Por outro lado, a falta de registos de efeitos adversos severos é um outro motivo que leva os responsáveis pelo plano de vacinação – que se reuniram esta segunda-feira com membros do Governo – a acelerar a vacinação nestes locais. Para além disso, apesar de a vacina prever a toma de duas doses para que a sua eficácia aumente, há agora dados que indicam que já há alguma imunidade após a administração da primeira dose, o que também leva à vontade de aceleração do processo.