Soul
Fotografia: Divulgação

Artistas assinam petição por nova dobragem portuguesa de ‘Soul’

Sara Tavares e Mamadou Ba estão entre os signatários da carta aberta à Disney e à Pixar.

A dobragem portuguesa de Soul – Uma Aventura com Alma, o novo filme da Disney Pixar, levantou uma onda de críticas nas redes sociais devido à escolha dos atores para dar voz aos personagens. Este sábado (2), várias personalidades da cultura e sociedade portuguesa assinam uma reclamação por uma nova versão da dobragem com vozes negras que representem a “importância histórica” do momento.

longa-metragem é a primeira do estúdio a ter uma personagem negra como protagonista. Apesar do enorme sucesso pela história inspiradora e pela representatividade racial na animação, em Portugal levantam-se questões em relação ao respeito pela cultura negra na escolha do elenco de dobragem nacional.

Na versão original, Joe Gardner, o personagem principal do filme, tem a voz do ator Jamie Foxx; todos os personagens negros são dobrados por atores negros. Em Portugal, a dobragem é inteiramente composta por atores brancos nas vozes principais – por cá, foi o ator Jorge Mourato a emprestar a voz ao pianista de jazz.

A situação levou internautas e figuras públicas a manifestar o seu descontentamento nas redes sociais. O caso continua a ganhar repercussão com uma petição lançada no segundo dia de 2021, assinada por sete personalidades portuguesas: Sara Tavares, Dino D’Santiago, Ana Sofia Martins, Mamadou Ba, Mayra Andrade, Nástio Mosquito e Pedro Coquenão.

A dobragem do filme foi “um equívoco e descura na tradução”

A carta aberta, endereçada à Disney Portugal e à Pixar, reclama “uma nova versão Portuguesa do filme”, com respeito à “intenção original e reconhecendo a importância histórica deste momento”, uma vez que “este filme não é apenas mais um filme e o que ele representa importa”.

As personalidades consideram que a Disney “tratou este filme como mais um, não tendo o mesmo critério e ignorando a intenção original na escolha de actores exclusivamente Afro-Descendentes para dar voz aos personagens”, uma vez que, na criação de Soul, “foram tidas em conta várias personalidades e académicos para assegurar que a diversa comunidade Negra estivesse confortável com a representatividade da obra”.

Soul
Fotografia: Divulgação

A carta tem como objetivo ressaltar que, apesar do “habitual bom trabalho em dobragens feitas em Portugal ou a qualidade dos actores da versão Portuguesa”, deve existir “respeito pela intenção original e pelo que este [filme] representa historicamente: ser o primeiro filme de animação com um protagonista negro, interpretado por vozes negras”. Consideram, por isso, esta escolha de elenco “um equívoco e descura na tradução para Portugal pode e deve ser reparado”.

A polémica com as dobragens internacionais

Soul chegou à Disney+ no dia de Natal e está a ser um sucesso entre os espectadores e a crítica especializada. A versão portuguesa do filme conta com a voz de Jorge MouratoAna Cloe, José NobrePedro PenasMónica Garcez ou Filomena Cautela. Já a versão original tem vozes de Jamie Foxx, Tina FeyDaveed DiggsAngela Bassett, entre outros nomes da indústria do entretenimento norte-americana.

O desagrado com a escolha dos atores para dar voz a vários dos personagens do filme não é exclusivamente nacional. Em países como Espanha, Itália, Alemanha, Dinamarca ou Suécia foram também escolhidos elencos totalmente compostos por atores brancos para dobrar os personagens do filme.

Noutros casos, como o de França, houve anúncio público das escolhas de voz, de forma a honrar a intenção original de Soul. O ator Omar Sy foi o responsável pela versão francesa do filme, enquanto que nos Países Baixos, por exemplo, foi feito o convite ao rapper Kenny B para dobrar Joe Gardner. Países como o Brasil, Noruega ou a dobragem em francês do Canadá fizeram o mesmo.

Mais Artigos
Handmaid's Tale
Vem aí o novo serviço on-demand dos canais TVCine