Nazaré Especial de Natal SIC
Fotografia: Ana Bento / SIC

SIC vence segundo ano consecutivo, mas termina 2020 com TVI à perna

A SIC conquistou a liderança anual das audiências pela segunda vez consecutiva, ampliando a sua distância face à TVI, depois da surpreendente mudança de ciclo em 2019. Contudo, o ano encerrou com o melhor mês para a TVI e o pior para a SIC, numa aproximação cada vez mais perigosa entre os dois canais.

Com médias similares a 2019, SIC bate TVI pelo segundo ano seguido

Começando pela informação mais evidente, a SIC foi a estação líder de 2020, tendo encerrado o ano com uma quota de mercado de 19,8%. Em segundo lugar, pelo segundo ano consecutivo, a TVI obteve 15,2% de share. Também de forma previsível, a RTP1 encerrou o pódio com 11,9%.

Em comunicado, a Impresa destaca que este é o melhor score anual da SIC desde 2013, sendo que a distância entre o primeiro e o segundo canal mais vistos não era tão grande desde 2009. Paço de Arcos liderou 343 dias do ano, sendo que o canal é líder há 23 meses consecutivos, ou seja, desde fevereiro de 2019.

Ainda assim, apesar de todos os altos e baixos que tanto 2019 como 2020 proporcionaram aos aficionados pelas audiências, a verdade é que o placard final de 2020 ficou muito parecido ao de 2019, mais ainda se comparado com 2018:

  • A SIC disparou 2,7 pontos percentuais de 2018 para 2019, mas abrandou o ritmo de crescimento para 0,6 pontos percentuais de 2019 para 2020 (16,5%; 19,2%; 19,8%);
  • Já a TVI tropeçou 4,3 pontos percentuais na comparação de 2018 para 2019, perdendo apenas 0,4 pontos percentuais de 2019 para 2020 (19,9%; 15,6%; 15,2%);
  • A RTP1 é uma excepção, tendo concluído um triénio de anos de relativa estabilidade de quota de mercado (12,2%; 12,5%; 11,9%).

TVI encerra 2020 com melhor mês, SIC com o pior

Na análise mês a mês, 2020 revela-se um ano muito mais dinâmico. A TVI iniciou o ano com 13,9% de share e a 6,5 pontos percentuais de distância face à líder SIC. Desde então, o canal bateu em março um mínimo de 13,3% e a partir daí veio subindo de forma mais ou menos continuada, tendo terminado em dezembro com o melhor registo do ano – 16,9% e uma diferença face à líder de 1,4 pontos percentuais. Dezembro foi o melhor mês da TVI desde abril de 2019, que fechou com 17,0%.

A TVI sublinha em comunicado essa tendência de aproximação à SIC, referindo ainda que a estação cresceu 30% na comparação entre o primeiro e o quarto trimestres do ano.

Já a SIC, não só viu a estação de Queluz aproximar-se muito significativamente, como também cedeu alguma quota de mercado: em janeiro, um dos seus melhores meses do ano, obteve 20,4%, que comparam com os 18,3% de share em dezembro, o pior mês do ano para Paço de Arcos e o registo mais magro desde agosto de 2019 (17,9%).

RTP2, RTP3 e RTP Memória com saldo negativo em 2020

Além da RTP1, também RTP2, RTP3 e RTP Memória registaram quebras de 2019 para 2020. No caso do segundo canal em especial, evidenciou-se uma forte degradação de share, ao cair 0,4 pontos percentuais, de 1,5% para 1,1%. Esta variação traduz-se numa perda de mais de 25% da sua quota de mercado.

Já a RTP Memória fechou o ano com 0,9% de share, o que representa uma ligeira descida face a 2019, ano que encerrou com 1,0%. Este resultado é particularmente negativo se considerarmos o forte impulso que o canal obteve durante a pandemia com a exibição do #EstudoEmCasa. Efetivamente, o segundo trimestre foi o mais forte para o canal estatal, mas que não foi suficiente para compensar os anémicos resultados de setembro a dezembro, meses em que obteve sempre 0,6% de quota de mercado.

Destaque ainda para a RTP3, atualmente o segundo canal público mais visto. Encerrou 2020 com uma ligeira quebra, descendo de 1,7% para 1,6%.

Fora dos canais estatais, a CMTV consolidou a liderança do cabo e subiu ligeiramente de 4,1% para 4,2% de share. Dentro dos informativos, a TVI24 manteve-se nos 1,5%, enquanto a SICN observou uma significativa subida de 1,8% para 2,2%.

Lê também: Como é feita a medição de audiências em Portugal?
Mais Artigos
MURAIS. Hélio Morais lança novo single a solo