Tiago Nacarato
Imagem: Divulgação RTP

À Escuta. Tiago Nacarato, Carla Prata e Tiago Plutão em destaque

A colaboração de Tiago Nacarato com Fran, o novo single de Tiago Plutão e a ida de Carla Prata ao COLORS marcam os destaques do À Escuta, rubrica semanal do Espalha-Factos sobre música portuguesa.

Mas estes lançamentos não são a única novidade da semana. Os Azeitonas estão de regresso com nova música, há novo disco hipnotizante de Barata Cósmica, e novos singles de Dream PeopleGood News FirsthimalionJeronimo, Saloio, TraçoToo Many SunsVaarwell Yagmar.

A colaboração de Tiago Nacarato com Fran sobre o Rio de Janeiro em ‘Areia Fina’

Tiago Nacarato junta-se ao músico brasileiro Francisco Gil, mais conhecido por Fran, para o seu novo tema, ‘Areia Fina’, uma música influenciada pela bossa nova e pela pop brasileira. A faixa foi gravada à “distância transatlântica, como impera nos dias de hoje, devido à impossibilidade das habituais reuniões físicas“, tendo partido de uma composição criada por Nacarato, enviada depois para o Brasil, altura em que Fran adicionou o seu contributo lírico e vocal.

No comunicado enviado à imprensa, Nacarato explicou o surgimento da canção. “Comecei a escrever ‘Areia Fina’ numa tour que fiz no Brasil em 2018. Era a primeira vez que pisava o Rio de Janeiro, a terra onde nasceram, viveram e morreram grande parte dos meus ídolos. (…) A canção é um fast forward desse período em que lá estive, misturada com algumas citações de canções que me envolveram nesses dias“, contou o cantautor português.

A colaboração com Fran surgiu a partir de um contacto efetuado por João Dinis e, de acordo com Nacarato, a inclusão do artista brasileiro surge como uma forma de “misturar duas visões completamente distintas da cidade [do Rio de Janeiro]” – a de Nacarato, alguém que admira a cidade, e a de Fran, alguém que a experiencia e nela vive diariamente.

A reflexão sobre amor próprio de Tiago Plutão em ‘Só Para Alguém Gostar’

Só Para Alguém Gostar’ é o novo single de Tiago Plutão, nome pelo qual se apresenta o músico Tiago Cunha. É o segundo avanço do seu disco de estreia, intitulado Relativizar, que sairá ainda no primeiro trimestre deste ano. Assentado em riffs de guitarra distantes e sintetizadores a puxar para o neopsicadélico, ‘Só Para Alguém Gostar’ apresenta-se como uma crítica, com um refrão bem orelhudo, a quem se encaixa no padrão e se acomoda só para ser gostado.

Tiago Plutão
Fotografia: Divulgação

Por outras palavras, é uma faixa sobre amor próprio, e o quanto devemos colocar quem somos à frente da opinião dos outros para nos sentirmos realmente bem com nós próprios. “‘Só para alguém gostar’ é uma visão minha da sociedade que necessita muito da aceitação de terceiros, é uma constatação da observação de pessoas que fazem de tudo para agradar aos outros, consciente ou inconscientemente. Não sei, mas creio que devíamos olhar primeiro para dentro de nós e aprender a gostarmos mais de nós“, refere o cantautor na nota enviada à imprensa.

A presença de Carla Prata no COLORS com ‘Certified Freak’

Foi um sonho que se tornou realidade“, contou Carla Prata ao Rimas e Batidas sobre a sua experiência no COLORS, um dos programas de música urbana online mais prestigiados da atualidade. Depois de Mayra Andrade, Dino d’Santiago e Nenny terem levado um pouco de Cabo Verde e Portugal ao programa, foi a vez de Carla levar um pedaçinho de Angola à sala do COLORS.É uma honra e responsabilidade enorme ser a primeira angolana no show“, referiu a artista, que nasceu em Londres mas que vive entre Lisboa, Benguela e a capital britânica.

Em ‘Certified Freak’single lançado no passado dia 5 de fevereiro, Carla junta o mundo do R&B com a componente urbana do hip-hop atual, fazendo lembrar artistas como helani, The Weeknd, H.E.R. ou Princess Nokia. Contando com uma lírica bastante ousada e libertadora, o flow utilizado por Carla transmite bem os sentimentos pretendidos, trocando entre uma componente sexual bastante evidente e uma certa solidão noturna que ecoa pelo beat.

A união delicada entre Porto e Lisboa no novo single d’Os Azeitonas

Os Azeitonas, banda constituída atualmente por Nena, Marlon e Salsa, revelaram esta semana o seu novo single, intitulado deGuitarrista do Liceu’. É o primeiro lançamento do grupo desde 2018, ano em que a banda se reuniu e lançou Banda Sonora.

Uma canção com letra e música de Pedro da Silva Martins, ‘Guitarrista do Liceu’ é um número de pop rock orelhudo, assentado em riffs de guitarra delicados e numa produção limpa, a fazer lembrar chamber pop, com o espaço que existe entre os vários instrumentos que vão surgindo. A adição de instrumentos de sopro dá um toque mais rústico à faixa, que conta a história da junção entre Lisboa e Porto.

A criação do universo em O Enigma do Morcego dos Barata Cósmica

Barata Cósmica
Fotografia: Divulgação

O Enigma do Morcego é o nome do segundo disco do duo barreirense Barata Cósmica, composto por André Neves (George Silver) e Bruno Contreira. O grupo “explora o espaço através de máquinas“, criando um imaginário “repleto de elementos do universo, que é materializado pelo som que é produzido.

A descrição de “imaginário cósmico” assenta que nem uma luva na palete sonora de O Enigma do Morcego. Entre a eletrónica e o ambiente, com uma notória influência de trip hop, as melodias são dissonantes, hipnóticas, constituídas por sintetizadores escuros e psicadélicos, que nos guiam numa viagem através de uma tela escura. Nós somos apenas uma pequena partícula nessa tela, e vamos observando o universo a formar-se, os elementos a surgirem e cores (psicadélicas, obviamente) a aparecerem, pela primeira vez, a desaparecem, e a voltarem a aparecer.

O Enigma do Morcego é um disco com princípio, meio e fim, que vai evoluindo e criando coisas à medida que o ouvinte avança pelas suas sete faixas, como se da partícula na tela escura se tratasse. Vamos descobrindo, pouco a pouco, as texturas e cores que nos rodeiam e, no fim, regressamos ao ponto de partida: a um infinito vasto, onde a escuridão e o desconhecido são os equivalentes conhecidos à beleza etérea e celestial.

‘I Know Everything About You’ é o mais recente avanço do novo disco dos Dream People

I Know Everything About You’ é o terceiro avanço do próximo disco dos Dream People, Almost Young. Estendendo-se ao longo de seis minutos de duração, ‘I Know Everything About You’ é uma faixa que justifica a paciência para a sua escuta, retratando as várias fases de uma relação amorosa.

Dream People
Fotografia: Divulgação

Contando com um refrão orelhudo e sonhador, com uma melodia belíssima e etérea, ‘I Know Everything About You’ inicia-se de mansinho. As guitarras suaves e melancólicas surgem distantes, mas vão-se aproximando à medida que a faixa avança. A voz de Francisco Taveira soa carregada de melancolia e surge pelo meio do instrumental carregado de reverb, que nos lembra de onde estamos: numa paisagem suburbana sonhadora.

A espera e o desenvolvimento de ‘I Know Everything About You’ vai criando uma expectativa para o clímax da faixa, retratando o deterioramento da relação cuja história é contada na lírica. A implosão finalmente acontece perto do fim da música. Os ritmos aumentam, a insegurança na voz de Francisco aumenta, e toda a dor que simboliza o fim de uma relação é libertada, transparecendo uma certa nostalgia pelas memórias que foram vividas e que não vão voltar.

Almost Young tem data de lançamento marcada para o próximo mês de março.

A invocação ao mar dos Good News First em ‘We Were Born Lucky’

We Were Born Lucky’ é o novo tema dos Good News First, trio constituído por José Salvador Vasconcelos e Duarte Farinha. ‘We Were Born Lucky’ é uma regravação de um dos primeiras temas da banda, encontrando agora uma produção mais polida face à gravação original.

Inspirada por O Velho e o Mar, romance de Ernest Hemingway, ‘We Were Born Lucky’ é uma faixa etérea, que mistura elementos de post-rock com toques de eletrónica e folk, conferindo uma sonoridade que soa como se estivéssemos perante uma paisagem marítima em constante movimento. Não obstante, a existência de narração que evoca a escrita de Hemingway e a mitologia marítima aumenta todo a sensação náutica que paira sobre a faixa.

O indie folk de himalion em ‘Make It Rain (water, fall)’

Make It Rain (water, fall) é o primeiro single do disco de estreia de himalion, projeto do músico aveirense Diogo Sarabando. Ecoando influências de artistas como Fleet Foxes ou Sufjan Stevens, ‘Make It Rain (water, fall)’ junta a estética indie ao folk, criando uma atmosfera primaveril, nostálgica e digna de aquecer o coração de ouvintes.

A produção escolhida para a música serve como a paisagem apropriada para a voz suave e quentinha de Diogo brilhar, acompanhada por um instrumental que assenta na guitarra acústica e em sintetizadores etéreos que vão surgindo para aumentar todo este cenário primaveril. BLOOMING é o título do disco de estreia do projeto, e tem data de lançamento marcada para o próximo mês de maio.

Os Jeronimo fazem-se ouvir com ‘Collective Silence’

Jeronimo é o nome do grupo constituído pelos irmãos Gil (Les Crazy Coconuts), Nuno (Few Fingers, Nuno Rancho) e Luis Jerónimo (Nice Weather for Ducks, Obaa Sima), e Collective Silence’ é o nome do seu novo single. Combinando sintetizadores etéreos e pulsantes com beats de eletrónica e um toque de indie pop à mistura, ‘Collective Silence’ é uma faixa com um refrão extremamente orelhudo, onde as vozes dos irmãos se juntam para criar um hook meloso.

Apesar de ter sido escrita antes da pandemia covid-19 ter assolado o mundo, a faixa reflete sobre a colaboração que deve existir num mundo cada vez mais distante devido às desigualdades que existem. O lançamento do single marca o início da semana em que se celebra o nono aniversário da gravadora da banda, a Omnichord Records.

A autorreflexão de Saloio em ‘A Dobra’

Leonardo Rocha, natural do Porto, assina como Saloio nas suas várias vertentes de cantor, guitarrista e compositor. ‘A Dobra’ é o nome do novo single do cantautor português, e conta com a assinatura da Monster Jinx.

Segundo o artista, ‘A Dobra’ é uma canção “de autorreflexão, onde procuro respostas em silêncio comigo mesmo, como se fosse a retrospetiva de um caminho onde coleto as próprias pegadas e vislumbro as dobras criadas por mim com o intuito de as desdobrar.

O sentimento de insegurança – a dobra mencionada por Saloio –  é notado não só pelo instrumental, que junta influências de jazzindiedream pop, mas pela forma como Leonardo canta a letra, espelhando o sentimento que o cantautor pretende transmitir. É uma faixa suave, groovey até, sonhadora e etérea, onde os riffs de guitarra vão surgindo pelo meio de sintetizadores etéreos e distantes.

O indie rock pujante dos Traço faz passar o ‘Tempo

Traço
Fotografia: Divulgação

Pode até começar (e terminar) com teclas suaves mas, entre estas, o novo single dos Traço, banda portuense constituída por Tiago Santos (voz e guitarra), Jorge Corujas (guitarra), Miguel Moura (teclados) e João Guimarães (bateria), rapidamente se torna numa faixa de indie rock, misturada com elementos de eletrónica, que evoca influências de grupos como FoalsFuture Islands ou Hot Chip.

Constituída por ritmos elevados, e em variância constante,Tempo’ é descrita pelo grupo como um “tema agridoce” pois o tempo, esse, “tudo passa por ele e ele passa por todos“.

A celebração dos Too Many Suns com o lançamento de ‘Memory Lane’

Memory Lane’ é o nome do novo single dos Too Many Suns, grupo constituído por Hugo Hugon (guitarra e voz), João Cardoso (bateria) e Vasco Rato (baixo). O lançamento da faixa surge em forma de celebração da primeira edição física de Meaning of Light, disco de estreia do grupo lançado em outubro do ano passado, ter esgotado.

Entre as atmosferas cobertas de reverb, os ritmos elevados no baixo e na bateria e as guitarras de Hugo, ‘Memory Lane’ grita nostalgia, e remete para a necessidade de renascermos e recomeçarmos as vezes que forem necessárias até descobrirmos o caminho certo para atingir os nossos objetivos. A banda explica: “Com este videoclipe, para além de termos como tema agregador Hugo Hugon e João Cardoso, os fundadores da banda, quisemos mostrar a evolução da banda desde os seus primórdios, tanto a nível de ensaios como concertos, em jeito de fecho deste ciclo tão recompensador para nós e que abre caminho a novos mundos.

‘fall back’  é o novo single de Vaarwell

Vaarwell é o duo constituído por Margarida FalcãoRicardo Nagy, efall back’ é o nome do seu novo single. Apesar de ter sido em Lisboa que iniciaram a sua carreira, que já se estende por quase seis anos, a banda encontra-se atualmente sediada em Londres, no Reino Unido.

Começámos a escrever quando estávamos a fazer as malas para a mudança, e depois tratámos da produção durante o período de isolamento obrigatório que realizámos após chegarmos a Londres“, contou o grupo à Atwood. Misturando uma sonoridade de indie pop – com os seus sintetizadores etéreos, onde se nota a influência de artistas como James Blake ou Glass Animals -, com R&B e eletrónica, ‘fall back’ é uma faixa que fica no ouvido pelas suas melodias mirabolantes mas delicadas, que complementam muito bem a voz de Margarida.

‘Coisas Más’ antecipa Homem Severo, disco de estreia dos Yagmar

Coisas Más’ é o título do terceiro single retirado do primeira longa-duração dos Yagmar, Homem Severo. O disco tinha lançamento programado para 2020 que, devido à pandemia, foi adiado para 2021. ‘Coisas Más’ é uma faixa que, em semelhança com os outros trabalhos do grupo, é influenciada por ritmos africanos. Aqui, estes ritmos são elevados, extremamente dançáveis, e aos quais se juntam influências de indie rock, bem presente nos riffs de guitarra que vão deslizando por toda a faixa.

O resultado final é uma sonoridade eclética e totalmente única dentro do panorama nacional. A faixa foi produzida por Vitor Carraca Teixeira. Homem Severo tem lançamento marcado para o próximo dia 16 de abril de 2021 e será constituído por oito temas.

Mais Artigos
CNN
Reportagem da CNN vencedora de um Emmy conta com dois jornalistas portugueses