadista era uma das vozes mais emblemáticas e reconhecidas deste género musical. Despediu-se dos palcos em 2019, no Coliseu de Lisboa.

Lê também: Dos eternos colegas de palco às maiores figuras do Estado. As homenagens a Carlos do Carmo

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
The Black Mamba Eurovisão
Eurovisão 2021. The Black Mamba ensaiam pela primeira vez no palco de Roterdão