‘Dungeons & Dragons’: Hugh Grant e Sophia Lillis juntam-se ao elenco

Hugh Grant e Sophia Lillis são as mais recentes adições ao elenco do próximo Dungeons & Dragons, de acordo com o site de notícias Deadline. O ator, inclusive, foi o escolhido para interpretar o grande vilão do filme.

Hugh Grant vai interpretar o papel do principal antagonista na grande adaptação do popular role-playing game de fantasia da Wizards on the Coast. Ao mesmo tempo, Sophia Lillis, mais conhecida pelo seu trabalho nos filmes de terror It, integra o elenco que também inclui Chris Pine, Michelle Rodriguez, Justice Smith e o protagonista da série Bridgerton, o ator Regé-Jean Page.

Dungeons & Dragons é um jogo de fantasia num mundo mágico com dragões, orcs e caças ao tesouro, que já cativou milhões de seguidores em todo o mundo ao longo de mais de 40 anos. Jonathan Goldstein e John Francis Daley estão a bordo como realizadores, que anteriormente ficaram conhecidos pelas comédias Vacation – Wir sind die Griswolds e Game Night.

Não é a primeira vez que a história é retratada no grande ecrã. Em 2000 tivemos uma adaptação sob a realização de Courtney Solomon e elenco com Justin Whalin, Jeremy Irons e Thora Birch. Contudo, mesmo tendo fracassado nas bilheteiras, o filme ainda teve duas sequelas: Dungeons & Dragons 2 (2005) e Dungeons & Dragons: The Book of Vile Darkness (2012).

Além das estrelas do elenco e do nome dos realizadores, a novidade recente trouxe-nos os nomes das personagens de Hugh Grant e Sophia Lillis: Forge Fletcher e Doric, respetivamente.

No último ano, Grant participou na série The Undoing, o que lhe rendeu nomeações a prémios, com a sua personagem e notoriedade no universo das séries de televisão. Já Sophia Lillis, além do seu papel em It, é ainda conhecida pela série da Netflix, I Am Not Okay With This, e ainda pode ser vista no filme da Amazon Prime Video, Uncle Frank.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Love and Monsters
Crítica. ‘Love and Monsters’ é apocalipticamente encantador