Festival da Canção
Fotografia: EF via Divulgação

Festival da Canção 2021. Quem são as vozes da primeira semifinal?

A primeira semifinal do Festival da Canção 2021 vai para o ar este sábado (20), em direto a partir dos estúdios da RTP. Na primeira eliminatória do certame, dez concorrentes lutam por um lugar na Grande Final, que vai decidir o representante português no Festival Eurovisão da Canção, em maio.

Alguns dos artistas que vão interpretar os temas a concurso já são conhecidos pelo público. No entanto, apesar das suas carreiras musicais, nem todos têm este reconhecimento. Quem são os rostos que podem vir a representar Portugal no maior certame de música do mundo?

Lê também: Festival da Canção 2021: Quem lidera no YouTube antes das semifinais?

Espalha-Factos dá-te a conhecer, por ordem de atuação, a história das vozes que compõem o lote de concorrentes da primeira semifinal do Festival da Canção.

1. The Black Mamba – ‘Love is on My Side’ (Autor: Tatanka)

The Black Mamba
Fotografia: Divulgação

O grupo forma-se em maio de 2010, composto por Pedro Tatanka (vocalista), Ciro Cruz (baixo) e Miguel Casais (bateria). Atualmente, a banda tem um quarto integrante que se juntou anos mais tarde, Marco Pombinho (teclas). O primeiro disco em nome próprio apresentou a sonoridade, mescla de soulfunk blues que levou o trio, depois quarteto, a viajar pelo país e pelo mundo com a sua música.

Além de The Black Mamba (2010), editaram Dirty Little Brother (2014) e The Mamba King (2018). Pelo meio foram inúmeros os concertos e digressões; a mais recente, Good Times Tour terminou em fevereiro de 2020, antes do início do confinamento.

No Festival da Canção, interpretam ‘Love Is On My Side’, tema composto por Tatanka, também vocalista do grupo.

2. Valéria – ‘Na Mais Profunda Saudade’ (Autor: Hélder Moutinho)

Festival da Canção
Fotografia: Facebook/Valéria

Natural de Castelo Branco, Valéria Carvalho, de 23 anos, é autora, compositora e intérprete. A fadista encontra cedo a paixão pelo género musical português – aos 15 anos, descobre o mundo do fado num festival musical de Ladoeiro, em Idanha-a-Nova. Em 2014 acaba por participar no concurso de fado Amália Rodrigues, no Fundão, onde fica em primeiro lugar.

Além de participar em produções de teatro, cantar em casas de fado em Lisboa e pisar palcos pelo país, Valéria foi vocalista de diversos grupos musicais e participou em diversos discos. No Festival interpreta Na Mais Profunda Saudade’, tema composto por Hélder Moutinho.

3. mema. – ‘Claro Como Água’ (Autores: Stereossauro)

Festival da Canção
Fotografia: Divulgação

mema. é o nome artístico de Sofia Marques. Natural de Aveiro, entrou para o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian em 2006, onde estudou guitarra e técnica vocal. A artista começou a compor temas a solo e fez as suas primeiras atuações em terras aveirenses e, depois, em Lisboa. A carreira como mema. inicia-se em 2016 com o projeto Strength in Numbers, coletivo de produtores de música eletrónica do qual fez parte durante a sua passagem por Berlim, na Alemanha. Viaja depois para Dublin, na Irlanda, onde fica até 2019 a colaborar com artistas e projetos a nível europeu.

A atual identidade musical surge em 2018, quando começa a experimentar a mescla da pop com sons folk. Cidade de Sal é o seu primeiro EP, editado em outubro do ano passado, e ‘O Devedor’‘O Outro Lado’ ‘Perdi o Norte’ são os três singles editados pela artista; o último passou em rádios como a Antena3 ou a Vodafone FM e mereceu a menção honrosa na edição de 2020 do concurso Novos Talentos Fnac.

No Festival da Canção 2021, é a intérprete convidada pelos Stereossauro e vai interpretar Claro Como Água’.

4. Nadine – ‘Cheguei Aqui’ (Autora: Anne Victorino d’Almeida)

Festival da Canção
Fotografia: Facebook/Nadine

“Fado no seu mais puro e bonito estado” é o seu lema. Nadine Brás nasceu em Faro, mas Lisboa é agora a sua casa. Foi nesta cidade que se licenciou em oboé pela Escola Superior de Música de Lisboa, mas a sua paixão pelo fado fez com que fizesse do género musical português a sua vida, atuando em várias casas de fado pela cidade. Nadine já percorreu o país em concerto e chegou a atuar no Brasil, Andorra e Suíça, é mentora do projeto Quase Um Fado e já participou em diversos discos.

No ano em que se prepara para lançar o seu EP de apresentação, apresenta-se no Festival com ‘Cheguei Aqui’, tema composto por Anne Victorino D’Almeida.

5. Miguel Marôco – ‘Girassol’ (Autor: Miguel Marôco)

Festival da Canção
Fotografia: Instagram/Miguel Marôco

Miguel Marôco tem 21 anos e é um dos dois autores apurados pelo concurso de livre submissão para o Festival da Canção. A música está na sua vida desde tenra idade: aos cinco anos entrou na escola de música da Sociedade Filarmónica Recreativa de Pêro Pinheiro e, aos oito, integra a Banda Filarmónica da instituição. Ingressa depois no Conservatório de Música de Sintra para aprender e, anos mais tarde, conclui o 8.º grau de formação na Escola Artística de Música do Conservatório Nacional.

Atualmente é estudante de mestrado em Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, faz parte de um quarteto musical e prepara projetos independentes – em janeiro de 2020 lançou um primeiro EP, intitulado Noite. No Festivalcompõe e interpreta ‘Girassol’.

6. Fábia Maia – ‘Dia Lindo’ (Autora: Fábia Maia)

Festival da Canção
Fotografia: Divulgação

Fábia Maia diz não ter ângulos artísticos ou comerciais. O seu percurso na música, além de experiências como a passagem por uma banda de metal na adolescência, começou a ganhar forma depois de fazer versões de temas de hip hop português, de artistas como Allen Halloween, Valete ou Regula. Acaba a trabalhar com Jimmy P no tema ‘Má Vida’, inserido no disco do rapper, Essência. Lançou o EP Melodia-me, co m participações de Jimmy P e Slow J mas, insatisfeita, parte em busca da sua essência.

Os singles ‘Vibe Certa’‘BarcelonaParis’‘MyBaby’ são os resultados dessa nova faceta, apresentada por completo no EP de 2020 Santiago, no qual luta abertamente por uma sociedade mais inclusiva e justa. No Festivalcompõe e interpreta ‘Dia Lindo’.

7. IRMA – ‘Livros’ (Autora: IRMA)

Festival da Canção
Fotografia: Divulgação

IRMA começou a carreira como atriz, tendo participado em vários projetos de ficção em canais generalistas, mas a música é outra das suas paixões. Nascida em Lisboa, com raízes angolanas, toca guitarra desde os 12 anos e acaba por se licenciar em Artes Performativas. Além de telenovelas, participou também em diversas produções de teatro musical.

Em 2019 apresenta-se no mundo musical com o single ‘Da Mesma Pele’, escrito com Carolina Deslandes, e em 2020 lança o álbum de estreia, Primavera. Um ano depois apresenta-se no Festival com ‘Livros’, tema composto e interpretado pela própria.

8. Romeu Bairos – ‘Saudade’ (Autores: Karetus)

Festival da Canção
Fotografia: Instagram/Romeu Bairos

Romeu Bairos tem 28 anos e é natural das Furnas, em São Miguel, Açores. O gosto pela música vem desde a infância, altura em que esteve ligado à música tradicional – aos três anos cantou num festival infantil – e a bandas filarmónicas da sua terra, onde tocava clarinete. Além deste instrumento, toca ainda guitarra e piano.

Depois de se ter ficado pelo 9.º ano de escolaridade, ingressa no Conservatório regional de Ponta Delgada, onde concluiu o 5.º grau de formação. Anos mais tarde, foi também aluno do JB Jazz Clube. Em 2015, foi participante do The Voice Portugal, concurso da RTP onde chegou até à fase de tira-teimas na equipa de Marisa Liz.

O seu primeiro EP, intitulado Cavalo Dado, foi lançado em 2019. Dois anos depois, participa no Festival da Canção a interpretar o tema ‘Saudade’, composto pelo duo Karetus.

9. Sara Afonso – ‘Contramão’ (Autor: Filipe Melo)

Festival da Canção
Fotografia: João Catarino

Sara Afonso nasceu em 1991, em Faro. Desde muito pequena que canta, primeiro para a família e depois em coros. Entre aulas de piano, começa a cantar em concursos musicais e, aos 10 anos, tem a sua primeira professora de canto. Estudou artes visuais no ensino secundário, estudou teatro em Londres e volta a Portugal para começar a estudar Artes e Humanidades no ensino superior, curso que abandona ao descobrir a escola do Hot Clube Portugal. Pelo meio vive em Marrocos, onde canta ao vivo, e conclui os estudos no Hot Clube.

Atualmente está na Escola Superior de Música e dá aulas de voz. No Festival interpreta ‘Contramão’, tema composto por Filipe Melo.

10. IAN – ‘Mundo’ (Autora: IAN)

Festival da Canção
Fotografia: Divulgação

IAN é o nome artístico de Ianina Khmelik. Nascida em Moscovo, na Rússia, começou a estudar música aos cinco anos. Anos mais tarde, ingressa na Escola Profissional de Música Gnessin e fica em segundo lugar num concurso para jovens músicos da capital russa. Em 1995 vai estudar para a Alemanha e em 1999 muda-se para Portugal. Em 2006 termina a licenciatura em violino na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto.

Durante a sua carreira musical, participou em projetos de bandas como The Gift ou GNR. Em nome próprio, editou os primeiros EP em 2018 e, em 2020, chega Raivera, o primeiro álbum de estúdio, produzido por Nuno Gonçalves dos The Gift. Além de atriz, atualmente toca violino na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Salta, também, para o palco do Festival, onde interpreta ‘Mundo’, tema composto pela própria.

Ouve o EFVisão, novo podcast do EF sobre o Festival da Canção:

A primeira semifinal do Festival da Canção 2021 vai para o ar este sábado, 20 de fevereiro, a partir do Estúdio 1 da RTP; a segunda acontece no dia 27. Cada eliminatória apura cinco canções para um total de dez concorrer na Grande Final, agendada para dia 6 de março.

Depois da vitória de Elisa com ‘Medo de Sentir’ em 2020, inicia-se a busca pelo novo representante português na próxima edição do Festival Eurovisão da Canção, que acontece em maio em Roterdão, nos Países Baixos. A RTP garantiu a presença de Portugal no concurso europeu, que tem planeados vários cenários para que o festival aconteça mesmo em situação pandémica.

Mais Artigos
Cabeça de Batata
Sr. Cabeça de Batata perde o ‘Sr.’ e assume género neutro