Xutos e Pontapés
Xutos e Pontapés

Xutos e Pontapés recordam os últimos 20 anos em novo livro

Xutos e Pontapés, juntamente com Ana Ventura, apresentaram o segundo volume do livro À Minha Maneira e já revelaram o que os fãs podem esperar neste novo lançamento.

Um ano depois do lançamento do primeiro volume desta biografia dedicada à banda de rock português, o Teatro Maria Matos em Lisboa foi o local escolhido para fazer a primeira apresentação focada em À Minha Maneira Volume II: 2000-2020.

Ana Ventura, autora, jornalista e mentora do projeto M de Música, foi responsável por recolher e compilar os testemunhos de cada elemento da banda, com o intuito de contar a história dos Xutos e Pontapés dos últimos 20 anos. O primeiro volume terminou no concerto de celebração dos 20 anos de carreira da banda no Pavilhão Atlântico (hoje denominado de Altice Arena).

Numa conversa partilhada com a plateia, Tim, vocalista e baixista do grupo, explica que, contrariamente de que é habitual neste tipo de publicações, as entrevistas foram feitas individualmente. Ana Ventura complementa esta ideia “É engraçado de como cada um de vocês [da banda] se recorda de uma história e acaba por dar cor [ao livro]. Se estivermos com um amigo a ver exatamente o mesmo filme [no final] vamos ver dois filmes diferentes. Agora imaginem isso multiplicado por 40 anos de carreira. O facto de eles não estarem juntos faz com que, efetivamente, as memórias que nós temos sejam lembradas tal como eles as viveram [sem interferências com outros elementos]. Foi o que mais me divertiu enquanto fiz este puzzle”, salienta.

No que diz respeito às recordações, a jornalista esclarece que Tim é o elemento que tem melhor memória dos quatro, enquanto que João Cabeleira tem uma memória seletiva. “O [João] Cabeleira lembra-se, por exemplo, do número de colunas que estavam no concerto dos 20 anos de carreira. Fomos confirmar ao arquivo e quem é que tem razão? O Cabeleira, pois claro“, afirma com um sorriso nos lábios.

Apesar de ser um livro biográfico no discurso direto, não existe uma cronologia definida. A banda e Ana Ventura preferem vê-lo como um livro de memórias. “Um dos meus grandes objetivos era que isto não fosse uma autobiografia porque são eles a falar [a banda]. Ao leres consegues perceber parte da personalidade deles. Este segundo volume está repleto de idiossincrasias de cada um deles. O livro funcionou também como uma espécie de reflexão individual de cada um deles. Pelo menos foi isso que senti”, realça a autora.

Zé Pedro, o falecido guitarrista, apesar de não ter visto o resultado final, foi um dos principais impulsionadores da ideia, relembra Ana Ventura. “As declarações [do Zé Pedro no livro] foram retiradas de entrevistas e de outros artigos publicados na imprensa. O trabalho feito por ela [Ana Ventura] ajudou-nos a manter o Zé Pedro vivo e presente na páginas deste livro”. 

Num tom de brincadeira, Tim espera que haja um outro livro e não um filme. Enquanto que João Cabeleira afirma sem qualquer pudor. “Façam um filme quando a gente morrer”, comentário que arrancou gargalhadas pela plateia.

“À minha Maneira Volume II 2000-2020” foi editado pela Showtime e já está disponível nas principais livrarias portuguesas.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Virgin River
O amor está no ar na segunda temporada de ‘Virgin River’