As novas séries do Disney+ Star.
Fotografia: ABC / Divulgação

Disney+. Estas são as séries da Star que não podes perder

Os conteúdos da Star chegam à Disney+ a 23 de feveiro, mas as novidades não ficam por aí

A Star é a mais recente adição ao catálogo da Disney+. A plataforma de streaming vai receber conteúdos mais adultos, vindos diretamente da FOX ou da ABC, alguns em estreia absoluta nas plataformas de streaming em Portugal. O Espalha-Factos reuniu uma lista das séries que não podes perder a partir desta terça-feira (23), com a chegada da Star à Disney+.

A nova área de entretenimento da Disney+ não traz só séries de televisão. O serviço do Rato Mickey vai passar a contar com centenas de filmes e conteúdos originais exclusivos, naquela que é a maior expansão de uma plataforma de streaming, agora que a Disney passa a incluir conteúdos de todas as produções da Disney Television Studios, da 20th Century FOX, da FX, e da Hulu, entre outros. Em comunicado, a empresa afirma que o catálogo irá crescer “todos os meses“. Porém, a partir do dia 23 de fevereiro, várias são as novidades que passam a integrar o catálogo da Disney+. Conhece as imperdíveis:

Anatomia de Grey

Grey's
A história de Meredith Grey foi criada por Shonda Rhimes em 2005. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Shonda Rhimes e a sua Shondaland vão cair em grande força no novo catálogo da Disney+ e, como é claro, a série médica mais longa da história da televisão americana não podia faltar. Anatomia de Grey (ou Grey’s Anatomy, em inglês) conta a história de cinco médicos durante o seu período de residência no Hospital Seattle Grace — pelo menos durante os primeiros anos da série. Meredith Grey (Ellen Pompeo) é a grande protagonista da produção original da ABC, que já conta com 17 temporadas. As primeiras 16 temporadas têm entrada direta para a Star, juntamente com McDreamy (Patrick Dempsey) e outras personagens de apaixonar que abalam as estruturas do hospital mais famoso do mundo da televisão.

Ao longo de quase duas décadas de produção, várias foram as personagens que entraram e as que saíram, mas a história de Meredith parece ainda ter muito por contar. Atualmente na sua 17.ª temporada, a produção decidiu adaptar a história da pandemia de Covid-19 ao pequeno ecrã.

Clínica Privada

Clínica Privada é uma das novas séries do Disney+.
Clínica Privada é uma das séries derivadas de Anatomia de Grey. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Do Hospital para a Clínica, o mundo de Anatomia de Grey não fica por aqui. O spin-off de Grey’s Anatomy, protagonizado por Kate Walsh, conta-nos a história de Addison Montgomery, a ex-mulher de Derek Shepherd (Patrick Dempsey) que o público conseguiu adorar, embora tenha surgido para estragar o amor dos protagonistas da série-mãe.

Seis temporadas após o seu aparecimento em Seattle, Addison muda-se para a Califórnia e aposta num estilo de vida diferente, mais calmo, mas ainda cheio de montanhas-russas de emoções. As seis temporadas de Clínica Privada ficam disponíveis no primeiro dia da Star na Disney+.

Scandal

Scandal é uma das novas séries do Disney+.
Scandal foi protagonizada por Kerry Washington e é mais uma das criações de Shondaland. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Das salas de operação para a Casa Branca, a terceira série de Shonda Rhimes — uma das mais poderosas produtoras da televisão norte-americana — é Scandal e traz Kerry Washington no papel inesquecível de Olivia Pope, uma famosa advogada conhecida por resolver todo o tipo de escândalos e problemas da alta-sociedade de Washington DC. O que o público não sabe é que por detrás de tantas soluções para os escândalos dos seus clientes, Olivia esconde o maior de todos eles: é amante do Presidente dos Estados Unidos da América, Fitzgerald Grant (Tony Goldwyn).

Estreada em 2012 na ABC, após Anatomia de Grey, Scandal foi a primeira série protagonizada por uma atriz afro-americana em horário nobre num canal de sinal aberto, quebrando décadas de impedimentos e abrindo portas para mais uma série de Shonda Rhimes: How to Get Away with Murder. A história protagonizada por Viola Davis é também propriedade da Disney, mas não tem data de estreia na Star, para já.

The Walking Dead

The Walking Dead é uma das novas séries do Disney+.
A história dos zombies quebrou todos os recordes possíveis nos canais por cabo nos EUA e em Portugal. (Fotografia: AMC / Divulgação)

E se, de um dia para o outro, os mortos acordassem e o mundo deixasse de ser aquele que conhecemos? The Walking Dead é um dos maiores fenómenos televisivos da última década e foi criada para a AMC, tendo batidos sucessivos recordes de audiência nos Estados Unidos, superado as séries emitidas em sinal aberto. A história de Rick Grimes (Andrew Lincoln) já conta com dez temporadas e com vários spin-offs, mas o final já está à vista. A série de zombies mais famosa do mundo vai encerrar a história a 4 de abril de 2021. Porém, a última temporada só deverá chegar ao Disney+ mais tarde, uma vez que numa primeira fase, apenas as primeiras nove temporadas da produção ficam disponíveis.

Considerada um dos maiores fenómenos da pop dos últimos anos, The Walking Dead tornou-se uma série de culto e uma produção de enorme sucesso por todo o mundo. Em Portugal, a série é exibida pela FOX e chegou também a bater recordes de audiências entre os canais por cabo, nas primeiras temporadas.

Prison Break 

Prison Break é uma das novas séries do Disney+.
Prison Break é uma das mais comentadas séries da FOX e passa a incluir o catálogo da Disney+. (Fotografia: FOX / Divulgação)

Por detrás de uma mente brilhante, está um plano de fuga perfeito. Prison Break estreou na FOX em 2005 e permaneceu no ar durante quatro temporadas, até regressar em 2017 com uma quinta temporada. Encabeçada por Wentworth Miller e Dominic Purcell, Fuga da Prisão gira em torno de Lincoln Burrows, um homem condenado à morte por ter, supostamente, assassinado o irmão da Vice-presidente dos Estados Unidos. Incapaz de lidar com o destino injusto do seu irmão, Michael Scofield, um engenheiro civil, constrói um plano infalível para resgatar Lincoln da prisão, antes da sua execução. Para isso, Michael tatua-se da cabeça aos pés com a planta da prisão, mas o amor mete-se pelo caminho e salvar o irmão passa a representar também um sacrifício.

Em 2006, Wentworth Miller foi nomeado aos Golden Globes pela sua atuação como ator principal numa série dramática, mas deixou escapar a estatueta para Hugh Laurie, que na altura vivia o protagonista de House M.D., uma das maiores atrações da FOX na mesma altura. Curiosamente, na mesma categoria, o protagonista de Prison Break concorria também contra Kiefer Sutherland de 24 — também da FOX — Patrick Dempsey, de Anatomia de Grey e Matthew Fox, de Perdidos.

Revenge

Revenge é uma das novas séries do Disney+.
Revenge foi um dos maiores sucessos de audiências e de críticas da ABC nos últimos anos. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Quando se embarca numa jornada de vingança, o melhor é sempre cavar duas covas. O conselho é de Confúncio e é assim que começa a história de Emily Throne (Emily VanCamp), uma jovem milionária que regressa aos Hamptons para se vingar da família que levou o seu pai à prisão por um crime que não cometeu. Escondendo a sua verdadeira identidade e começando a derrotar os seus inimigos um por um, Emily não vai descansar até conseguir vingar-se de Victoria Grayson (Madeleine Stowe), a mulher que traiu o seu pai e que ascendeu ao posto de Rainha dos Hamptons.

Durante quatro temporadas, Revenge dá voltas e reviravoltas e é uma das séries mais aclamadas da ABC dos últimos anos, levando Madeleine Stowe a conseguir uma nomeação pela sua Victoria Grayson nos Golden Globes.

Foi Assim Que Aconteceu 

Foi Assim Que Aconteceu é uma das novas séries do Disney+.
How I Met Your Mother é das sitcoms mais vistas dos últimos anos. (Fotografia: CBS / Divulgação)

Nova Iorque, cinco amigos e uma questão: como é que Ted conheceu o amor da sua vida? A sitcom da CBS foi criada por Carter Bays e Craig Thomas e estreou em setembro de 2005. Protagonizada por Neil Patrick Harris, Cobie Smulders, Josh Radnor, Alyson Hannigan e Jason Segel, a sitcom foca-se nas histórias mirabolantes e extravagantes dos cinco amigos na ilha de Manhattan, o que lhe rendeu várias comparações com Friends, a série de 1994 com uma premissa semelhante. No entanto, Foi Assim Que Aconteceu recebeu várias críticas positivas e rapidamente ascendeu ao status de série de culto, sendo seguida por milhões de telespectadores e rendendo várias nomeações e estatuetas para os membros do elenco.

Apesar de ser uma sitcom, a série desenvolve-se à volta de um mistério principal que alimentou o enredo durante as suas nove temporadas, a história de como Ted Mosby (Josh Radnor) conheceu a mãe dos seus filhos, acontecimento que é narrado pela personagem desde o primeiro episódio da série, no suposto ano de 2030. Em Portugal, a série começou por estrear na FOX Life, em 2008, mas rapidamente passou para a FOX e, mais tarde, para a FOX Comedy.

Uma Família Muito Moderna

Luke (Nolan Gould), Claire Dunphy (Julie Bowen) e Haley (Sarah Hyland) em Modern Family (Dia da Mãe)
Modern Family é uma das séries perfeitas para ver com toda a família.  (Fotografia: ABC / Divulgação)

Uma Família Muito Moderna é uma das recordistas nas premiações, tendo levado a estatueta de Melhor Série de Comédia dos Emmys nos anos 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014, juntamente com outros 14 Emmys que conquistou ao longo dos seus onze anos de duração. Focada na família de Jay Pritchett (Ed O’Neill) e os seus filhos Mitchell Pritchett (Jesse Tyler Ferguson) e Claire Dunphy (Julie Bowen), Modern Family mostra uma família totalmente fora do comum. Jay é um homem de sessenta anos divorciado que voltou a casar com uma mulher colombiana e muito mais nova chamada Gloria (Sofía Vergara), já Mitchell é casado com outro homem, Cameron Tucker (Eric Stonestreet), com quem adota uma bebé vietnamita; e Claire é uma dona de casa cuja família lhe troca sempre as voltas, especialmente o marido Phill (Ty Burrell) que, apesar de vários anos de casamento, ainda não caiu nas graças do pai.

Considerada uma das mais divertidas comédias dos últimos anos, Modern Family foi a série mais vista da ABC durante as suas primeiras temporadas e manteve-se um grande sucesso até ao seu último ano de exibição, em 2020. Com um elenco de luxo, Uma Família Muito Moderna fez de Sofía Vergara a atriz mais bem paga da televisão norte-americana, estatuto que perdeu recentemente para Ellen Pompeo, de Anatomia de Grey.

Glee

Glee é uma das novas séries da Disney+.
Glee tornou-se uma das séries mais influentes da FOX durante as suas primeiras temporadas. (Fotografia: FOX / Divulgação)

Quem canta seus males espanta. Glee foi criada por Ryan Murphy para a FOX e tornou-se um dos maiores sucessos do canal em muito tempo, especialmente junto dos mais novos. A história de Rachel Berry (Lea Michelle) manteve altos índices de audiência nas suas primeiras temporadas, focando-se na história de um grupo de adolescentes — todos muito distintos — com um sonho em comum: cantar. Alguns com o desejo de chegar à Broadway e outros com sonhos pelo grande ecrã, Glee tornou-se um marco na televisão norte-americana, esgotando concertos, batendo recordes, conquistando as mais diversas nomeações e garantido um sucesso imediato com algumas versões de músicas cantadas ao longo da série.

Relembrada como um passo importante na representatividade na televisão dos Estados Unidos, Glee tem ficado marcada também pelo desaparecimento de alguns membros do elenco, como a morte de Cory Monteith (Finn Hudson, na série), que viveu um dos protagonistas até à quinta temporada, ou a morte de Naya Rivera em 2020, que fica imortalizada com a sua Santana Lopez, uma jovem cheerleader que descobre que é homossexual.

Perdidos

Perdidos é uma das novas séries do Disney+.
Lost foi um dos maiores sucessos da década de 2000. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Um dos maiores sucessos da televisão americana deste século, Lost é um drama de ficção científica que seguiu a vida dos sobreviventes de um acidente aéreo, que se despista numa ilha tropical misteriosa e inabitada, algures no Oceano Pacífico. A história dos 48 sobreviventes do desastre é contada através de flashbacks e flashforwards, numa viagem pelo futuro e pelo passado que baralha o telespectador e o prende através da incerteza do que os seus olhos lhe mostram. Gravada no Hawaii, Lost tornou-se a série mais cara de sempre durante a sua produção — tendo sido já ultrapassada por produções como Game of Thrones ou The Crown — mas representou um enorme investimento da ABC, quando os seus números estavam em declínio em 2004. Um sucesso de crítica e de público, a série manteve uma média superior a 15 milhões de telespectadores durante o primeiro ano da história, levando-a também a conquistar vários prémios.

Um fenómeno além da televisão, com inúmeras revistas de banda-desenhada e jogos de realidade alternativa a garantirem o sucesso fora do pequeno ecrã, Lost foi ainda uma das primeiras séries a levar os fãs a puxarem pela imaginação e a criatividade, surgindo inúmeras fanfics online e várias teorias que procuravam resolver os mistérios por detrás da queda do avião e da sobrevivência das personagens na ilha misteriosa.

Irmãos e Irmãs

Irmãos e Irmãs é uma das novas séries do Disney+.
Luke Macfarlane e Matthew Rhys viveram um dos primeiros casais homossexuais numa série dramática em horário nobre. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Podia ser uma novela, mas não é. Brothers & Sisters é uma série dramática da ABC estreada em 2006, logo após os episódios de Donas de Casa Desesperadas. Inspirada nos dramas da vida real, a série foca-se na família Walker, uma família com origens irlandesas e judaicas, com negócios numa distribuidora de produtos alimentares. Passada em Los Angeles, a história centra-se essencialmente na matriarca da família, Nora (Sally Field) e nos seus cinco filhos: Sarah (Rachel Griffiths), Kitty (Calista Flockhart), Tommy (Balthazar Getty), Kevin (Matthew Rhys) e Justin (Dave Annable), que enfrentam diversos problemas nas suas vidas pessoais, desde divórcios, traições, homofobia e até dependência de drogas.

Em Portugal, a série foi exibida pela FOX Life e pela RTP2 e correu durante cinco temporadas, mas o sucesso de Irmãos e Irmãs foi além do público, conquistando o coração da crítica. Ao longo dos cinco anos da produção, a história dos Walker rendeu quatro nomeações aos Golden Globes — duas para Sally Field e outras duas para Rachel Griffiths — e sete nomeações aos Emmys, com uma vitória para Field pelo seu papel dramático como Nora Walker.

Donas de Casa Desesperadas

Donas de Casa Desesperadas é uma das novas séries do Disney+.
A história das quatro amigas foi um fenómeno mundial e continua a ser recordada atualmente pelo seu impacto na cultura pop. (Fotografia: ABC / Divulgação)

Estreou em 2004 e nunca deixou de ser um sucesso. Donas de Casa Desesperadas é focada na história de quatro mulheres amigas de Fairview, uma cidade fictícia do também estado fictício de Eagle. Protagonizada por Teri Hatcher como Susan, Marcia Cross como BreeVan de Kamp, Felicity Huffman como Lynette Scavo e Eva Longoria como Gabrielle Solis, Donas de Casa Desesperadas centra-se na vida das quatro amigas após uma vizinha cometer suicídio no primeiro episódio da série, levando a história a viajar ao longo do tempo — primeiro entre os anos 2004 e 2008 — e depois entre 2013 e 2017, embora o último episódio da produção tenha sido exibido em 2012, na ABC.

Considerada uma das mais influentes séries americanas dos últimos anos, Desperate Housewifes venceu vários prémios, desde os Emmys aos Golden Globes, e foi uma das séries mais vistas nos Estados Unidos durante os seus primeiros anos. Antes da estreia da produção, a ABC sofria uma queda de audiências considerável, sem nenhum programa que a segurasse como bóia de salvação, após o fim de Quem Quer Ser Milionário? em 2002. Porém, o cenário mudou de figura quando a tripla Perdidos, Donas de Casa Desesperadas e Anatomia de Grey se formou. A história das quatro amigas estreou com os maiores números para a estação desde 1996 e permaneceu como a atração mais vista durante as suas primeiras temporadas, tornando-se um enorme fenómeno da cultura pop. Ausente das plataformas de streaming desde a sua saída dos ecrãs portugueses, Donas de Casa Desesperadas regressa agora como parte do catálogo da Disney+.

Love, Victor e os outros Star Originals

Love, Victor é uma das novas séries do Disney+.
Love, Victor mostra um adolescente homossexual como protagonista, sendo uma das primeiras séries a fazê-lo. (Fotografia: Hulu / Divulgação)

É um dos Star Originals e chega à plataforma apenas com 2 episódios disponíveis, com os restantes a serem disponibilizadas semanalmente. Criada para a Hulu, Love, Victor é inspirada no filme Love, Simon e no livro que lhe deu origem (Simon vs. the Homo Sapiens Agenda) e conta a história de um jovem porto-riquenho de Atlanta que se inspira na história de sucesso de Simon (Nick Robinson) para enfrentar as questões quanto à sua sexualidade, enquanto se apercebe que pode estar realmente a apaixonar-se por um rapaz.

Produzida pela 20th Television — que faz parte da Disney desde março de 2019 — Love, Victor recebeu aclamação por parte do público e da crítica, rendendo-lhe uma renovação para uma segunda temporada quase que automaticamente. No catálogo da Disney+, Love, Victor faz parte dos Star Originals, juntamente com Big Sky, Solar Opposites e Helstrom, séries que também terão os seus episódios lançados semanalmente. Para além destas, a Disney confirmou também que qualquer série que seja produzida pela ABC ou pela FX deverá estrear na plataforma como uma produção original da Star.

Contudo, os Star Originals não ficam por aqui. Em 2021, a Disney+ deverá acrescentar ao catálogo séries como Only Murders In The Building — protagonizada por Steve Martin, Martin Short e Selena Gomez — numa história sobre três estranhos que partilham uma obsessão pouco comum com crimes verídicos até se verem envolvidos num; ou American Horror Stories, o novo spin-off de American Horror Story que contará histórias de terror de uma forma antológica, ou seja, uma história diferente a cada episódio. Espera-se ainda a chegada de The Dropout, Dopesick, The Old Man, Platform e ainda o novo reality-show das Kardashians e Jenners, que assinaram um contrato milionário com a Disney para continuarem a contar as suas histórias na plataforma de streaming.

Para além do melhor dos Estados Unidos, a Disney+ irá também adicionar conteúdo internacional — especialmente europeu — ao longo do ano, como produções francesas (Parallels, Oussekine, Weekend Family), italianas (The Good Mothers, The Ignorant Angels) ou alemãs (Sam – A Saxon, Sultan City), entre muitas outras.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Eurovisão
Eurovisão 2021. Canal italiano propõe atuação de artistas que iriam à edição de 2020