gloden globes
Fotografias: Sacha Baron Cohen em 'Borat' (Divulgação) | Meryl Streep em 'The Prom' (Divulgação/Netflix) | Adam Samberg em 'Palm Springs' (Divulgação/Hulu)

Golden Globes 2021. Conhece os nomeados para Melhor Filme de Comédia ou Musical

A cerimónia dos Golden Globes de 2021 realiza-se este domingo, dia 28 de fevereiro. A entrega dos prémios será apresentada por Tina Fey, na Rainbow Room, em Nova Iorque, e Amy Poehler, no The Beverly Hilton, na Califórnia. Como sempre, os nomeados para as diversas categorias são escolhidos pela Hollywood Foreign Press Association com o intuito de premiar o melhor da televisão e do cinema americano do ano de 2020.

Os nomeados para Melhor Filme – Comédia ou Musical são Borat, o Filme Seguinte: Entrega de Suborno Prodigioso a Regime Americano Para Fazer Benefício à Outrora Gloriosa Nação do CazaquistãoHamilton, MusicPalm SpringsThe Prom. O Espalha-Factos traz-te uma análise dos filmes nomeados para saberes o que esperar.

Borat, o Filme Seguinte, uma comédia necessária para o ano de 2020

Depois da série Who is America?, o brilhante Sacha Baron Cohen traz-nos Borat, o Filme Seguinte, uma sequela tão controversa, engraçada e bem escrita quanto o primeiro filme. Passaram-se mais de dez anos desde a estreia de Borat: Aprender Cultura da América Para Beneficiar a Gloriosa Nação do Cazaquistão, no entanto, a personagem é-nos tão ou mais familiar como em 2006. Tal como no primeiro filme, Sacha Baron Cohen fala sobre os temas que atormentam e dividem os Estados Unidos da América em 2020 – ou seja, racismo, pandemia Covid-19, feminismo e socialismo.

Antes de ter estreado, Borat, o Filme Seguinte já andava nas bocas do mundo, por causa de uma cena que envolvia Rudy Giuliani, advogado de Donald Trump, antigo presidente dos EUA, e Tutar (Maria Bakalova), filha de Borat, na qual o advogado assediou a repórter fictícia.

Esta é uma das muitas cenas controversas do filme, que também expõe a existência de supremacia branca nos Estados Unidos negacionistas da pandemia de Covid-19. Sacha Baron Cohen não é o herói dos media que esperávamos, mas o que herói que precisamos. Há mais de uma década que o inglês põe o dedo na ferida dos Estados Unidos, sem medo e sem vergonha, capaz de se humilhar tanto a si próprio como aos seus “inimigos”.

Embora não seja tão engraçado como o primeiro filme, Borat, o Filme Seguinte é uma das melhores comédias de 2020, candidata a ser a grande vencedora desta categoria dos Globos.

Com Hamilton, a Broadway chegou aos Globes

Existe um antes e um depois de Hamilton, na Broadway. A obra de Lin-Manuel Miranda rendeu-lhe um prémio Pulitzer, dois Tony e um Grammy. Agora, o artista é candidato a levar para casa um Golden Globe.

O nome de Alexander Hamilton caiu no esquecimento, enquanto Pai Fundador dos Estados Unidos. Agora, é quase impossível ler ‘Alexander Hamilton’ e não ouvir um coro de vozes a entoar cada sílaba do seu nome. Tudo isto se deve ao génio de Lin-Manuel Miranda, que viu em Hamilton “a personificação do hip-hop“.

Anos antes do lançamento do musical, o artista apresentou a música de abertura na White House Poetry Jam, na Casa Branca, para o antigo presidente Barack Obama. Toda a gente se riu, mas, o que é certo, é que seis anos depois, o musical continua a ser tão falado como no dia em estreou.

O musical foi comprado pela Disney, estando agora disponível na Disney+. Embora tenha sido lançada neste formato, não deixa de ser estranho ver o musical nomeado nos Golden Globes. Será que é justo, visto que Hamilton não foi lançado em 2020, mas sim em 2015? Será que se justifica esta nomeação? Existem argumentos para os dois lados.

O que é certo que quem ainda não viu Hamilton devia fazer disso a sua prioridade para o dia de hoje, ou de amanhã, porque é uma experiência inesquecível, tanto para quem não gosta de musicais, como para quem não vive sem eles.

Palm Springs, a comédia mais original dos Golden Globes

Com Andy Samberg, Cristin MiliotiPeter Gallagher J. K. Simmons nos papéis principais, Palm Springs é uma das comédias românticas mais originais dos últimos anos e, sem dúvida, a mais original desta categoria dos Golden Globes.

O filme conta a história de Nyles (Andy Samberg) e Sarah (Cristin Milioti), que se conhecem num casamento, em Palm Springs, na Califórnia, e que ficam presos num loop temporal. Esta mistura de ficção científica com romcom foi escrita por Andy Siara e realizada por Max Barbakow.

Palm Springs teve comparações óbvias a O Feitiço do Tempocom Bill Murray, que tem uma premissa semelhante ao filme com Andy Samberg. No entanto, Palm Springs retrabalha a fórmula de filmes como O Feitiço do Tempo, ou até mesmo Zombieland. Andy Siara conta uma história com ritmo, que não deixa o espectador a olhar para o telemóvel para responder a uma mensagem. Aos poucos, as personagens de Samber e Milioti vão puxando cada vez mais pela nossa atenção e interesse, compensando o nosso tempo investido no filme.

Comédias como Palm Springs não costumam ganhar Globos, infelizmente. Contudo, Andy Samberg é candidato a levar para casa a estatueta para Melhor Ator – Comédia ou Musical. Mesmo que os produtores de Palm Springs saiam de mãos a abanar, a comédia vale a pena ser vista, pois é raro encontrar um filme com esta originalidade neste género, atualmente.

The Prom Music, dois filmes que não mereciam ser nomeados

O ano de 2020 trouxe-nos comédias e musicais como An American Pickle, com Seth Rogen; Spontaneous, com Katherine Langford; e até mesmo Emma, que se insere neste género, com Anya Taylor-Joy. Nenhum destes filmes, que foram bem recebidos pela crítica, está nomeado para a categoria de Melhor Filme – Comédia ou Musical da edição de 2021 dos Globes, ao invés de The Promcom Meryl Streep James Corden, e Music, de Sia, duas das maiores aberrações cinematográficas lançadas ano passado.

The Prom tem uma boa premissa: uma série de atores excêntricos “invadem” uma cidade conservadora no Indiana, Estados Unidos, para ajudar uma adolescente a levar a namorada ao baile de finalistas. Até aqui, tudo bem, mas o filme torna-se rapidamente insuportável, especialmente por causa das personagens de Streep e de Corden. O ponto de partida de The Prom é interessante e até mesmo importante nos dias de hoje, só que é rapidamente esmagado por personagens impossíveis.

O mesmo se passa com Music, que começa com uma boa premissa que é, também, rapidamente cortada. O filme conta a história de Zu (Kate Hudson), que tem de cuidar da sua meia irmã mais nova com autismo, Music (Maddie Ziegler). Escrito e realizado por Sia, Music não é só um dos piores musicais do ano, mas um dos piores musicais de sempre.

É incompreensível como é que um filme destes é nomeado sequer para os Golden Globes, porque não há nenhum ponto forte neste musical; exceto, talvez, a sua premissa. Mais uma vez, Hollywood não dá voz a quem tem talento, mas sim a quem é popular. Sendo assim, torna-se difícil levar cerimónias de prémios como esta a sério, com nomeações ridículas e não fundamentadas.

Em 2020, foram produzidas boas comédias e musicais, o que torna as nomeações de The Prom Music para esta categoria inconcebíveis.

Mais Artigos
big shot
‘Big Shot’. Nova série adolescente estreia na Disney+