Christopher Plummer morreu aos 91 anos.
Fotografia: Jordan Strauss

Morreu Christopher Plummer, a estrela de ‘Música no Coração’

Christopher Plummer, o eterno Capitão Von Trapp do inesquecível Música no Coração, faleceu esta sexta-feira (5) na sua casa no Connecticut. Tinha 91 anos.

Vencedor de um Óscar na categoria de Melhor Ator Secundário pelo filme de 2011, Assim é o Amor, Christopher Plummer viveu inúmeros papéis marcantes, mas a sua atuação em Música no Coração ficará para sempre marcada em várias gerações, pelo clássico de Hollywood protagonizado pelo próprio e por Julie Andrews.

O Chris era um homem extraordinário que amava e respeitava profundamente a sua profissão com uma educação à moda antiga, com um humor especial e a música nas suas palavras. Era um tesouro nacional que dava muito valor às suas raízes canadianas. Através da sua arte e humanidade, ele tocou todos os nossos corações e a sua vida lendária vai perdurar por muitas gerações. Estará para sempre connosco“, escreveu Lou Pitt, o agente e amigo do ator, num comunicado.

Christopher Plummer and Julie Andrews
Christopher Plummer e Julie Andrews eram os protagonistas de ‘Música no Coração’.

No cinema, Plummer estreou-se ainda nos finais da década de 50, em Lágrimas da Ribalta, um filme de Sidney Lumet, realizador de clássicos como 12 Homens em Fúria (1957) ou Um Dia de Cão (1975). O seu primeiro protagonista surgiu apenas no filme realizado por Nicholas Ray, Wind Across The EvergladesA Floresta Interdita, em português – passando rapidamente a espalhar o seu talento e charme no grande ecrã.

Com mais de setenta anos de carreira, Christopher Plummer nunca parou de trabalhar e participou em mais de 200 produções cinematográficas ou de televisão, ficando marcado por papéis em Uma Mente Brilhante (2001), Doze Macacos (1995), Star Trek VI: O Continente Desconhecido (1991), O Tesouro (2004) ou até em Up – Altamente (2009), da Disney, onde deu a voz a Charles Muntz, o vilão da história.

Presença assídua no cinema, Plummer manteve sempre um pé no teatro, onde conseguiu duas vitórias nos Tonny Awards. E, apesar de só ter vencido um Óscar pela longa-metragem de 2011, Plummer foi nomeado a cinco Emmy Awards – vencendo dois, em 1977 e em 2005; a três Globos de Ouro – com uma vitória também em 2012 por Assim é o Amor, onde interpretou um idoso com um cancro terminal que revela ao seu filho que está a namorar outro homem, revelando a sua homossexualidade.

O papel de Assim é o Amor rendeu-lhe a única vitória ao Óscar da Academia, mas tornou-o também o ator mais idoso a receber o prémio numa categoria de representação. Mesmo nos nomeados, Christopher Plummer mantém-se o recordista, ao seu nomeado à categoria de Melhor Ator Secundário em 2018, já com 88 anos. Anteriormente, o título pertencia a Emmanuelle Riva, atriz francesa nomeada pela sua atuação em Amour (2012), com 85 anos.

Christopher Plummer em Todo o Dinheiro do Mundo.
Christopher Plummer em ‘Todo o Dinheiro do Mundo’.

Ainda nos Óscares, Plummer conseguiu a sua última nomeação em 2018, pelo papel em Todo o Dinheiro do Mundo (2019), que estava originalmente destinado a Kevin Spacey, até o ator ser afastado pelas polémicas de assédio sexual da parte do protagonista de House of Cards. Curiosamente, nenhuma das nomeações aos Óscares aconteceu pelo papel que o colocou bem debaixo dos holofotes, o Capitão Von Trapp.

Recentemente, o ator ainda marcou presença em vários projetos, como a série Departure (2019) ou o filme Knives Out, do mesmo ano, que foi um dos lançamentos mais comentados na altura da estreia da produção. Atualmente, o ator estaria a dar a voz a Rizzo, uma personagem de Heroes of the Golden Masks, um filme de animação. O seu último filme foi Verdade Debaixo de Fogo, também de 2019.

Casados três vezes, a primeira com a atriz Tammy Grimes e a segunda com a jornalista Patricia Audrey Lewis, Christopher Plummer era casado com a atriz Elaine Taylor, com quem vivia no estado do Connecticut.

Mais Artigos
Luca Argel
À Escuta. Luca Argel e colaboração entre Moullinex e Sara Tavares entre os destaques