‘Batman vs. Super-Homem’ e ‘Bohemian Rhapsody’ chegam à televisão em abril

'Batman VS Super-Homem: O Despertar da Justiça' e 'Bohemian Rhapsody' são as grandes estreias do canal FOX

A FOX traz duas grandes estreias no canal no mês de abril. Batman VS Super-Homem: O Despertar da Justiça e Bohemian Rhapsody foram os dois filmes escolhidos para fazer parte da grelha do próximo mês.

O primeiro filme a estrear no canal é Batman VS Super-Homem: O Despertar da Justiça. O filme da DC Comics, realizado por Zack Snyder, estreia no dia 11 de abril, às 21h20, com Henry Cavill (The Witcher) e Ben Affleck (Argo) nos papéis principais.

Batman vs Super-Homem
Foto: Jeremy Irons em ‘Batman VS Super-Homem: O Despertar da Justiça’

Em Batman VS Super-Homem: O Despertar da Justiça, a imagem de Super-Homem divide opiniões. Enquanto uns veem nele um símbolo de esperança e proteção, outros consideram-no uma ameaça – como é o caso de Bruce Wayne. Batman está decidido em destruir aquele que considera um inimigo. Super-Homem e Batman vão defrontar-se, sem se a aperceberem que uma ameaça maior põe em perigo a segurança do planeta Terra. Para além disso, o filme conta ainda com nomes de peso como de Amy Adams, Jesse Eisenberg, Diane Lane, Laurence Fishburne, Holly Hunter e Jeremy Irons.

Bohemian Rhapsody estreia no dia 25 de abril, também às 21h20. Com Rami Malek no papel principal, o filme que lhe valeu o Óscar de Melhor Ator Principal, acompanha a história do icónico Freddie Mercury.

Foto: Malek, Lee, Hardy e Mazello como Queen | Divulgação

Este filme autobiográfico sobre os Queen acompanha não só o início da carreira da banda, como também mostra a própria evolução pessoal e profissional do vocalista. Além do mais, Bohemian Rhapsody mostra os momentos mais marcantes da banda, como é o caso do concerto Live Aid de 1985.

Para além do Óscar ganho por Rami Malek, o filme realizado por Bryan Singer foi ainda galardoado nas categorias de Melhor Edição de Imagem, Melhor Edição de Som e Melhor Mistura de Som.

Mais Artigos
Love and Monsters
Crítica. ‘Love and Monsters’ é apocalipticamente encantador