Trump

Trump perde estatuto especial no Twitter

Donald Trump vai ter regras diferentes no uso da sua conta na rede social

Donald Trump terá, no Twitter, uma posição diferente daquela que teve durante o seu mandato presidencial. Visto que deixará de ser um membro oficial do governo norte-americano, a rede social passará a remover os tweets que vão contra as regras da mesma.

A empresa explicou à Bloomberg que Trump goza de um “tratamento especial“, por fazer parte do governo norte-americano. Por essa mesma razão, os tweets enganosos ou violentos, não são retirados. Ao invés disso, é deixado um aviso que informa os utilizadores que o conteúdo vai contra as regras da comunidade do Twitter. No entanto, permanecem na rede social, pois podem ser de interesse público. O objetivo é que os utilizadores possam ler todos os comentários de líderes mundiais, mesmo os que vão contra as regras da comunidade.

Contudo, quando deixam de exercer o cargo, a exceção deixa de ser aplicada. O mesmo aconteceu com o antigo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Se Obama fizesse um tweet com conteúdo racista, violento, ou enganoso sobre o Covid-19, seria retirado de imediato. Visto ter perdido as eleições para Joe Biden, a conta de Donald Trump vai passar a ingressar esta categoria.

Por exemplo, o Twitter já escondeu oito tweets de Donald Trump sobre a contagem de votos, desde terça-feira (3). Trump alegava que a contagem de votos estava a ser manipulada pelo partido Democrata. Trata-se de informação infundada, daí ter sido acrescentado um alerta para os utilizadores. O aviso é colocado para evitar que a desinformação se espalhe, assim como não é permitido retweetar estes tweets sem deixar um comentário.

Uma parte crítica do nosso serviço é criar um espaço onde as pessoas possam aberta e publicamente responder a estes líderes e responsabilizá-los“, disse um porta-voz do Twitter num comunicado.

No entanto, mesmo os líderes mundiais podem ver a sua conta a ser apagada, caso advoguem explicitamente atos terroristas ou violentos.

Não é a primeira vez que Trump enfrenta censura de uma rede social. A conta do presidente na Twich também foi suspensa. A plataforma justificou a decisão com a violação das regras da comunidade contra a conduta de ódio.

Trump usa a sua conta pessoal do Twitter, @realDonaldTrump, onde soma 88 milhões de seguidores. Depois do dia 20 de janeiro, a conta começará a estar ao abrigo das regras de comunidade do Twitter.

 

 

 

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.