Marques Mendes

Opinião. Marques Mendes, o segundo Presidente da televisão?

Se há poder que a televisão ainda não perdeu foi o poder de influenciar os espectadores, para o bem ou para o mal. Durante vários anos, Marcelo Rebelo de Sousa foi uma das principais figuras da TVI, com o seu comentário político e, em situações particulares, mesmo noutro tipo de formatos, talvez para se tornar ainda mais próximo do público. Agora, Luís Marques Mendes faz o mesmo caminho na SIC.

O político até nem começou em alta com seu comentário no Jornal da Noite já que, nessa altura, o canal de Paço de Arcos não era líder de audiências. A situação alterou-se e, hoje, o momento em que o profissional se junta a Clara de Sousa, muitas vezes com informações em primeira mão, é um dos mais assistidos na televisão em Portugal.

Aos poucos, o antigo líder do PSD tem conquistado o público com a sua simpatia e a sua assertividade, não muito diferente daquilo que chegou a fazer o atual Presidente da República.

Este sábado, por exemplo, o comentador participou no Alta Definição, com Daniel Oliveira. Ora, também aqui há uma jogada muito interessante. Muitos portugueses olham para Marques Mendes como político e falta-lhes o lado humano. Com esta entrevista fica exposto o lado que faltava.

A seu tempo, muito provavelmente nas próximas eleições, os portugueses terão um novo candidato às presidenciais que conhecem e que muitos apreciam. Assim, a televisão prova, mais uma vez, o seu poder e a sua influência. Obviamente que a Internet, em que se incluem as redes sociais, tem um peso muito grande no dia-a-dia, mas é importante lembrar que muito do conteúdo que por lá anda nasceu e ganhou importância porque lhe foi dado foco nos canais televisivos.

A casa de Cristina

Cristina Ferreira bem prometeu um programa diferente nos finais de tarde da TVI, mas não conseguiu. Por maior que seja o cenário, a fórmula já foi estreada na SIC. O que a apresentadora ainda não percebeu é que não precisa de se esforçar para provar que tem algo diferente. Foi ela quem deu força a um conceito e o tornou quase imprescindível na televisão de hoje em dia.

Hoje é Domingo!

O programa das tardes de domingo da RTP1 chegou ao final sem grande glória. Até começou bem, chegou a dar luta com, por exemplo, a homenagem a Fernando Mendes, mas não chegou.

A dada altura perdeu-se nas audiências e, pior do que isso, nos conteúdos. Uma lição para a direção de programas do canal público que precisa entender que é importante fazer algo realmente diferente das estações privadas.

Mais Artigos
Dia do Beijo: os melhores beijos no cinema