Eurovisão

Artistas apelam por ‘Mais Música Portuguesa na Rádio’

Os artistas e autores nacionais estão unidos por Mais Música Portuguesa na Rádio. A intenção está expressa num texto com mais de 450 subscritores ligados ao setor musical em Portugal.

O documento pretende sensibilizar os grupos da rádio para a importância de passarem canções portuguesas. “Não queremos a nossa e vossa Música confinada a um pequeno espaço“, salientam.

O setor cultural e, especificamente, o musical têm estado a passar por um período difícil devido às restrições em tempos de pandemia. Segundo os números da Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos, o mercado dos espetáculos registou uma quebra de 87%, entre janeiro e outubro, face a 2019, com uma previsão de 90%, no global do ano.

Perante a dificuldade de os artistas atuarem ao vivo, a rádio torna-se um meio ainda mais importante na divulgação da música portuguesa. “Precisamos do contacto com o nosso público, precisamos que nos ouçam e de sentir que nos estão a ouvir. Queremos voltar a ouvir as vossas palmas e a escutar as vossas vozes a cantar connosco. Temos saudades de vos sentir perto de nós“, apelam os subscritores.

Aumento da quota bem vista

Já este mês, a quota de canções portuguesas aumentou de 25% para 30%. A decisão foi anunciada pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, com o objetivo de “incrementar a divulgação de música portuguesa” e que “este é o ano para o fazer“. A carta aplaude a decisão ministerial do aumento da quota, que foi criada em 2009, mas nunca tinha sido atualizada. “Foi com satisfação que recebemos a notícia que agora nos vão ouvir mais. Queremos sentir-vos em sintonia com a nossa voz e a nossa música. Queremos que continuem a ouvir música portuguesa, nas ondas da rádio. Queremos que sintonizem e ouçam a música que é a nossa“, pedem os artistas subscritores ao público.

No entanto, este aumento do limite mínimo de música portuguesa não foi bem visto por todos. Os grupos Media Capital Rádios e Renascença Rádios enviaram uma carta aberta a Graça Fonseca, onde consideram a medida “ineficaz, injusta”. “O caminho de imposição de quotas é anacrónico. Impor quotas de música na rádio é uma medida política do século passado que não tem em conta o mundo digital das plataformas de música internacionais, livres de quotas e de imposições que limitem a sua liberdade de programar”, alertam sobre a decisão do Ministério da Cultura.

A lista de subscritores inclui músicos dos variados estilos musicais como António Zambujo, Aurea, Camané, Conan Osiris, Paulo de Carvalho e Quim Barreiros.

Mais Artigos
Superman está de volta ao grande ecrã.
‘Super-Homem’ está de regresso ao grande ecrã com produção de J.J. Abrams