Josh O Connor e Emma Corrin
Fotografia: Netflix / Divulgação

‘The Crown’: Netflix nega reforçar aviso sobre caráter ficcional da série

A plataforma de streaming Netflix respondeu, este sábado (5), numa declaração à Deadline, à polémica envolvendo a série The Crown, recentemente levantada pelo Secretário da Cultura britânico, Oliver Dowden.

A quarta temporada da série dramática The Crown, que retrata a monarquia constitucional do Reino Unido ao longo das décadas, estreou a 15 de novembro deste ano. O quarto capítulo da história foca-se em vários momentos importantes do reinado de Elizabeth II (Olivia Colman) nos anos 80, com especial destaque para o casamento do Príncipe Charles (Josh O’Connor), herdeiro do trono e Príncipe de Gales, com Diana Spencer (Emma Corrin).

Pelo caráter controverso do próprio casamento do par, a temporada tem sido alvo de crítica, devido aos conteúdos do enredo, e à sua veracidade. Várias personalidades, incluindo o Conde Spencer, irmão da Princesa Diana e Dickie Arbiter, antigo secretário de imprensa da família real, pronunciaram-se sobre a temporada, opinando que a Netflix não reforça suficientemente o seu caráter ficcional. No entanto, esta questão ascendeu ao nível governamental, com o Secretário da cultura britânico, Oliver Dowden, a comentar o assunto.

No início desta semana, o político endereçou uma carta à plataforma de streaming, pedindo para que fosse adicionado um aviso, ao início de cada episódio, que deixasse mais claro que The Crown é inspirada em factos reais, mas sobretudo ficcional. Dowden expressa ainda o receio de que “uma geração de espectadores que não viveu esses eventos possa confundir a ficção com os factos”.

Numa declaração à Deadline, a Netflix afirmou: “sempre apresentámos The Crown como um drama – e temos a confiança que os nossos membros percebem que é um trabalho de ficção, amplamente baseado em eventos históricos”. Assim, acabaram por negar o pedido do Secretário da Cultura, ao afirmarem não terem planos, nem verem a necessidade de adicionar qualquer tipo de aviso.

A relação entre o par foi, desde o primeiro momento, extremamente mediática. A Princesa Diana era adorada pelo público, e ao longo dos anos, várias teorias e muita especulação foram sendo criadas acerca da relação da Princesa de Gales com a família real, que se suspeitava não ser a melhor. Deste modo, não é de espantar que o retrato destes tempos conturbados pela Netflix gerasse alguma polémica.

A Deadline afirma ainda que, segundo fontes, já existiram doze reclamações oficiais, relativamente a supostas fabricações históricas, na nova temporada de The Crown.