Festival da Canção
Fotografia: EF via Instagram/Pedro Gonçalves

Festival da Canção. Musicóloga analisa tema de Pedro Gonçalves: plágio ou não?

Depois da revelação das canções a concurso no Festival da Canção 2021, levantaram-se acusações de plágio relativas ao tema de Pedro Gonçalves, autor e intérprete a concurso com Não Vou Ficar’.

No Fita Isoladora, podcast do Espalha-Factos, a musicóloga Sofia Vieira Lopes analisa a canção e responde: trata-se ou não de um caso de plágio?

Ouve o Fita Isoladora desta semana:

O tema com que Pedro Gonçalves concorre ao Festival tem sido apontado como sendo muito semelhante a ‘Guilty Conscience’, de 070 Shake. As comparações ganharam tração nas redes sociais especialmente depois de vários fãs terem percebido que um remix da canção com a banda Tame Impala está presente numa playlist pública criada pelo cantor e participante do concurso da RTP.

Sofia Vieira Lopes – que, além de musicóloga, é investigadora do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança e organizadora da conferência internacional Eurovisions, dedicada ao Festival Eurovisão da Canção –  junta-se ao painel do Fita e faz uma análise ponto-a-ponto ao tema.

Plágio ou coincidência?

A especialista explica a Pedro Miguel Coelho, Tiago Serra Cunha e João Malheiro que a questão de um plágio “é muito complexa e não é a mera utilização de melodias semelhantes que nos faz dizer se é plágio ou não”. No caso deste tema, considera não se tratar de plágio, uma vez que tal “acarreta a culpa, a pretensão de querer fazer igual – e por isso enganar (…) e eu acho que não é de todo o caso.

Tal como o cantor refere em declarações à Blitz, onde diz se tratar apenas de parecenças com outros temas em melodias e estruturas semelhantes” inerentes à criação musical, Sofia Vieira Lopes realça que “existem semelhanças”, mas devido às características do estilo Pop, que “se baseia num estilo partilhado por muitas canções”, em aspetos como “a melodia, a harmonia, o ritmo, a utilização de padrões pré-definidos e, depois, o aspeto da produção musical e da sonoridade como um todo”.

A análise ao tema estende-se ainda à letra, a especificidades técnicas características nas canções deste género e padrão musical e determina a linha que separa similaridades musicais daquilo que é um plágio considerado versus o recurso da memória a melodias na criação de canções. 

Festival da Canção e, consequentemente, o Festival Eurovisão da Canção, merecem anualmente a atenção e cobertura do EF. A seleção nacional portuguesa decide-se este ano com duas semifinais que apuram cinco canções cada uma, a 20 e 27 de fevereiro, e uma Grande Final a 6 de março. Os três espetáculos, sem público a assistir, realizam-se nos estúdios da RTP, em Lisboa.

Ouve também o episódio do Fita Isoladora com as primeiras reações às canções do Festival da Canção:

WandaVision e a nova série de Harry Potter em discussão neste episódio

WandaVision é a mais recente incursão do Universo Cinematográfico da Marvel no mundo das séries. Carolina Correia, diretora do EF, junta-se ao painel para perceber porque é que a série se tem tornado um fenómeno até junto de públicos que habitualmente não seguem os filmes e o que se espera dos próximos episódios, que tem um mistério à espera de ser desvendado.

Ainda no mundo das séries, a HBO Max poderá ter uma série de Harry Potter a caminho do seu catálogo. Mas o que é que virá aí, numa altura em que continuam a adensar-se as polémicas a envolver J.K. Rowling? Kenia Nunes, redatora no site, analisa quais os caminhos que poderia ser interessante seguir nesta nova incursão da saga.

Todos os episódios do Fita Isoladora estão disponíveis para audição nas plataformas SpotifyApple PodcastsGoogle PodcastsAnchorBreaker e RadioPublic.

Ouve as últimas recomendações #NumMinuto:

Mais Artigos
‘Avatar’ tem uma nova casa e um filme a caminho