Manuel Luís Goucha
Fotografia: Manuel Luís Goucha / Instagram

Goucha relembra início de carreira na TVI: “Não tive humildade suficiente”

Esta terça-feira (2), Manuel Luís Goucha regressou às manhãs da TVI, desta vez como convidado. Durante o Dois às 10, em entrevista a Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos, o apresentador relembrou o único momento da sua carreira em que se deixou deslumbrar pela fama.

Goucha esteve presente no daytime durante mais de duas décadas; no entanto, nem todas as suas experiências foram bem-sucedidas. Em 1994, o apresentador estava à frente do Momentos de Glória, um programa que não correu como esperado e que foi alvo de várias críticas.

O formato, que tinha sido uma grande aposta da TVI, envolvia até estrelas do cinema internacional que vinham de propósito para o programa e que eram entrevistadas por Manuel Luís Goucha. Foi durante esse tempo que o apresentador confessa não ter tido a “humildade suficiente” para dizer à produção que não tinha idade, “maturidade, nem estrutura intelectual e cultural” para falar com os convidados.

O apresentador confessa que “andava deslumbradíssimo”: “Tinha um grande programa invejado por toda a gente, nomeadamente por profissionais que andavam cá há muitos anos”, reforça, lembrando que tinha na época 39 anos. Goucha conta ainda que chegou a ouvir vários comentários negativos por parte dos colegas: “«então andamos aqui há tantos anos e vem o cabrão do cozinheiro e leva este programa»”.

O apresentador referiu também que o dinheiro foi um dos fatores que mais o cegou. “Não imaginas o salário que tinha por cada programa, comparativamente aquilo que se ganha hoje em dia. Claro que não me estou a queixar, tenho uma vida privilegiada, mas comparativamente o salário era inacreditavelmente alto”, referiu.

Goucha, um programa diferente

Desde então, Manuel Luís Goucha teve já vários anos de experiência e afirma ter aprendido que na sua profissão o objetivo não pode ser a fama. “Percebi que tens de ser muito bom profissional e divertir-te”.

Agora, está à frente de Goucha, formato que dirige desde o início do ano, no horário da tarde. Durante o Dois às 10, o apresentador admitiu ainda que não tem saudades do ritmo das manhãs e que gosta “de ter tempo para ouvir as pessoas”, apesar de demorar no mínimo três horas a preparar o novo programa.

Apesar das várias alterações, os esforços da estação de Queluz de Baixo têm vindo a ser recompensados, uma vez que em fevereiro de 2020, o canal alcançou o melhor resultado em dois anos.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Audiências sábado
Audiências. RTP1 aguenta-se em dia de queda para SIC e TVI