Cristina Ferreira apresenta All Together Now na TVI.
TVI Divulgação

‘All Together Now’. O entretenimento em grande escala

Cristina Ferreira regressou ao horário nobre da televisão portuguesa com All Together Now. “O maior programa de talentos do mundo“, como foi anunciado pela mesma, chegou com um grandioso investimento: um cenário no maior palco do país, cem jurados, a mais famosa apresentadora de Portugal e talento para dar e vender.

As expectativas estavam elevadas. O programa que marcou o regresso de Cristina Ferreira ao horário nobre da TVI, três anos depois de ter apresentado a quinta edição de A Tua Cara Não Me É Estranha ao lado de Manuel Luís Goucha, era muito esperado, não só por toda a publicidade que foi feita à volta do produto, mas também pelo hype que a apresentadora criou sobre o formato que, aparentemente, tinha algo de muito inovador. De alguma forma, Cristina Ferreira não desiludiu com as suas promessas. All Together Now é, provavelmente, uma das melhores produções de sempre da TVI e tem todos os ingredientes para o sucesso, especialmente numa altura em que a televisão tem de procurar ser um refúgio em tempos negros.

O estúdio imponente é, possivelmente, um dos maiores atrativos do programa. Por alguma razão terá sido gravado no Altice Arena. Não é usual encontrarmos estúdios tão grandes e tão bonitos na nossa televisão portuguesa, portanto, de certa forma, o All Together Now revelou-se uma celebração do entretenimento em grande escala. Não difere muito dos restantes programas de talento, mas é elevado ao expoente do festejo, com a alegria, a emoção característica e a energia que não permite a indiferença.

Apesar das fortes críticas que o programa enfrentou devido à sua realização em tempos de pandemia – que não irei desenvolver – o principal defeito que se encontra no formato é que teria sido uma celebração ainda maior, se tivesse sido gravado numa altura em que o mundo estivesse preparado para voltar a abraçar os grandes formatos, como também os seus participantes. É inglório ver um All Together Now que, apesar de toda a boa disposição que nos transmite, não chega perto da sua potencialidade máxima, num estúdio repleto de público, com uma intensidade veemente e uma componente espectacular que dificilmente seria ultrapassada por outro programa da atualidade. Ainda assim, o resultado final é para lá de satisfatório e convence-nos pelo prazer que nos transmite. É televisão das emoções, como Cristina Ferreira diz.

Cristina Ferreira apresenta All Together Now.
TVI Divulgação

Por falar em Cristina Ferreira, já pouco é necessário dizer. Vítima de críticas até pelo impensável, a apresentadora brilhou sem ofuscar. Já não está no patamar de querer fazer um bom trabalho para ser reconhecida, pois o seu valor já foi autenticado por todos os telespectadores. O trabalho de Cristina em All Together Now foi permitir que outros rostos brilhassem – desde os concorrentes aos jurados – um atributo que poucos apresentadores da atualidade conseguiriam deter. Foi, desde o primeiro momento, a escolha indicada para o programa, e não desiludiu.

Ao permitir os elementos do júri brilharem, os jurados tornaram-se um dos pontos mais atrativos do episódio. Temos de tudo, desde rostos habituais da TVI, como Pedro Teixeira, Rita Pereira ou Fernanda Serrano, como caras importantes no mundo da música, como Gisela João ou Rui Baeta. Porém, temos algumas escolhas duvidosas dentro do painel, nomeadamente alguns jurados que não têm qualquer ligação com o mundo artístico. Apesar de compreensível que o elenco de jurados seja vasto e diversificado nas suas especialidades, não é tão concebível que o programa da TVI abrace a ideia de colocar chefs de cozinha ou padres num painel de jurados de um programa musical. Sim, a música é universal, todos nós a sentimos, mas pedia-se escolhas mais rigorosas, por muito atrativas que seja.

Patrícia e Natalyia foram as vencedoras do primeiro programa de All Together Now.
Patrícia e Natalyia foram as vencedoras do primeiro episódio de All Together Now. (TVI Divulgação)

Já os concorrentes, por outro lado, pediam-se mais carismáticos para uma estreia. O talento, apesar de posto em causa pelos jurados, raramente terá sido posto em causa pelo público, mas a empatia não foi imediata e tornou-se um dos pontos menos positivos da estreia – que não passa disso, uma estreia. É de esperar que os próximos episódios nos mostrem concorrentes mais participativos, comunicadores e, acima de tudo, talentosos. Há, no entanto, algo a melhorar. Estamos perante um concurso de talentos, um minuto e meio não é suficiente para uma pessoa mostrar o seu verdadeiro talento, especialmente quando as músicas sofrem edições para ficarem mais curtas. Por mais energia que se permita passar, existe sempre uma parte que soa a pouco. A fluidez do programa tornou-se mais relevante do que ouvir os talentos, o que é compreensível.

All Together Now, o entretenimento em grande escala.
O júri de All Together Now é composto por cem personalidades distintas. (TVI Divulgação)

Na verdade, a fluidez do programa tornou-se um dos pontos mais fortes do mesmo. Em mais de duas horas de episódio, a estreia de All Together Now nunca passou por momentos mortos e nunca se revelou menos do que se propunha. Foi um bom programa de entretenimento para toda a família e, numa altura em que a TVI procura vender-se como um produto familiar, o talent-show mostrou-se um tiro certeiro.

Independentemente das audiências daqui para a frente, All Together Now é verdadeiramente um programa para toda a família, com uma produção impecável e uma energia contagiante. Televisão é isto. Seja com bons ou maus resultados.

Mais Artigos
O Senhor dos Anéis
Série de ‘O Senhor dos Anéis’ vai ser a mais cara de sempre