Anya Taylor-Joy em The Queen's Gambit 2020
Fotografia: Netflix / Divulgação

2020: Estas são as melhores séries do ano para o Espalha-Factos

Com mais um ano a chegar ao fim, a redação do Espalha-Factos juntou-se para eleger as cinco melhores séries de 2020. Entre mistérios, terror, amor e dramas históricos, o top 5 é preenchido por grandes estreias internacionais que fizeram sucesso um pouco por todo o mundo.

A pandemia da Covid-19 marcou 2020 nos mais diferenciados aspetos e a televisão não foi indiferente. Responsável por adiar estreias, cancelar séries e ainda suspender algumas produções, a pandemia travou algumas produções de verem a luz do dia quando estava previsto, mas não impediu o público de se apaixonar pelas mais variadas histórias do mundo do entretenimento.

O Espalha-Factos analisou as grandes estreias do ano e escolheu as cinco séries que tens mesmo de ver antes do ano chegar ao fim.

5. Ratched 

Sarah Paulson em Ratched.
Fotografia: Netflix / Divulgação

Protagonizada por Sarah Paulson, Ratched foi uma das grandes estreias de Ryan Murphy em 2020, numa produção que chegou a ocupar o primeiro posto dos mais vistos da Netflix em Portugal. A prequela de One Flew Over the Cuckoo’s Nest dá destaque a uma das personagens principais do romance, a enfermeira Mildred Ratched, uma sociopata cruel que maltrata todos os seus pacientes. No filme de 1975, a personagem foi interpretada por Louise Fletcher, rendendo-lhe uma vitória nos Óscares na categoria de Melhor Atriz Secundária.

‘Ratched’: Terror com muito estilo e pouca substância

A versão de Ryan Murphy – mais assustadora do que a obra que deu também um Óscar a Jack Nicholson – recebeu as mais variadas críticas, mas houve um aspecto em que não diferiram: Sarah Paulson. A protagonista de várias temporadas de American Horror Story voltou a brilhar numa produção de Ryan Murphy. O produtor foi responsável este ano por estrear ainda Hollywood e The Prom, também na Netflix.

4. Normal People 

Fotografia: HBO/Divulgação

Adaptada do romance de Sally Rooney, Normal People segue a relação de Marianne (Daisy Edgar-Jones) e Connell (Paul Mescal), à medida que os dois vão crescendo juntos. A série de 12 episódios e foca-se na complexa relação do casal, que parece divergir nas mais simples tarefas e características. Marianne e Connell parecem amar-se, mas são de mundos totalmente diferentes. Marianne é frágil e sempre foi vista como uma estranha, passando por vários episódios de bullying à medida que crescia, enquanto Connell sempre foi o rapaz atlético que era desejado por todos.

Numa parceria entre a BBC Three e a Hulu, Normal People foi aclamada pela crítica desde o primeiro episódio, numa adaptação que tem tanto de fiel como realista.

3. The Undoing 

The Undoing HBO Portugal
Fotografia: HBO / Divulgação

No seio de uma Nova Iorque aristocrata, uma jovem mãe é encontrada morta pelo seu próprio filho, expondo um crime horrendo e chocante a toda a comunidade. Grace Fraser (Nicole Kidman) e Jonathan Fraser (Hugh Grant) parecem não ter nada a ver com o caso, mas a vida de Grace desmorona quando se apercebe que o marido está desaparecido e que pode estar envolvido na morte da mulher que ela acabara de conhecer. “O culpado é sempre o marido” – dizem – mas será que Jonathan, o homem que sempre amou, seria realmente capaz de matar?

The Undoing: 5 razões para ver a nova série da HBO

Baseada no romance You Should Have Known, de Jean Hanff Korelitz, The Undoing foi uma das estreias da HBO do final de 2020, mas não deixou ninguém indiferente. Semanalmente, nos Estados Unidos, os episódios foram batendo sucessivos recordes de audiência, com o desfecho a conseguir mais do dobro do registado na estreia da produção.

2. The Great

Elle Fanning é Catarina a Grande em The Great
Fotografia: HBO Portugal / Divulgação

Nem tudo é realmente verídico em The Great, a história satírica da ascensão de Catarina, A Grande ao trono da Rússia, onde permaneceu durante mais tempo do que qualquer outro monarca do país. Protagonizada por Elle Fanning e Nicholas Hoult, como Catherine e Peter – respetivamente – a história é inspirada na peça de teatro de 2008 de Tony McNamara, que ficou também responsável pela escrita dos dez episódios da série.

Apesar de ser inspirada na verdadeira história da monarca, a produção adaptou-se à contemporaneidade e adotou um estilo mais moderno e irreverente, colocando Catherine e Peter dentro de uma disputa de gato e rato, com várias tentativas de homicídio e traições hilariantes que têm tanto de assustadoramente fracassadas como perigosamente (quase) bem-sucedidas. Estreada a 15 de maio na Hulu, a produção chegou a Portugal apenas um dia depois pela HBO Portugal e, devido ao sucesso, o segundo ano de The Great já está confirmado, com data ainda a definir.

1.The Queen’s Gambit

Anya Taylor-Joy em The Queen's Gambit.
Fotografia: Netflix / Divulgação

Jogar xadrez nunca pareceu tão divertido. The Queen’s Gambit é uma minissérie da Netflix baseada no livro do mesmo nome de Walter Tevis, de 1983. Apenas quatro dias após o lançamento na plataforma, a série protagonizada por Anya Taylor-Joy tornou-se na minissérie mais vista de sempre da Netflix, levando a aumentar o interesse dos telespectadores no xadrez um pouco por todo o mundo.

A série narra a história de Elizabeth, uma órfã que alcança o estrelato inesperado por ser um verdadeiro prodígio no mundo do xadrez. Ambientada entre os anos 50 e 60, Gambito de Dama acompanha a complexa vida da jovem à medida que esta lida com conquistas, problemas emocionais e dependência de álcool e drogas. Com apenas sete episódios, The Queen’s Gambit é a série de 2020 para a redação do Espalha-Factos.

Crítica. ‘Gambito de Dama’ é uma série arrebatadora

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Marta Temido
Marta Temido dá ‘Grande Entrevista’ na RTP3 em pico da pandemia